01 a 06 - Dos Bens
27 pág.

01 a 06 - Dos Bens

Disciplina:Direito Civil II5.741 materiais84.295 seguidores
Pré-visualização2 páginas
BENS JURÍDICOS

Arts. 79 a 103 do Código Civil

Prof. Dr. Artur Marques da Silva Filho

1. BENS JURÍDICOS. CARACTERÍSTICAS.

1.1. Conceito

• Bens são coisas materiais ou imateriais que podem ser objeto

de uma relação de direito, por possuírem valor econômico.

• Todo direito possui o seu objeto. Podem consistir em coisas

(relações reais), em ações humanas (obrigacionais) e certos

atributos da personalidade (direito à imagem), bem como

determinados direitos (cessão de crédito, tutela, etc.).

• Sentido filosófico: bem é tudo que satisfaz uma necessidade

humana. Coisa = gênero do qual bem é espécie.

1.2. Características

• Possibilidade de satisfazer interesse econômico;

• Autonomia econômica;

• Capacidade de ser subordinado juridicamente a uma pessoa.

Não se confundem com:

• Coisas comuns: insuscetíveis de apropriação pelo homem. Ex.: ar,

mar, etc. Sendo possível a sua apropriação em porções limitadas,

tornam-se objeto de direito. Ex.: ar comprimido, água fornecida

pelo poder público.

• Coisas sem dono: “res nullius” – nunca foram apropriadas.

• Coisa móvel abandonada: “res derelicta” – abandonada pelo titular.

2. CLASSIFICAÇÃO DOS BENS

2.1. De acordo com os seguintes critérios:

• A) Em si mesmos considerados;

• B) Reciprocamente considerados;

• C) Quanto à titularidade do seu domínio;

• D) Quanto à possibilidade de serem negociados.

A. Bens em si mesmos considerados

- Bens corpóreos: possuem existência física,

material.

 Ex: terrenos, casas, carros, etc.

- Bens incorpóreos: não possuem existência

física, material, mas possuem valor econômico.

 Ex: nome comercial, marca, direitos obrigacionais, autorais, etc.

A.1: Bens corpóreos e incorpóreos

- Bens móveis: podem ser transportados sem

deterioração da sua substância ou destinação.

 Ex: carros, livros (móveis propriamente ditos), animais

(semoventes), etc.

- Bens imóveis: não podem ser transportados

sem a sua destruição.

 Ex: casas, terrenos, etc.

A.2: Bens móveis e imóveis

Distinções importantes entre bens móveis e imóveis:

- Forma de aquisição da propriedade:

Bens móveis: tradição, usucapião, ocupação, especificação,

confusão, comistão, adjunção, achado de tesouro.

Bens imóveis: registro de título, acessão, usucapião, direito

hereditário.

- Restrição à alienação:

Bens móveis: sem restrições.

Bens imóveis: necessária a anuência do cônjuge para se alienar,

hipotecar ou gravar de ônus real (exceção – regime de

separação absoluta)

- Tempo para aquisição por usucapião:

Bens móveis: 3 ou 5 anos (arts. 1.260 e 1.261, CC).

Bens imóveis: 5, 10 ou 15 anos (arts. 1.238 a 1.240, CC).

- Diferença entre os direitos reais:

Bens móveis: penhor.

Bens imóveis: hipoteca.

- Outras distinções:

Bens móveis: apenas estes podem ser objeto de contrato de mútuo.

Bens imóveis: sujeitos a registro, concessão de superfície e enfiteuse.

Subclassificação dos bens IMÓVEIS:

- Por sua natureza (CC, art. 79, 1ª parte):

 “São bens imóveis o solo e tudo quanto se lhe incorporar natural...”
 ex.: árvores, frutos pendentes, etc.

- Por acessão física artificial (CC, art. 79, 2ª parte):

 “... ou artificialmente.”
 ex.: edifícios, construções feitas pelo homem, etc.

- Por acessão intelectual ou destinação do proprietário

(CC, art. 93):

Coisa móvel colocada a serviço da coisa imóvel, por ficção

legal, com afetação do bem móvel ao imóvel em caráter

não definitivo.

 ex.: máquinas agrícolas, ornamentos.

