Aula 08 Direito Constitucional
58 pág.

Aula 08 Direito Constitucional


DisciplinaDireito Constitucional I46.216 materiais1.310.294 seguidores
Pré-visualização16 páginas
a 
recondução, sendo presid ido pelo in tegrante m ais antigo.
51. (FCC / MPE-RS - 2010) O Conselho Nacional do M in istério Público, 
órgão constituc iona l criado pela Emenda Constituc iona l no 45/2004, 
com põe-se de onze m em bros nom eados pelo Congresso Nacional.
52. (FCC / MPE-RS - 2010) O Conselho Nacional do M in istério Público, 
órgão constituc iona l criado pela Emenda Constituciona l no 45/2004 , 
confere para os seus m em bros um m andato de do is anos, vedada a 
recondução.
53. (FCC / MPE-RS - 2010) O Conselho Nacional do M in istério Púb lico 
exerce o contro le da atuação adm in istrativa e finance ira do M in istério 
Púb lico e do cum prim ento dos deveres funciona is de seus membros.
54. (FCC / MPE-RS - 2010) O Conselho Nacional do M in istério Púb lico 
esco lherá, em votação aberta e pública, um Corregedor nacional, dentre 
os m em bros do M in istério Púb lico Estadual ou Federal, perm itida uma 
recondução.
Prof. Nádia Carolina www.estrategiaconcursos.com.br 54 de 58
Estratégia
r n N r i l R s n s * *
Direito Constitucional p/AFRFB - 2015
Profa. Nádia Carolina / Prof. Ricardo Vale
C O N C U R S O S
55. (FCC / MPE-RS - 2010) O Conselho Nacional do M in istério Público, 
órgão constituc iona l criado pela Emenda Constituciona l no 45/2004 , 
esco lherá, em votação secreta, um Corregedor nacional, dentre os 
m em bros do M in istério Púb lico que o integram , vedada a recondução.
56. (FCC / TRT 15a Região - 2009) O Presidente do Conselho Federal 
da Ordem dos Advogados do Brasil, o fic iará jun to ao Conselho Nacional 
do M in istério Público.
57. (CESPE / TJDFT - 2007) Os Procuradores dos Estados e do D istrito 
Federal exercerão a representação jud ic ia l e a consu lto ria ju ríd ica das 
respectivas un idades federadas e serão estáveis após do is anos de 
efetivo exercíc io , m ediante ava liação de desem penho perante os órgãos 
próprios, após re la tório c ircunstanciado das corregedorias.
58. (FCC / TRT 22a Região - 2010) A Advocacia-Gera l da União tem por 
chefe o Advogado-Gera l da União, de livre nom eação pelo Presidente da 
República dentre c idadãos m aiores de trin ta e c inco anos, de notável 
saber ju ríd ico e reputação ilibada.
59. (FCC / TRT 22a Região - 2010) Aos Procuradores do Estado é 
assegurada v ita lic iedade após três anos da posse, m ediante avaliação 
de desem penho pelo Chefe do Executivo, após re la tório c ircunstanciado 
dos Conselhos respectivos.
60. (FCC / TRT 7a Região - 2009) A institu ição incum bida, d iretam ente 
ou através de órgão v incu lado, de representar a União, jud ic ia l e 
extra jud ic ia lm ente, é:
a) O Ministério Público Federal.
b) A Procuradoria-Geral da República.
c) A Advocacia-Geral da União.
d) A Defensoria Pública da União.
e) O Tribunal de Contas da União.
61. (CESPE / TJDFT - 2007) Às Defensorias Púb licas Estaduais são 
asseguradas autonom ia funciona l e adm in istrativa e a in ic iativa de sua 
proposta orçam entária dentro dos lim ites estabe lec idos na lei de 
d ire trizes orçam entárias.
62. (CESPE / MPU - 2010) A CF assegura autonom ia funciona l, 
adm in istrativa e finance ira às de fensorias púb licas estaduais, por meio 
das qua is o Estado cum pre o seu dever constituc iona l de garan tir às 
pessoas desprov idas de recursos finance iros o acesso à justiça.
Prof. Nádia Carolina www.estrategiaconcursos.com.br 55 de 58
Estratégia
r n N r i i R < ; n < ; * *
Direito Constitucional p/AFRFB - 2015
Profa. Nádia Carolina / Prof. Ricardo Vale
C O N C U R S O S
63. (CESPE / TJDFT - 2007) A lei pode disciplinar a inviolabilidade do 
advogado por seus atos e manifestações exarados no exercício da 
profissão.
