568 pág.

Aulas de Tecnologia da Construção

Disciplina:Tecnologia da Construção902 materiais6.876 seguidores
Pré-visualização23 páginas
inclinadas ou escalonadas.

Altura: relativamente grande (necessário para que trabalhem essencialmente

à compressão).

 Blocos:
Arquitetura e Urbanismo

Arquitetura e Urbanismo

Foto de bloco em alvenaria de pedra corrida com cintamento inferior.

Arquitetura e Urbanismo
 Sapatas:( H ≤ B)

As sapatas transmitem para o solo, através de sua base, a carga de uma

coluna (pilar) ou um conjunto de paredes.

É um elemento de fundação de concreto armado, de altura menor que o
bloco, utilizando armadura para resistir a esforços de tração e flexão.

Ao contrário dos blocos e alicerces, as sapatas não trabalham apenas à
compressão simples.
As sapatas de concreto armado, podem ter

formato piramidal ou cônico, possuindo pequena

altura em relação a sua base, que pode ter forma
quadrada ou retangular (formatos mais comuns).

Sapata isolada.

Arquitetura e Urbanismo
 Sapatas:

Arquitetura e Urbanismo

Principais diferenças entre blocos e sapatas:

maior altura; BLOCOS:

 trabalha basicamente à compressão;

concreto simples (em geral).

trabalha à flexão;

 concreto armado para resistir

esforços de tração e cisalhantes.

SAPATAS: pequena altura;

Sapatas isoladas - São aquelas que transmitem ao solo (através da sua

base) a carga de um pilar.

Arquitetura e Urbanismo
 Sapatas: Tipos

No caso de pilares de formato não-

retangular, a sapata deve ter seu

centro de gravidade coincidindo com o

centro de cargas.

Recebem as cargas de apenas um pilar.

É a solução preferencial por ser, em geral, mais econômica porque consome

menos concreto.

As sapatas podem ter vários formatos, mas o mais comum é o cônico

retangular, pois consome menos concreto e exige trabalho mais simples

com a fôrma.

P
Sapata isolada de

concreto armado

Quadrada Retangular

Circular Poligonal

Sapatas isoladas:

Arquitetura e Urbanismo

- circulares - (B = ∅)
- quadradas - ( L = B )

- retangulares - ( L > B ) e

( L ≤ 3B ou L ≤ 5B )
- corridas - ( L > 3B ou L > 5B )

Sapatas isoladas:

Arquitetura e Urbanismo

Seqüência de produção de uma sapata isolada.

Arquitetura e Urbanismo

Sapatas isoladas:

Seqüência de produção de uma sapata isolada.

Arquitetura e Urbanismo
 Sapatas: Tipos:

 Sapatas Corridas: Recebem as cargas direto das paredes. A transferência
de carga é feita linearmente. As sapatas corridas são sucedâneas dos
alicerces,para paredes mais carregadas ou solos menos resistentes.

.
,

Sapata associada: Utilizadas quando há pilares muito próximos e as

sapatas isoladas se sobreporiam. Além disso, podem ser necessárias

quando as cargas estruturais forem grandes. Como nas sapatas isoladas, o

posicionamento da peça de fundação deve respeitar o centro de cargas dos

pilares.

 Sapatas: Tipos:
Arquitetura e Urbanismo

 Sapatas: Tipos:
Arquitetura e Urbanismo

Sapatas alavancadas: Caso o projeto preveja uma sapata em divisa de

terreno ou com algum obstáculo, a peça não consegue ter o centro de

gravidade e o centro de cargas coincidentes. Para compensar a

excentricidade das cargas, é necessário transferir parte dos esforços para

uma sapata próxima por meio de uma viga alavancada.

 Viga de Fundação: é um elemento que

recebe pilares alinhados, geralmente de

concreto armado: pode ter seção transversal

tipo bloco, sem armadura transversal, sendo

chamada de baldrame.

Arquitetura e Urbanismo

 Grelha: elemento de fundação constituído

por um conjunto de vigas que se cruzam nos
pilares.

Arquitetura e Urbanismo

Radier: A utilização de sapatas corridas é adequada economicamente

enquanto sua área em relação à da edificação não ultrapasse 50%.

Caso contrário, é mais vantajoso reunir todas as sapatas num só elemento

de fundação denominado radier.