- Por determinação legal (CC, art. 80):

I) Direitos reais sobre imóveis e as ações que os asseguram

(uso, usufruto, enfiteuse, hipoteca, anticrese, etc.);

II) Direito à sucessão aberta.

Subclassificação dos bens MÓVEIS:

- Por sua natureza (CC, art. 82):

 “São móveis os bens suscetíveis de movimento próprio, ou
remoção por força alheia, sem alteração da substância ou da

destinação econômico-legal.”

 (ex.: carros, animais, utensílios domésticos, etc.)

- Por determinação legal (CC, art. 83):

 I) Energias com valor econômico;

 II) Direitos reais sobre objetos móveis e as ações correspondentes

(ex.: penhor);

 III) Direitos pessoais de caráter patrimonial e respectivas ações

(ex.: direito autoral, propriedade industrial)

- Bens fungíveis: os bens móveis que podem

ser substituídos por outros da mesma espécie,

qualidade e quantidade (art. 85, CC).

 Ex: carros, livros, canetas, etc.

- Bens infungíveis: são insubstituíveis por

outros da mesma espécie, qualidade e

quantidade.

 Ex: obras de arte, objetos de grande valor sentimental, etc.

A.3: Bens fungíveis e infungíveis

- Bens consumíveis: extinguem-se logo que são

usados, com imediata destruição da sua

substância (art. 86, CC).

 Ex: alimentos, bebidas.

- Bens inconsumíveis: podem ser utilizados no

decorrer do tempo, de maneira continuada,

sem que sua substância seja afetada.

 Ex: eletrodomésticos, roupas.

A.4: Bens consumíveis e inconsumíveis

- Bens divisíveis: podem ser fracionados sem

alteração da substância, diminuição

considerável do valor ou prejuízo de utilização

(art. 87, CC).

 Ex: uma tonelada de café.

- Bens indivisíveis: não podem ser divididos,

seja por sua natureza, por determinação legal

ou das partes (art. 88, CC).

 Ex: animais vivos, obras de arte, módulo rural, etc.

A.5: Bens divisíveis e indivisíveis

- Bens singulares: apesar de reunidos, são

considerados individualmente, sem

dependerem dos demais (art. 89, CC).

 Ex: folhas de papel, animais de um rebanho, etc.

- Bens coletivos: grupo de bens singulares, mas

que formam um todo único, adquirindo

individualidade distinta dos bens que os formam

(universalidade de fato ou de direito) (arts. 90 e

91, CC).

 Ex: biblioteca, coleções, herança, massa falida, etc.

A.6: Bens singulares e coletivos

- Bens patrimoniais: bens que podem ter valor

quantificado.

 Ex: tanto corpóreos quanto incorpóreos, como edifícios,

maquinário, direitos autorais, nome comercial, marca.

- Bens extrapatrimoniais: bens que, apesar de não

serem suscetíveis de quantificação econômica, podem

ser lesados, ensejando, assim, compensação

pecuniária (cf. art. 5º, inc. V e X da CF).

 Ex: moral, honra, confiabilidade do consumidor, etc.

A.7: Bens patrimoniais e extrapatrimoniais

DINIZ, M. Helena. Curso de Direito Civil Brasileiro. 28ª ed. São Paulo: Saraiva, 2011, p. 379.

- Principal: existe sobre si, abstrata ou

concretamente (CC, art. 92, 1ª parte).

 Ex: terreno, carro, etc.

- Acessório: sua existência pressupõe a do

principal (CC, art. 92, 2ª parte).

 Ex: árvore plantada ou casa construída no terreno, etc.

B. Bens reciprocamente considerados

B.1: Principal e acessório

- Produtos: retirados do principal – coisas que não se
reproduzem

 Ex: pedras de pedreira. Ocorre d iminuição do valor.

- Frutos: utilidades que a coisa produz periodicamente (CC,

art. 95)

Classificação

quanto ao estado:

(Classificação

 de Clóvis)

Pendentes

Percebidos

Estantes

Percipiendos

Consumidos

Espécies de bens acessórios

NATURAIS

INDUSTRIAIS

CIVIS

Classificação

quanto

à origem