Execução Civil
7 pág.

Execução Civil

Disciplina:Processo Civil9.534 materiais61.262 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Processo de Execução

Prova teste.

Aula 2 de 22 02 2013.

Meios de sanção executiva:

a) Execução direta: sub rogação: O Estado Juiz substituindo a vontade da parte.

O Estado vence a resistência do executado substituindo a sua vontade.

Penhora on line

Busca e apreensão, para entrega da coisa ao exequente;

Construção de um muro às custas do devedor.

B) Execução indireta:coerção.

O Estado atua com o objetivo de convencer o executado a cumprir a obrigação. O juiz pressiona psicologicamente o devedor para que ocorra o cumprimento voluntário.

Exemplo: Multa

Obrigações personalíssimas:

Pintor famoso

Artista

-Princípios da Execução:

1º-Autonomia:

Existindo processo (autônomo)de título executivo extrajudicial ( ou nas hipóteses de título judicial sem processo civel anterior, ou contra a a fazenda pública), ou fase de cumprimento de sentença a autonomia persistirá pautada noo desencadeamento de atos próprios da execução e que objetivam a satisfação do crédito do credor.

2º Tipicidade dos títulos executivos.

A lei estabelece taxativamente o rol de títulos executivos. As partes não podem criar , por vontade própria , um título executivo. V.art 585 cpc

3º Patrimonialidade:

A execução deverá recair sobre o patrimônio do devedor. A execução nunca é pessoal, art 591 cpc.

A prisão por dívida alimentar é mecanismo de coerção, não extinguindo a obrigação.

4º Disponibilidade da execução: Significa que a execução se desenvolve com o único objetivo de satisfazer o direito do exequente. O exequente poderá dispor de apenas alguns atos executivos ou desistir de parte da execução disputada à concordância do executado, SALVO:SE A IMPUGNAÇÃO OU OS EMBARGOS À EXECUÇÃO ATACAR O MÉRITO DO TÍTULO, O QUE PODERÁ RESULTAR N EXTINÇÃO DEFINITIVA DA OBRIGAÇÃO.

Aula de 08 03 13

O credor deve obter , na medida do possível, o mesmo resultado que seria alcançado se o devedor voluntariamente entregasse a obrigação.

Ainda que a obrigação se torne exagerada não haverá a conversão em perdas e danos, em razão do prestígio ao exato adimplemento.

A obrigação específica só será convertida em reparação de danos em duas hipóteses:

1-quando a obrigação se tornar impossível

2-por escolha do credor, após o decurso do prazo estabelecido por sentença para adimplemento da obrigação.

6-COMPETÊNCIA:

Não cumprida voluntariamente a obrigação de títulos executivos , cabe ao poder judiciário exigir seu cumprimento, para estabelecer a competência da execuçãodevem ser observadas as seguintes regras:

art. 475P do cpc

Art. 475-P. O cumprimento da sentença efetuar-se-á perante: (Incluído pela Lei nº11.232, de 2005)

I - os tribunais, nas causas de sua competência originária; (Incluído pela Lei nº11.232, de 2005)

II - o juízo que processou a causa no primeiro grau de jurisdição; (Incluído pela Lei nº 11.232, de 2005)

III - o juízo cível competente, quando se tratar de sentença penal condenatória, de sentença arbitral ou de sentença estrangeira. (Incluído pela Lei nº 11.232, de 2005)

Parágrafo único. No caso do inciso II do caput deste artigo, o exeqüente poderá optar pelo juízo do local onde se encontram bens sujeitos à expropriação ou pelo do atual domicílio do executado, casos em que a remessa dos autos do processo será solicitada ao juízo de origem. (Incluído pela Lei nº 11.232, de 2005)

nota: art 94 cpc

Assim:

Se a ação é de competência originária do tribunal cabe a ele a execução.

a-A execução seráq processada no tribunal nas causas de sua competência originária( competência funcional e absoluta, que não pode ser modificada)

b-No juízo que processou a causa do primeiro grau de jurisdição. Aqui a competência éfuncional, que comporta flexibilização, prevista no art 475 p § único. Ou seja , poderá o exequente escolher o local onde se encontram os bens do executado ou o domicílio do executado mediante pedido fundamentado para o juízo indicado, que decidirá a questão e, em acolhendo o pedido, solicitará a remessa dos autos ao juízo sentenciante.