Radier flexível Radier rígido

Podem ser executados dois tipos de sistemas com radier: sistema

constituído por laje de concreto (flexível) e sistema de laje e vigas de

concreto (sistema rígido).

Arquitetura e Urbanismo

Radier:

O radier é uma peça inteiriça, o que pode lhe conferir uma alta rigidez

(muitas vezes evita grandes recalques).

Arquitetura e Urbanismo

Seqüência de produção de uma fundação em Radier.

Arquitetura e Urbanismo

Seqüência de produção de uma fundação em Radier.

Arquitetura e Urbanismo

Fundação Artificial: Consiste apenas em uma modificação das condições

naturais do terreno, de modo a que melhore sua resistência, apoiando-se

depois uma sapata ou um bloco sobre o mesmo.

Feita a cava destinada à fundação, podemos adensar o fundo, de modo

que fique mais firme.

a)Apiloando o fundo: Quando se soca o fundo da cava para que a terra

fique mais firme.(apiloamento)

b) Cravando pedras: Quando pedras são socadas com firmeza para

garantir uma constituição melhor da cava que reterá o bloco ou a sapata de
fundação.
c) Cravando pequenas estacas: Cravando estacas curtas de concreto

quando o terreno está mais fraco.
d) Fazendo um colchão de areia: Socando areia dentro do buraco de

forma a envolver a sapata ou bloco.

Arquitetura e Urbanismo

Pontos positivos das fundações superficiais:

• solução artesanal com alto consumo de mão-de-obra.

• solução trivial com recursos da obra;

• baixo custo;

• não provoca vibrações.

Desvantagens:

• problemas nas escavações junto às divisas;

• limitações para cargas muito altas;

FIM

Fundações Profundas

Arquitetura e Urbanismo

Profº Joel Filho

Arquitetura e Urbanismo

São aquelas em que a carga é transmitida ao terreno através de
sua base (resistência de ponta) e/ou superfície lateral
(resistência de atrito).

Fundação profunda:

As estacas são peças estruturais alongadas, de formato cilíndrico
ou prismático, que são cravadas (pré-fabricadas) ou
confeccionadas no local (in loco).

Os principais tipos de fundação profunda são:

Estaca - elemento de fundação executado com auxílio de
ferramentas ou equipamentos, execução esta que pode ser por
cravação a percussão, prensagem, vibração ou por escavação.

Arquitetura e Urbanismo

a) transmissão de cargas a camadas profundas do terreno;

b) contenção dos empuxos de terras ou de água (estaca prancha);

 c) compactação de terrenos.

As estacas recebem, da obra que suportam, esforços axiais de
compressão.

A estes esforços elas resistem, seja pela atrito das paredes
laterais da estaca contra o solo, seja pelas reações exercidas
pelo solo resistente sobre a ponta da peça.

Com as seguintes finalidades:

Arquitetura e Urbanismo

A figura que se segue ilustra definições dadas em relação ao
modo de trabalhar das estacas:

 a) a capacidade resistente da
estaca se compõe de duas parcelas:
atrito lateral e de ponta;

 b) a estaca é carregada na ponta,
trabalhando pois como pilar;

c) ela resiste pelo atrito lateral: é a
estaca flutuante;

d) a estaca atravessa um terreno
que se adensa sob seu peso
próprio, ou sob a ação de uma
camada de aterro sobrejacente,
produzindo o fenômeno do atrito
negativo, isto é, o solo em vez de
se opor ao afundamento da estaca,
contrariamente, vai pesar sobre
ela favorecendo assim a sua
penetração no solo.

Arquitetura e Urbanismo

Caracterizam-se por serem cravadas no terreno, podendo-se
utilizar os seguintes métodos: percussão, prensagem, vibração.

Os principais tipos de estacas são:

 As estacas de madeiras devem ser , resistente, em peças
retas,roliças e descascadas.

Elas podem ser: Madeira

Concreto

Aço

Estacas de Madeira:

 O diâmetro da seção pode
Engenharia Civil Civil fez um comentário
  • Disponibilize esse material para estudo
    0 aprovações
    itamar J santos fez um comentário
  • boa noite Lidiane disponibilize esse material para download por favor. estou lecionando e ele me ajudaria muito. Obrigado
    1 aprovações
    Carregar mais