Manual de procedimentos de água em vigilância em saúde ambiental.
286 pág.

Manual de procedimentos de água em vigilância em saúde ambiental.

Disciplina:Gestão de Recursos Hídricos180 materiais1.629 seguidores
Pré-visualização50 páginas
DA VIGILÂNCIA DA QUALIDADE
DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO

As informações fornecidas pelos responsáveis pelo controle de qualidade da
água e geradas pela própria Vigilância devem ser submetidas à análise integrada
para verificação das tendências, das convergências ou das divergências. Não se deve
esquecer que o plano de monitoramento implementado pela Vigilância cumpre,
além de papel complementar ao do controle, a função de “controle do controle”.

Continuação

Manual de procedimentos de vigilância em saúde ambiental relacionada à qualidade da água para consumo humano

209 Secretaria de Vigilância em Saúde

Considerando que o plano de monitoramento efetuado pelo controle da quali-
dade da água é (ou deve ser) mais amplo do que o realizado pela Vigilância, o con-
junto das informações (o banco de dados) fornecidas pelo controle é, usualmente,
mais representativo do ponto de vista estatístico.

De qualquer forma, caso não se verifique certo paralelismo entre as informações
obtidas pela Vigilância e aquelas fornecidas pelo controle, torna-se necessário pro-
ceder a uma averiguação dos motivos, tais como:

• verificação dos procedimentos de coleta e transporte das amostras, in-
cluindo materiais e kits de medição em campo, pontos exatos de amos-
tragem, etc.;

• verificação dos procedimentos laboratoriais – das técnicas e dos méto-
dos empregados, da calibração e da validação dos equipamentos, da
validade de reagentes e dos meios de cultura,etc.

Em todo caso, qualquer análise deve guardar confiabilidade e, portanto, deve
poder comprovar:

• o laboratório e o técnico responsável pela análise;
• a data da coleta e do processamento da amostra;
• a descrição da amostra e do ponto de coleta;
• os procedimentos de coleta e conservação da amostra;
• o método analítico empregado.

A análise conjunta das informações de controle e de vigilância é ilustrada, dan-
do continuidade ao exemplo do município de Água Azul, apresentado inicialmente
no item Sistemas de abastecimento de água neste capítulo. A seguir apresentam-se
quadros comparativos entre as análises de Vigilância e do Controle de qualidade
da água dos Sistemas 1 e 2, incluindo os parâmetros: colimetria, turbidez, cloro
residual livre e flúor (este último somente para o Sistema 1).

Manual de procedimentos de vigilância em saúde ambiental relacionada à qualidade da água para consumo humano

