Resumão de Direito Empresarial e Comercial
19 pág.

Resumão de Direito Empresarial e Comercial

Disciplina:Direito Comercial I48 materiais538 seguidores
Pré-visualização5 páginas
de 5% dos valores de vendas dos bens.

Na recuperação judicial: os 5% é baseado nos valores dos créditos da empresa, pois não haverá venda do patrimônio da empresa.

Função do Administrador:

Arrecadar os Bens (para fazer parte da massa falida);

O administrador (e este fala com o juiz por meio de relatórios) será o centro das informações (acesso irrestrito a cartas e e-mail da empresa) ;

O administrador faz o Quadro Geral de recebimentos.

Comitê de credores (Art. 26 e SS da Lei 11.101/05) é um órgão facultativo: Fiscaliza as atividades do administrador judicial.
Composto por no maximo 03 pessoas que são: Um indicado pelas classes trabalhistas (sindicato); Um representante indicado pelas classe dos credores com direitos reais e privilégios especiais; Um representante indicados pela classe de credores quirografários e privilégios gerais.

Assembléia Geral de Credores (Art. 35 e SS da Lei 11.101/05):

O voto na assembléia de credores é proporcional ao credito a receber e o quorum de decisão é de maioria dos créditos presentes na assembléia. Exceto o quorum de plano de recuperação judicial que será: dividido em dois grupos – a) Grupo 1: Créditos trabalhista e decorrente de acidente de trabalho decidido pela maioria dos credores presentes; b) Grupo 2: Composto pelos demais credores; ambos decidem pela maioria dos credores presente se maioria dos créditos presentes.

Falência

Legitimidade para pedir a falência: Qualquer credor (empresário regularmente registrado na junta comercial ou não empresário) e o próprio devedor podem pedir a sua falência.

Motivos para acontecer uma falência (Art. 94)

Atos de falência: Ex. Venda simulada para prejudicar os credores ou a preço muito abaixo do mercado.

Impontualidade: Ex. sentença condenatória não cumprida

Titulo executivo extrajudicial: Protestado e com valor mínimo de 40 salários mínimos.

Ordem de classificação dos créditos (art. 84 e 83 da lei):

Preferência absoluta: Credores Extraconcursais (credores que surgiram após a decretação da falência) – Pagamentos dos honorários do administrador, pessoas contratadas depois da decretação da falência etc.

Credores Concursais (antes da decretação da falência):

Trabalhistas (até 150 salários mínimos) e Acidentes de trabalhos (não tem limite)
Credor com garantia real (até o limite do valor do bem);
Crédito tributário; salvo as multas tributarias que são créditos quirografários.
Créditos com privilégio especial (Tem direito de retenção);
Credito com privilegio geral (não tem direito de retenção);
Credores quirografários: Não tem nenhum dos benefícios anteriores e neste estará também a sobra do credito trabalhista, sobra do credito com garantia real, todas as multas inclusive multa tributaria.
Credor subordinado: Pro labore dos sócios.

Procedimento

Inicio do procedimento de falência: Petição inicial deixando claros os motivos (Art.94); depois o devedor será citado e poderá em 10 dias fazer sua contestação (ultimo prazo para elisão de falência: pagou o valor determinado para evitar a falência e/ou pedir a recuperação judicial); depois sentença (caso esta decretar a falência cabe agravo de instrumento por parte do devedor, agora caso seja decretada improcedente cabe recurso de apelação por parte do credor). Caso Favorável a sentença indica-se o Administrador, lacração da empresa, registra na junta comercial o resultado da falência e o juiz fixa o termo Legal, (art.99): é ineficaz (art. 129, I, II, III): a) o pagamento antecipado; b) pagamento de forma diferente a acordada; garantia real constituído dentro do termo legal, que devera durar no máximo 90 dias contado retroativamente do primeiro protesto ou do pedido de falência.

DIREITO COMERCIAL / EMPRESARIAL

Depois da sentença será publicado um edital de convocatória dos credores: os mesmos terão 15 dias para fazerem sua habilitação.