Há de existir controvérsias quanto ao juízo que ira receber o pedido,parte da doutrina entende que o juízo sentenciante deverá executar o pedido.

c-No juízo cível competente: quando se tratar de sentença penal condenatória observam,se as regras de competência comum, v art. 94 CPC

sentença arbitral: local que realizou a arbitragem;

sentença estrangeira: justiça federal de primeiro grau observada a CF e CPC e suas regras comuns.

-Título executivo extra judicial :(foro é localidade) a competência é relativa disciplinadas pelas regras comum do cpc, ou seja:

Foro de eleição

Local de pagamento

Domicílio do réu

Aula de 15 03 13

Partes da Execução: Exequente e executado

1-Legitimidade Ativa: daquele que pode demandar

 pode ser: ordinária: é o que consta no título como credor

 ordinária superveniente: aqueles que passam a ter legitimidade após o fato interveniente:

 Ex.: herdeiros, cessionários, o MP, no caso de direitos difusos (TAC- termo de ajustamento de conduta.

a)Ordinária- O credor é a pessoa que figura no título executivo, poderá demandar em nome próprio interesse seu

b)Legitimidade ordinária superveniente: o sujeito demanda em nome próprio interesse próprio, todavia a legitimidade só pe alcançada, adquirida, em decorrênci de um fato ou ato superveniente à constituição do título.

 Ex.fato , falecimento. Ato: cessionário.

c)Extraordinário: o sujeito demanda em nome próprio direito alheio: Ex.: MP.

 Ação civil pública do meio ambiente. Ação de reparação de danos coletivos ou difusos no cdc.

 Execução de ação popular, art 16 da lei 4717/65

Observações importantes:

-Advogado: com relação ao principal, custas e verbas de sucumbência.

 O advogado tem legitimidade para executar autonomamente seus honorários advocatícios, ou promover a execução em nome de seu cliente acrescendo ao débito principal a verba sucumbencial

-Fiador subrogado art. 595, § único do cpc: Caso o fiador pague a dívida executada poderá nos mesmos autos executar o afiançado.(sem uma ação própria de regresso

-Ofendido na ação penal: art. 475N. Apesar da vítima, ofendido, não constar da sentença penal condenatória com trânsito em julgado, o cpc autoriza a promoção de execução do título.

-LEGITIMIDADE PASSIVA.

 -Ordinária

:Quem consta no título executivo (literalidade -ex.: cheque de conta conjunta quem responde é quem assina.

 -Legitimidade ordinária superveniente: espólio, herdeiro, (respondem até o limite das forças da herança, pela dívida executada contra o falecido).,Novo devedor: assunção de dívida

 -, Legitimidade extraordinária:responsável tributário 134 135 do ctn e o fiador judicial(caução real ou fidejussória)

Aula de 22 03 13

O empregador pode ser executado com fundamento em sentença condenatória contra empregado?

Resposta; NÃO. A EXECUÇÃODEVE SER PROMOVIDA CONTRA AQUELE QUE FIGUROU NO TITULO. Promovida a ação apenas contrra o empregado, não poderá a vítima executar pessoa estranha ao título.

Não cabe modalidade de intervenção de terceiro no processo de execução, salvo assistência.

Art.50 § único(posição majoritária na doutrina)

8-TÍTULO EXECUTIVO:

485n judiciais, 575 extrajudiciais.

É indispensável para toda execução e existência de um título executivo, conforme rol taxativamente estabelecido em lei. As especies do gênero título executivo são : judicial, art. 475N e extrajudicial, art 585 do cpc.

 -Títulos executivos judiciais:

Principais hipóteses:

Sentença proferida no processo civil que reconheça a existência de obrigação de fazer, não fazer, entregar coisa ou pagar quantia.

Sentença penal condenatória transitada em julgada

Sentença homologada pelo STJ

 -Títulos executivos extrajudiciais.hipóteses mais relevantes.

-Títulos de crédito

-Escritura pública ou outro documento