210 Secretaria de Vigilância em Saúde

Pl
an

ilh
a

10
.4

 –
 C

o
m

p
ar

aç
ão

 e
n

tr
e

o
s

d
ad

o
s

d
a

vi
g

ilâ
n

ci
a

e
d

o
 c

o
n

tr
o

le
 d

e
q

u
al

id
ad

e
d

a
ág

u
a

d
e

Á
g

u
a

A
zu

l,
Si

st
em

a
1

M
êS

/2
00

2

BA
C

TE
RI

O
LO

G
IA

TU
RB

ID
Ez

C
RL

FL
Ú

O
R

V
IG

IL
Â

N
C

IA
C

O
N

TR
O

LE
V

IG
IL

Â
N

C
IA

C
O

N
TR

O
LE

V
IG

IL
Â

N
C

IA
C

O
N

TR
O

LE
V

IG
IL

Â
N

C
IA

C
O

N
TR

O
LE

C
O

LE
TA

S
C

T
C

F
C

O
LE

TA
S

C
T

C
TE

C
O

LE
TA

S
N

A
C

O
LE

TA
S

N
A

C
O

LE
TA

S
N

A
C

O
LE

TA
S

N
A

C
O

LE
TA

S
N

A
C

O
LE

TA
S

N
A

ja
ne

ir
o

18
0

0
26

0
0

18
7

26
3

18
2

26
0

1
1

26
20

fe
ve

re
ir

o
9

4
0

24
0

0
9

7
26

4
8

0
26

0
1

0
25

17

m
ar

ço
20

0
0

21
0

0
20

0
21

3
20

0
21

0
N

R
20

5

ab
ri

l
33

6
0

32
2

N
R

32
7

32
3

33
2

32
0

3
2

32
9

m
ai

o
17

1
0

19
0

0
17

1
19

2
17

1
19

0
2

0
17

0

ju
nh

o
20

3
2

22
1

N
R

19
1

22
1

20
0

22
0

3
1

22
12

ju
lh

o
30

2
2

25
0

0
30

0
25

0
30

0
25

1
3

0
25

13

ag
os

to
19

2
0

20
0

0
19

0
20

0
18

0
20

0
2

1
20

9

se
te

m
br

o
30

5
0

N
R

20
1

N
R

30
1

N
R

N
R

N
R

ou
tu

br
o

23
0

0
28

0
0

23
0

29
3

23
0

29
0

2
0

29
6

no
ve

m
br

o
21

0
0

13
1

N
R

16
1

12
2

21
2

13
0

4
0

10
3

de
ze

m
br

o
20

0
0

17
0

0
20

1
17

3
20

1
17

0
2

0
16

5

A
M

O
ST

RA
S

FO
RA

 D
O

 P
A

D
RÂ

O
 (

%
)

M
êS

/2
00

2
V

IG
IL

Â
N

C
IA

C
O

N
TR

O
LE

V
IG

IL
Â

N
C

IA
C

O
N

TR
O

LE
V

IG
IL

Â
N

C
IA

C
O

N
TR

O
LE

V
IG

IL
Â

N
C

IA
C

O
N

TR
O

LE

A
M

O
ST

RA
S

C
T

(%
)

C
F

(%
)

A
M

O
ST

RA
S

C
T

(%
)

C
TE

(%

)
A

M
O

ST
RA

S
N

A

(%
)

A
M

O
ST

RA
S

N
A

(%

)
A

M
O

ST
RA

S
N

A
A

M
O

ST
RA

S
N

A
A

M
O

ST
RA

S
N

A
A

M
O

ST
RA

S
N

A

ja
ne

ir
o

18
0

0
26

0
0

18
4

26
12

18
11

26
0

1
na

26
77

fe
ve

re
ir

o
9

44
0

24
0

0
9

78
26

15
8

0
26

0
1

na
25

68

m
ar

ço
20

0
0

21
0

0
20

0
21

14
20

0
21

0
N

R
na

20
25

ab
ri

l
33

18
0

32
6

N
R

32
22

32
9

33
6

32
0

3
na

32
28

m
ai

o
17

6
0

19
0

0
17

6
19

11
17

6
19

0
2

na
17

0

ju
nh

o
20

15
10

22
4

N
R

19
5

22
5

20
0

22
0

3
na

22
55

ju
lh

o
30

7
7

25
0

0
30

0
25

0
30

0
25

4
3

na
25

52

ag
os

to
19

11
0

20
0

0
19

0
20

0
18

0
20

0
2

na
20

45

se
te

m
br

o
30

17
0

N
R

20
5

N
R

30
3

N
R

N
R

N
R

ou
tu

br
o

23
0

0
28

0
0

23
0

29
10

23
0

29
0

2
na

29
21

no
ve

m
br

o
21

0
0

13
8

N
R

16
6

12
17

21
9

13
0

4
na

10
30

de
ze

m
br

o
20

0
0

17
0

0
20

5
17

18
20

5
17

0
2

na
16

31

Manual de procedimentos de vigilância em saúde ambiental relacionada à qualidade da água para consumo humano

