Aulas Conforto II
495 pág.

Aulas Conforto II

Disciplina:Conforto Ambiental e Eficiência Energética II25 materiais823 seguidores
Pré-visualização15 páginas
(Exigências: maior que 10m2 e não serão aceitos
cômodos iguais entre os alunos)

• Documentar o mesmo com planta baixa, planta de
situação (norte), cortes esquemáticos, fotos, croquis,
cortes, perspectivas, tabelas...

• Analisar as variáveis de conforto quanto à iluminação
natural e propor medidas de correção através dos
sistemas apresentados em sala de aula.

• Liberdade para alterar os revestimentos, cobertas,
janelas, portas e outros fatores do ambiente, mantendo
apenas as dimensões da planta original.

Atividade Estruturada 02

• Apresentação em PowerPoint e Impresso.

• Definir os conceitos de iluminação utilizados no trabalho
e justificar a nova proposta.

DATAS DE APRESENTAÇÕES

TURMA SEGUNDA-FEIRA (NOITE): DIA 02DE SETEMBRO

TURMA TERÇA-FEIRA (MANHÃ): DIA 03 DE SETEMBRO

TURMA TERÇA-FEIRA (NOITE): DIA 10 DE SETEMBRO

Atividade Estruturada 02

Ex: Escritório. Problema: ofuscamento vindo da janela e
incidindo no meu plano de trabalho. A incidência de
sol direta é permitida? Como corrigir? Justificar
decisões de novo projeto.

FONTE: Ler os capítulos 5,6 e 7 do livro Iluminação e
Arquitetura (xerox) e pesquisar na norma NBR 5413.

Disciplina: Conforto Ambiental e
Eficiência Energética II

Professora: Carolina Ribeiro

AULA: GRANDEZAS
LUMINOTÉCNICAS

Conceitos Básicos

GRANDEZAS LUMINOTÉCNICAS

Grandezas relativas à percepção visual e fotométricas,
para definir índices de iluminação Natural e Artificial.

Conceitos Básicos

GRANDEZAS LUMINOTÉCNICAS

 ILUMINAÇÃO ARTIFICIAL ILUMINAÇÃO NATURAL

Fluxo Energético
Fluxo Luminoso

Intensidade Luminosa
Eficiência luminosa

Iluminância
Luminância
Contraste

Índice de Reprodução de Cor
Temperatura de Cor

Iluminância
Luminância
Contraste

Grandezas Luminotécnicas

1. FLUXO ENERGÉTICO (P)

• Unidade WATTS (W)

• Também conhecido como Potência.

• A potência do sistema artificial de iluminação é
determinada em função do sistema de iluminação
adotado e do nível de iluminância desejado. Ela
implicará no número de lâmpadas adotadas no
projeto e no consumo de energia final da
instalação.

Grandezas Luminotécnicas

2. FLUXO LUMINOSO (ϕ)

• Unidade: Lm (Lumen)

• Quantidade de luz irradiada por
uma fonte luminosa em todas as direções.

• Radiação total emitida por uma fonte luminosa,
dentro dos limites que produzem estímulo visual
(espectro magnético).

• Assim como no caso da Luz Natural, as fontes de
Luz Artificiais emitem ondas eletromagnéticas.

Grandezas Luminotécnicas

2. FLUXO LUMINOSO (ϕ)

 Quanto mais Lumens a

 Lâmpada tiver, maior

 será seu Fluxo

 Luminoso.

Grandezas Luminotécnicas

Diferença entre Watt e Lumen

O Watt indica o consumo de energia da lâmpada para
produzir luz; enquanto que o Lúmen mede o feixe
luminoso emitido pela lâmpada.

Ex: Algumas lâmpadas,
de LED, produzem o mesmo
fluxo luminoso (em lúmenes) em
comparação com uma lâmpada
tradicional, porém com um
consumo de energia mais baixo
(menos Watts).

Grandezas Luminotécnicas

Grandezas Luminotécnicas

3. INTENSIDADE LUMINOSA (I)

• Unidade: cd (candela)

• Definição de quantos Lumens são
emitidos por uma fonte luminosa.

