Resumo macro 1
23 pág.

Resumo macro 1

Disciplina:Macroeconomia I277 materiais10.068 seguidores
Pré-visualização8 páginas
não,	
   por	
  terem	
  ajuda	
  do	
  governo	
  caso	
  fiquem	
  desempregadas.	
  

	
  
Determinação	
  de	
  preços	
  
	
  Os	
  preços	
   fixados	
  pelas	
  empresas	
  dependem	
  de	
  seus	
  custos.	
  Os	
  custos,	
  por	
  sua	
  vez,	
   dependem	
   de	
   uma	
   função	
   de	
   produção,	
   que	
   é	
   simplificada	
   no	
   livro	
   de	
  Blanchard	
  como:	
  	
   Y = AN	
  	
  Y	
  =	
  Produto	
  N	
  =	
  Emprego	
  A	
  =	
  Produtividade	
  do	
  trabalho	
  Essa	
   função	
   supõe	
   que	
   o	
   trabalho	
   é	
   o	
   único	
   fator	
   de	
   produção	
   e	
   que	
   a	
  produtividade	
  é	
  constante	
  (simplificação	
  da	
  equação	
  Cobb-­‐Douglas).	
  Supondo	
  também	
  que	
  cada	
  trabalhado	
  produza	
  um	
  produto	
  (A	
  =	
  1)	
  obtemos:	
  	
   Y	
  =	
  N	
  	
  Essa	
  função	
  representa	
  que	
  para	
  cada	
  produto	
  a	
  mais	
  que	
  deve	
  ser	
  produzido,	
  a	
  empresa	
   deve	
   contratar	
   um	
   funcionário	
   a	
   mais,	
   pagando	
   um	
   salario	
   W.	
   Em	
  outras	
   palavras,	
   o	
   custo	
   para	
   se	
   produzir	
   um	
   produto	
   a	
  mais	
   é	
  W.	
   Já	
   que	
   não	
  existe	
   concorrência	
   perfeita,	
   as	
   empresas	
   cobram	
  por	
   seus	
  produtos	
  um	
  preço	
  maior	
  do	
  que	
  o	
  seu	
  custo	
  marginal.	
  Esse	
  fato	
  pode	
  ser	
  expresso	
  pela	
  função:	
  	
   P	
  =	
  (1	
  +	
  μ)	
  W	
  (O	
  preço[P]	
  é	
  determinado	
  por	
  um	
  valor	
  acima	
  [1+	
  μ]	
  de	
  seu	
  custo	
  marginal[W])	
  	
  (Gráfico	
  pg.	
  112)	
  	
  
	
  
	
  
Taxa	
  natural	
  de	
  desemprego	
  	
  Vamos	
  supor	
  daqui	
  em	
  diante	
  que	
  o	
  salario	
  é	
  determinado	
  pelo	
  nível	
  de	
  preço	
  efetivo	
  (P)	
  em	
  vez	
  do	
  nível	
  esperado	
  de	
  preço	
  (Pe).	
  	
   W = P  F(u, z)	
  Reescrevendo	
  a	
  formula	
  obtemos:	
  	
   WP = F(u, z)	
  	
  A	
  relação	
  acima	
  é	
  chamada	
  de	
  relação	
  de	
  fixação	
  de	
  salários	
  (FS).	
  Uma	
  maior	
  nível	
  de	
  desemprego	
  resulta	
  em	
  um	
  menor	
  salário.	
  	
  Reescrevendo	
  a	
  equação	
  P	
  =	
  (1	
  +	
  μ)	
  W	
  obtemos:	
  	
   𝑃𝑊 = 1+  µμ	
  

	
  ou,	
  para	
  obter	
  o	
  salario	
  real	
  resultante:	
  	
   𝑊𝑃 =   11+  µμ	
  	
  Essa	
  equação	
  nos	
  mostra	
  que	
  quanto	
  maior	
  for	
  a	
  margem	
  (μ)	
  fixada	
  por	
  todas	
  as	
  empresas,	
  maior	
   o	
   nível	
   de	
   preços	
   e,	
   consequentemente,	
  menor	
   será	
   o	
   salário	
  real	
  do	
  trabalhadores.	
  Essa	
  relação	
  é	
  chamada	
  de	
  relação	
  de	
  fixação	
  de	
  preços	
  
(FP).	
  	
  (Gráfico	
  pg.	
  112)	
  	
  	
  	
  O	
  equilíbrio	
  do	
  mercado	
  de	
  trabalho	
  requer	
  que	
  o	
  salario	
  escolhido	
  na	
  fixação	
  de	
  salários	
  seja	
  igual	
  ao	
  salário	
  determinado	
  pela	
  fixação	
  de	
  preços.	
  	
  Podemos	
  determinar	
  essa	
  igualdade	
  unindo	
  as	
  fórmulas	
  !! =   !!!  !	
  	
  e	
  	
  	
  !! = F(u, z):	
  	
   F u, z =   11+  µμ	
  	
  Uma	
  aumento	
  no	
  seguro-­‐desemprego	
  (contido	
  em	
  z)	
  desloca	
  a	
  curva	
  FS	
  para	
  a	
  direita,	
   e,	
   aumentando	
   o	
   salário,	
   a	
   taxa	
   de	
   desemprego	
   aumenta,	
   trazendo	
   o	
  salario	
  real	
  de	
  volta	
  para	
  o	
  que	
  as	
  empresas	
  estão	
  dispostas	
  a	
  pagar.	
  	
