Manual de procedimentos de água em vigilância em saúde ambiental.
286 pág.

Manual de procedimentos de água em vigilância em saúde ambiental.

Disciplina:Gestão de Recursos Hídricos163 materiais1.515 seguidores
Pré-visualização50 páginas
conter, no mínimo,
os dados que constam no Sistema de Informação de Vigilância e Controle da Qua-
lidade da Água para Consumo Humano (Sisagua).

No Módulo do Controle da Qualidade da Água de Consumo Humano do
Sisagua constam os resultados do controle da qualidade da água realizado nos

Manual de procedimentos de vigilância em saúde ambiental relacionada à qualidade da água para consumo humano

161 Secretaria de Vigilância em Saúde

sistemas e as soluções alternativas coletivas de abastecimento de água, mais
especificamente, os resultados das análises físico-químicas e microbiológicas,
tanto da entrada dos sistemas e das soluções alternativas como da rede de dis-
tribuição. Além disso, deverão ser fornecidas informações sobre a intermitência
do fornecimento de água e o número de reclamações de falta d’água e de repa-
ros no sistema de distribuição, fatores estes que podem refletir interferências
na qualidade da água.

Os modelos de relatórios definidos para o Sisagua foram elaborados de acordo
com os planos de amostragem e a periodicidade estabelecidos na Portaria MS no

518/2004 para os sistemas e soluções alternativas de abastecimento de água, apre-
sentados no item anterior.

Os indicadores de qualidade da água que compõem o Sisagua são:

• colimetria
• turbidez
• cloro residual
• fluoreto
• agrotóxicos
• mercúrio

Colimetria, turbidez e cloro residual, por constituírem indicadores fundamen-
tais e de análise rotineira da qualidade microbiológica da água; fluoreto, por ser
o flúor uma substância de incorporação obrigatória à água e por seu significado
de saúde, seja por deficiência, seja por excesso; agrotóxicos e mercúrio, por repre-
sentarem, dentre as substâncias químicas que compõem o padrão de potabilidade,
aquelas de mais fácil “cruzamento” com indicadores epidemiológicos disponíveis
(intoxicação por mercúrio e agrotóxicos).

São essas, portanto, as informações que devem constar nos relatórios a ser pre-
enchidos pelos responsáveis pela operação de sistemas de abastecimento de água,
enviados ao setor saúde, de acordo com os planos de amostragem, em freqüência
mensal (colimetria, turbidez, cloro residual, fluoreto) e semestral (agrotóxicos e
mercúrio) e incorporadas ao Sisagua.

Entretanto, e naturalmente, o pleno cumprimento da Portaria MS no 518/2004,
em termos de atendimento aos planos de amostragem e ao padrão de potabilidade,
deve ser reportado ao setor saúde no âmbito municipal.

Os planos de amostragem para soluções alternativas são menos exigentes (Ta-
bela 9.4) e os respectivos relatórios devem ser enviados à Secretaria Municipal de
Saúde trimestralmente.

Manual de procedimentos de vigilância em saúde ambiental relacionada à qualidade da água para consumo humano

162 Secretaria de Vigilância em Saúde

Os indicadores possíveis de serem construídos a partir do Sisagua por sistema
ou solução de abastecimento e para os parâmetros colimetria, turbidez, cloro resi-
dual livre e fluoretos são:

• cumprimento dos planos de amostragem;
• atendimento ao padrão de potabilidade.

O Sisagua permite ainda identificar ou inferir sobre anomalias na distribuição
da água com base nas informações sobre reclamações dos usuários, intermitência
no abastecimento e reparos na rede.

Se solicitados os endereços das anomalias detectadas, em temos de distribuição
e qualidade da água (com o registro da data da ocorrência), uma melhor siste-
matização dos dados, em conjunto com os dados cadastrais, permite identificar
situações e grupos de risco e sua distribuição espacial e temporal. Uma abordagem
mais detalhada da avaliação e da análise integrada dos sistemas de informação e dos
bancos de dados é apresentada no Capítulo 10.