• Fazer medições nas direções de utilização do Fluxo
Luminoso, já que a fonte luminosa não irradia luz
uniformemente em todas as dir

Grandezas Luminotécnicas

4. EFICIÊNCIA LUMINOSA (ƞ)

• Unidade: lm/W (lumen/watt)

• Relação entre o fluxo luminoso emitido por uma
fonte e sua potência consumida.

• Define o rendimento da lâmpada.

Grandezas Luminotécnicas

5. ILUMINÂNCIA (E)

• Unidade: Lx (Lux) ou Lm/m²

• Mais importante característica da iluminação.

• Medida da quantidade de luz incidente sobre uma
superfície, por unidade de área.

Grandezas Luminotécnicas

5. ILUMINÂNCIA (E)

Grandezas Luminotécnicas

6. LUMINÂNCIA

• Unidade: cd/m² (Candela por metro quadrado)

• Sensação de luminosidade decorrente de reflexão
dos raios por uma superfície.

Grandezas Luminotécnicas

Diferença entre Iluminância e Luminância

Iluminância (E)= luz incidente e não visível (Lux).

Luminância (L)= luz refletida, visível (cd/m²).

Grandezas Luminotécnicas

7. CONTRASTE

• Unidade: cd/m² (Candela por metro quadrado)

• Diferença relativa de Luminâncias entre um
determinado objeto e seu entorno.

• Diferença de Luminâncias= contraste de cores.

• C= (L objeto – L fundo) / L fundo

Grandezas Luminotécnicas

8. TEMPERATURA DE COR (TCC)

• Unidade: Kelvin (K)

As lâmpadas que possuem menos Kelvin produzem
uma luz amarela suave, criando um ambiente mais
acolhedor, enquanto que as lâmpadas que possuem
mais Kelvin produzem uma luz branca.

Grandezas Luminotécnicas

8. TEMPERATURA DE COR (TCC)

Grandezas Luminotécnicas

9. ÍNDICE DE REPRODUÇÃO DE COR (IRC)

• Unidade: 0 – 100 (adimensional)

• Este índice quantifica a fidelidade com que as cores
são reproduzidas sob uma determinada fonte de luz
em comparação a luz natural (radiação solar).

• Cada lâmpada reproduz diferentemente a cor do
objeto.

Lâmpada e a Eficiência Luminosa

Disciplina: Conforto Ambiental e
Eficiência Energética II

Professora: Carolina Ribeiro

AULA: SISTEMAS DE ILUMINAÇÃO
ARTIFICIAL

Conforto Lumínico

CONCEITO DE CONFORTO LUMÍNICO

• Conjunto das condições que um ambiente proporciona
para o desenvolvimento das tarefas visuais com o
máximo de acuidade e precisão visual; com o menor
esforço e menor risco de prejuízos à vista e acidentes.

• Estas condições estão associadas ao uso da luz natural e
da iluminação artificial.

Conforto Lumínico

Conforto Lumínico

CONFORTO VISUAL NO AMBIENTE DE TRABALHO
• Objetivos

– Produzir um ambiente visual adequado (conforto para
realização das tarefas).

– Função das tarefas visuais a serem realizadas.

• Critérios de qualidade da luz
– Iluminância média (E) no plano de trabalho.
– Uniformidade no plano de trabalho.
– Variações de iluminância no ambiente.
– Níveis de ofuscamento.
– Direção da luz e efeito de sombras.

• Uso de estratégias de iluminação

Conforto Lumínico

CONFORTO VISUAL NO AMBIENTE DE TRABALHO

Conceitos Básicos

ILUMINAÇÃO ARTIFICIAL

É aquela que se obtém com fontes artificiais
(Lâmpadas) que transformam a energia elétrica

em luz.

Conceitos Básicos

ILUMINAÇÃO ARTIFICIAL

Deve-se considerar as seguintes características:

1. Integração entre Luz Natural e Artificial.

2. Garantir os níveis mínimos de Iluminância (LUX).

3. Boa uniformidade de luz no ambiente.

4. Não ofuscamento e boa reprodução de Cor.

5. Economia de Energia e Integração do Projeto
Luminotécnico e Arquitetônico.

Iluminação Artificial e Eficiência Energética

• Os sistemas de Luz artificial são grandes
responsáveis pelo consumo de energia total de
uma edificação, principalmente em edifícios não
residenciais.

• Uma edificação energeticamente
eficiente deve proporcionar um