64. (ESAF/ AFRFB - 2014) A ação popular e a ação civil pública são 
idênticas em propósito, finalidade e alcance, a diferença é que a última 
se insere na competência privativa dos tribunais.
65. (CESPE / MPE-RO - 2010) A ação civil pública pode ser manejada 
para se obter o controle de constitucionalidade de lei, desde que a 
declaração de inconstitucionalidade seja &quot; incidenter tantum&quot; e tenha 
eficácia erga omnes.
66. (TRT 15a Região/Juiz/2010) Não cabe questionamento incidental 
de inconstitucionalidade em sede de ação civil pública.
67. (TRT 15a Região/Juiz/2010) A declaração incidental de 
inconstitucionalidade de uma lei nos autos de uma ação civil pública 
gera efeito erga omnes.
68. (TRT 15a Região/Juiz/2010) É cabível o questionamento 
incidental de inconstitucionalidade nos autos de uma ação civil pública, 
mas seus efeitos ficam restritos apenas às partes e somente naquele 
caso concreto.
69. (CESPE / TRF 5a Região/ Juiz - 2009) Suponha que Pedro, menor 
com 10 anos de idade, não tenha acesso a medicamento gratuito 
fornecido pelo SUS. Nessa situação hipotética, tem legitimidade para 
impetrar ação civil pública o MP, com vistas a condenar o ente federativo 
competente a disponibilizar esse medicamento, sem que haja usurpação 
da competência da defensoria pública.
70. (CESPE / TRE-MA - 2009) O STF considera legítima a utilização da 
ação civil pública como instrumento de fiscalização incidental de 
constitucionalidade de leis ou atos do poder público municipal, pela via 
difusa, quando a controvérsia constitucional não se apresentar como o 
único objeto da demanda, mas como questão prejudicial, necessária à 
resolução do conflito principal.
71. (CESPE / MPU - 2010) Entre as funções institucionais do Ministério 
Público, está a de promover, em caráter exclusivo, a ação civil pública 
para a promoção do patrimônio público e social, do meio ambiente e de 
outros interesses difusos e coletivos.
72. (CESPE / OAB - 2009) A ação civil pública somente pode ser 
ajuizada pelo MP, segundo determina a CF.
Prof. Nádia Carolina www.estrategiaconcursos.com.br 56 de 58
Estratégia
C O N C U R S O S ^
Direito Constitucional p/AFRFB - 2015
Profa. Nádia Carolina / Prof. Ricardo Vale
Gabarito
1. INCORRETA
2 . INCORRETA
3 . INCORRETA
4 . INCORRETA
5 . INCORRETA
6 . CORRETA
7 . CORRETA
8 . CORRETA
9 . CORRETA
10. CORRETA
11. CORRETA
12. INCORRETA
13. INCORRETA
14. CORRETA
15. CORRETA
16. Letra B
17. Letra D
18. CORRETA
19. CORRETA
20. CORRETA
21. CORRETA
22. INCORRETA
23. CORRETA
24. Letra C
25. Letra B
26. INCORRETA
27. INCORRETA
28. Letra E
29. CORRETA
30 . CORRETA
31 . INCORRETA
32 . Letra B
33 . INCORRETA
34 . INCORRETA
35 . INCORRETA
36 . CORRETA
37 . INCORRETA
38 . INCORRETA
39 . CORRETA
Prof. Nádia Carolina www.estrategiaconcursos.com.br 57 de 58
Estratégia
C O N C U R S O S ^
Direito Constitucional p/AFRFB - 2015
Profa. Nádia Carolina / Prof. Ricardo Vale
40 . Letra A
41 . CORRETA
42 . CORRETA
43 . CORRETA
44 . Letra D
45 . INCORRETA
46 . INCORRETA
47 . INCORRETA
48 . INCORRETA
49 . Letra E
50. INCORRETA
51. INCORRETA
52. INCORRETA
53. CORRETA
54. INCORRETA
55. CORRETA
56. CORRETA
57. INCORRETA
58. CORRETA
59. INCORRETA
60 . Letra C
61 . CORRETA
62 . CORRETA
63 . CORRETA
64 . INCORRETA
65 . INCORRETA
66 . INCORRETA
67 . INCORRETA
68 . CORRETA
69 . CORRETA
70. CORRETA
71. INCORRETA
72. INCORRETA
Prof. Nádia Carolina www.estrategiaconcursos.com.br 58 de 58