O credor que entra atrasado após os 15 dias é chamado de credor retardatário (art.10): a) Este não tem direito de voto (porque ainda não entrou na falência), salvo os credores trabalhistas; b) Não tem direito aos acessórios existentes após o prazo da habilitação (não posso atualizar meu credito a partir da data correta da habilitação).

Procedimentos de entrada na falência são:

Antes do quadro geral de credores: Forma processual será uma simples impugnação.

Após o quadro geral de credores: Forma processual será processo de conhecimento do rito ordinário. Ação de habilitação e retificação dos quadros de credores.

Após as devidas habilitações o administrador Judicial fará o quadro geral de credores.

Liquidação: venda dos bens.

Encerramento do procedimento de falência: Porque vendeu todos os bens e não tem mais o que fazer com os demais credores.

Ação Revocatória (art. 130 e SS)

Ação apensada ao processo falimentar à legitimidade ativa desta ação será: a) qualquer credor; b) administrador Judicial, c) MP, esta ação será usada quando ocorrer fraude contra credores provando o conluio fraudulento e a má-fé.

Fraude contra credores usa-se: Ação Pauliana (no direito civil) já no processo de falência Ação Revocatória tendo prazo de 03 anos da decretação da falência.

Pedido de Restituição (Art. 85 e SS): Usado quando um proprietário de um bem que foi arrecadado por uma massa falida que te-lo de volta. Ex. a) Veículo com alienação fiduciária, b) fornecedor que entregou mercadorias para empresa falida até 15 dias antes do pedido de falência.

 6- Recuperações judiciais: aquele empresário que ainda tem condições de se recuperar de uma determinada crise.

Requisitos (art.48):

Devedor que exerce atividade empresarial devidamente registrado na junta comercial a pelo menos 02 anos;

O devedor não pode ser falido;

Não pode ter

Quando já pediu uma recuperação judicial poderá pedir nova após 05 anos da data da concessão e ainda se for de recuperação de plano especial será de 08 anos do prazo da concessão.

Procedimentos:

Petição Inicial contendo:

Apresentar todos os requisitos do (Art.48);
Apresentar os documentos do (Art.51);

Juiz

Deferir o processo de Recuperação judicial (Súmula 264 do STJ – decisão que defere a recuperação judicial não cabe recurso) - (No caso de indeferimento cabe agravo)
Após deferimento da recuperação judicial.

Prazos Prescricionais e ações em andamento serão suspensos por 180 dias. Exceto: Ações trabalhistas, Ações tributaria e fiscais.

Atribui ao devedor prazo de 60 dias para que o devedor apresente sua proposta de recuperação. Após a entrega da proposta o credor terá 30 dias para apresentar objeção total ou parcial da proposta dos devedores.

 Não havendo impugnação dos credores o juiz homologa a recuperação. Agora havendo impugnação esta proposta será avaliada pela assembléia geral com quorum do (art.45), após a aprovação da assembléia será homologado pelo juiz, caso não aprovada o juiz decretará a falência.

Plano Especial (art. 70 a 72): Somente poderá ser pedido por um devedor que, seja microempresa ou Empresa de pequeno porte (LC 123/06) é microempresa quando o faturamento anual de até R$ 240.000,00, já no caso de empresa de pequeno porte será acima de R$ 240.000,00 a 2.400.000,00.
E ainda se os devedores atingidos sejam os devedores quirografários.
E a proposta esta previsto na lei que é: Parcelamento em 36 meses a primeira parcela será após 180 dias da distribuição e os juros serão de 12 % ao ano.

Recuperação Extrajudicial (Art. 161 a 163)

Os Credores que não podem participar desta recuperação extrajudicial que são: I) Credor Tributário; II Credor trabalhista e decorrente de acidente de trabalho.
Quando todos os credores concordam com esta proposta a homologação judicial é facultativa já que todos assinaram e terão que cumprir. Agora se 3/5 dos credores aceitam e os demais não aceitaram e para que todos sejam atingidos terá que ser feita a homologação judicial.

Contratos Mercantis

Representação Comercial (lei 4.886/65)

	REPRESENTANTE
	REPRESENTADO

	Pessoa física ou jurídica devidamente registrada conselho regional de representantes comerciais.