Cabe lembrar que, embora não conste nas fichas de relatórios antes apresenta-
das, o monitoramento da qualidade da água bruta é também exigido na Portaria
MS no 518/2004:

Art. 19. Os responsáveis pelo controle da qualidade da água de sistemas e de
soluções alternativas de abastecimento supridos por manancial superficial de-
vem coletar amostras semestrais da água bruta, junto do ponto de captação, para
análise de acordo com os parâmetros exigidos na legislação vigente de classifica-
ção e enquadramento de águas superficiais, avaliando a compatibilidade entre as
características da água bruta e o tipo de tratamento existente.

§ 1o O monitoramento de cianobactérias na água do manancial, no ponto de
captação, deve obedecer freqüência mensal, quando o número de cianobactérias
não exceder 10.000 células/ml (ou 1mm3/L de biovolume), e semanal, quando o
número de cianobactérias exceder este valor.

Tais informações devem, portanto, ser também reportadas à Secretaria Muni-
cipal de Saúde.

9.3 MONITORAMENTO DA VIGILÂNCIA DA QUALIDADE
DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO

O monitoramento da qualidade da água pode ser entendido como uma atividade
de vigilância ou de investigação.

Manual de procedimentos de vigilância em saúde ambiental relacionada à qualidade da água para consumo humano

163 Secretaria de Vigilância em Saúde

O monitoramento da vigilância consiste em avaliar, continuamente, a qualidade
da água consumida pela população, permitindo a identificação de fatores de riscos
e a definição de estratégias de melhoria da situação existente, além do acompanha-
mento dos impactos resultantes das medidas implementadas.

O monitoramento de investigação consiste em buscar informações sobre a qua-
lidade da água em casos de acidentes ou eventos de surto/epidemia de doença de
transmissão hídrica, sendo, no segundo caso, uma ferramenta de investigação epi-
demiológica. Deve ser efetivado a partir da ocorrência do fato e em conjunto com
a área de vigilância epidemiológica, objetivando avaliar, inclusive, o significado que
o resultado do monitoramento da qualidade da água representa na investigação do
surto/epidemia.

O monitoramento realizado pela vigilância da qualidade da água para consumo
humano visa a:

• avaliar a qualidade da água consumida pela população ao longo do tempo;
• subsidiar a associação entre agravos à saúde e situações de vulnerabilidade;
• identificar pontos críticos/vulneráveis (fatores de risco) em sistemas e solu-

ções alternativas coletivas de abastecimento;
• identificar grupos populacionais expostos a situações de risco;
• monitorar a qualidade da água fornecida pelos responsáveis pelo controle;
• avaliar a qualidade da água consumida pela população não atendida pelos

sistemas ou soluções alternativas coletivas;
• avaliar a eficiência do tratamento da água;
• avaliar a integridade do sistema de distribuição;
• orientar os responsáveis pela operação dos sistemas ou soluções alternativas

coletivas de abastecimento de água à medida que desconformidades forem
detectadas para a tomada de providências imediatas;

• orientar as medidas preventivas, tais como proteção de mananciais, otimiza-
ção do tratamento, manutenção dos sistemas de distribuição, entre outras.

No monitoramento da vigilância, deve-se procurar conciliar os seguintes aspectos:

• observação dos princípios de amostragem – abrangência e representa-
tividade – de forma que satisfaçam os objetivos de avaliação de risco;

• infra-estrutura e capacidade instalada necessárias, incluindo:
• recursos humanos;
• recursos financeiros;
• suporte laboratorial.
• complementaridade entre os planos de controle e vigilância.

Manual de procedimentos de vigilância em saúde ambiental relacionada à qualidade da água para consumo humano

164 Secretaria de Vigilância em Saúde

Em relação ao último item, é de fundamental importância a atuação harmô-
nica e articulada entre os responsáveis pelo controle e pela vigilância, evitando a
duplicidade de esforços, facilitando a racionalização de custos e, acima de tudo,
promovendo a ação integrada em um único objetivo – o da avaliação permanente
de riscos à saúde.

INFORMAÇõES NECESSÁRIAS À ELABORAÇÃO DO PLANO
DE MONITORAMENTO DA VIGILÂNCIA DA QUALIDADE DA ÁGUA
PARA CONSUMO HUMANO

A seguir, são apresentadas sugestões de informações