211 Secretaria de Vigilância em Saúde

Pl
an

ilh
a

10
.5

 –
 C

o
m

p
ar

aç
ão

 e
n

tr
e

o
s

d
ad

o
s

d
a

vi
g

ilâ
n

ci
a

e
d

o
 c

o
n

tr
o

le
 d

e
q

u
al

id
ad

e
d

a
ág

u
a

d
e

Á
g

u
a

A
zu

l,
Si

st
em

a
2

M
êS

/2
00

2
BA

C
TE

RI
O

LO
G

IA
TU

RB
ID

Ez
C

RL
V

IG
IL

Â
N

C
IA

C
O

N
TR

O
LE

V
IG

IL
Â

N
C

IA
C

O
N

TR
O

LE
V

IG
IL

Â
N

C
IA

C
O

N
TR

O
LE

C
O

LE
TA

S
C

T
C

F
C

O
LE

TA
S

C
T

C
TE

C
O

LE
TA

S
N

A
C

O
LE

TA
S

N
A

C
O

LE
TA

S
N

A
C

O
LE

TA
S

N
A

ja
ne

ir
o

10
1

0
17

2
N

R
10

1
17

2
10

1
17

1
fe

ve
re

ir
o

7
0

0
14

0
0

7
0

15
1

9
6

16
6

m
ar

ço
10

1
0

8
0

0
10

1
17

2
10

1
17

3
ab

ri
l

10
4

1
24

0
0

10
4

24
0

10
8

24
0

m
ai

o
10

2
0

9
0

0
10

0
9

1
10

0
9

1
ju

nh
o

10
3

2
20

0
0

8
2

20
2

10
4

20
0

ju
lh

o
10

0
0

18
1

N
R

10
0

19
2

10
0

17
0

ag
os

to
10

0
0

14
2

N
R

10
0

14
2

10
0

14
1

se
te

m
br

o
10

0
0

25
1

N
R

10
0

26
1

10
0

25
0

ou
tu

br
o

9
0

0
20

0
0

9
0

20
1

10
1

20
1

no
ve

m
br

o
10

0
0

8
0

0
10

0
8

1
10

0
8

0
de

ze
m

br
o

10
0

0
10

1
N

R
10

0
9

1
10

0
10

3

A
M

O
ST

RA
S

FO
RA

 D
O

 P
A

D
RÂ

O
 (

%
)

M
êS

/2
00

2
V

IG
IL

Â
N

C
IA

C
O

N
TR

O
LE

V
IG

IL
Â

N
C

IA
C

O
N

TR
O

LE
V

IG
IL

Â
N

C
IA

C
O

N
TR

O
LE

N
o

A
M

O
ST

RA
S

C
T

(%
)

C
F

(%
)

N
o

A
M

O
ST

RA
S

C
T

(%
)

C
TE

(%

)
N

o
A

M
O

ST
RA

S
N

A

(%
)

N
o

A
M

O
ST

RA
S

N
A

(%

)
C

O
LE

TA
S

N
A

C
O

LE
TA

S
N

A

ja
ne

ir
o

10
10

0
17

12
N

R
10

10
17

12
10

10
17

6
fe

ve
re

ir
o

7
0

0
14

0
0

7
0

15
7

9
7

16
4

m
ar

ço
10

10
0

8
0

0
10

10
17

12
10

10
17

18
ab

ri
l

10
40

10
24

0
0

10
40

24
0

10
80

24
0

m
ai

o
10

20
0

9
0

0
10

0
9

11
10

0
9

11
ju

nh
o

10
30

20
20

0
0

8
25

20
10

10
40

20
0

ju
lh

o
10

0
0

18
6

N
R

10
0

19
11

10
0

17
0

ag
os

to
10

0
0

14
14

N
R

10
0

14
14

10
0

14
7

se
te

m
br

o
10

0
0

25
4

N
R

10
0

26
4

10
0

25
0

ou
tu

br
o

9
0

0
20

0
0

9
0

20
5

10
10

20
5

no
ve

m
br

o
10

0
0

8
0

0
10

0
8

13
10

0
8

0
de

ze
m

br
o

10
0

0
10

10
N

R
10

0
9

11
10

0
10

30

Manual de procedimentos de vigilância em saúde ambiental relacionada à qualidade da água para consumo humano

212 Secretaria de Vigilância em Saúde

Gráfico 10.3 – Comparação entre análises da vigilância e do controle
de qualidade, Sistema 1, bacteriologia (2002)

Gráfico 10.4 – Comparação entre análises de vigilância e do controle
de qualidade, Sistema 2, bacteriologia (2002)

Manual de procedimentos de vigilância em saúde ambiental relacionada à qualidade da água para consumo humano

213 Secretaria de Vigilância em Saúde

ExEMPLO – Análise integrada das informações do controle