  (Gráfico	
  pg.	
  113)	
  	
  Um	
  aumento	
  da	
  margem	
  (μ)	
  pelas	
  empresas	
  resulta	
  em	
  um	
  menor	
  salario	
   real	
  (W/P),	
  deslocando	
  a	
  curva	
  FP	
  para	
  baixo	
  e	
  aumentando	
  a	
  taxa	
  de	
  desemprego.	
  A	
  taxa	
   de	
   desemprego	
   maior	
   é	
   necessária	
   para	
   que	
   os	
   trabalhadores	
   possam	
  aceitar	
  os	
  salários	
  menores.	
  	
  	
  	
  A	
  taxa	
  de	
  desemprego	
  é	
  definida	
  por:	
  	
   u   ≡  UL =  L− NL = 1−  NL 	
  (taxa	
  de	
  desemprego	
  =	
  numero	
  de	
  desempregados	
  em	
  relação	
  ao	
  total	
  da	
  força	
  de	
  trabalho	
  =	
  	
  força	
  de	
  trabalho	
  menos	
  os	
  empregados	
  sobre	
  a	
  própria	
  força	
  de	
  trabalho)	
  	
  u	
  =	
  Taxa	
  de	
  desemprego	
  U	
  =	
  Desemprego	
  (número	
  de	
  pessoas)	
  N	
  =	
  Emprego	
  (número	
  de	
  pessoas)	
  L	
  =	
  Força	
  de	
  trabalho	
  

	
  Reorganizando	
  a	
  fórmula	
  acima,	
  obtemos:	
  	
   N = L(1− u)	
  	
  Relacionando	
  essa	
  fórmula	
  (nível	
  natural	
  de	
  emprego)	
  com	
  a	
  função	
  de	
  produção	
  (Y	
  =	
  N,	
  como	
  vimos	
  anteriormente),	
  obtemos	
  o	
  nível	
  natural	
  de	
  produto:	
  	
   Y =  N = L(1− u)	
  	
  Com	
   essa	
   nova	
   igualdade,	
   podemos	
   escrever	
   o	
   equilíbrio	
   de	
   mercado	
   de	
  trabalho,	
  relacionando	
  então	
  o	
  nível	
  natural	
  de	
  produto	
  com	
  o	
  equilíbrio	
  do	
  
mercado	
  de	
  trabalho:	
  
	
   F 1−  YL , z =   11+  µμ	
  (salário	
  real	
  escolhido	
  na	
  fixação	
  de	
  salários	
  =	
  salario	
  real	
  resultante	
  da	
  fixação	
  de	
  preços)	
  	
  “Vamos	
  fazer	
  um	
  resumo:	
  
-­‐	
  O	
  salários	
  real	
  escolhido	
  na	
  fixação	
  de	
  salários	
  é	
  uma	
  função	
  decrescente	
  da	
  taxa	
  
de	
  desemprego	
  
-­‐	
  O	
  salario	
  real	
  resultante	
  da	
  fixação	
  de	
  preços	
  é	
  constante	
  
-­‐	
   O	
   equilíbrio	
   de	
   mercado	
   de	
   trabalho	
   requer	
   que	
   o	
   salario	
   real	
   escolhido	
   na	
  
fixação	
  de	
  salários	
  seja	
  igual	
  ao	
  salario	
  real	
  resultante	
  da	
  fixação	
  de	
  preços.	
  
-­‐	
  Isso	
  determina	
  a	
  taxa	
  de	
  desemprego	
  de	
  equilíbrio.	
  
-­‐	
   essa	
   taxa	
   de	
   desemprego	
   de	
   equilíbrio	
   é	
   conhecida	
   como	
   a	
   taxa	
   natural	
   de	
  
desemprego.	
  
-­‐	
  relacionados	
  com	
  a	
  taxa	
  natural	
  de	
  desemprego	
  estão	
  o	
  nível	
  natural	
  de	
  emprego	
  
e	
  o	
  nível	
  natural	
  de	
  produto.”	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  

CAPÍTULO	
  7	
  (Modelo	
  OA-­‐DA)	
  
	
  

	
  
Oferta	
  agregada	
  (OA)	
  	
  A	
  oferta	
   agregada	
   reflete	
   as	
   implicações	
  do	
  equilíbrio	
  do	
  mercado	
  de	
   trabalho,	
  visto	
  no	
  capítulo	
  6.	
  	
  A	
  oferta	
  agregada	
  representa	
  os	
  efeitos	
  do	
  produto	
  (Y)	
  sobre	
  o	
  nível	
  de	
  preços	
  (P)	
  e	
  pode	
  ser	
  derivada	
  do	
  comportamento	
  de	
  salários	
  e	
  preços.	
  	
  Unindo	
  a	
  equação	
  de	
  determinação	
  de	
  do	
  salário	
  W	
  =	
  Pe	
  F(u,z)	
  e	
  a	
  equação	
  para	
  determinação	
   de	
   preços	
   P	
   =	
   (1	
   +	
   μ)	
  W,	
   porém	
   sem	
   a	
   hipótese	
   de	
   que	
   o	
   nível	
  esperado	
   de	
   preço	
   (Pe)	
   seja	
   igual	
   ao	
   nível	
   de	
   preço	
   em	
   si	
   (P),	
   como	
   fizemos	
  anteriormente,	
  chegamos
Natalia Pessoa fez um comentário
  • resumo de macroeconomia
    0 aprovações
    Carregar mais