_Relatorio-Exp1
3 pág.

_Relatorio-Exp1

Disciplina:Química Básica I16 materiais315 seguidores
Pré-visualização1 página
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

CENTRO DE CIÊNCIAS FÍSICAS E MATEMÁTICAS

DEPARTAMENTO DE QUÍMICA

RELATÓRIO DA EXPERIÊNCIA Nº 1 – QMC5104

RICARDO AUGUSTO EGER
HERODE ALEXANDRE

FLORIANÓPOLIS, ABRIL DE 2013
QUESTIONÁRIO

1) Como você poderia medir ¼ mililitro de água com o equipamento utilizado no item A-2? Densidade da água = 1,0 g/mL.

Sabendo que 1 mL de água possui uma massa de 1,0 g, ¼ mL de água pesa ¼ g, ou seja, 0,25 g. Assim, colocaríamos o béquer de 100 mL seco na balança e – considerando a massa do béquer como sendo x – com o conta-gotas adicionaríamos gotas de água até a balança indicar x + 0,25 g. Uma outra alternativa possível é utilizar os resultados obtidos nesse mesmo item. Após a pesagem do béquer seco e com as 50 gotas de água, observamos que a massa das 50 gotas de água é de 2,6 g, ou seja, cada gota de água possui uma massa 0,052 g. Portanto, adicionando 5 gotas ao béquer obteríamos aproximadamente ¼ mL de água.

2) Na avaliação da massa de 20,00 mL de água (item B do procedimento) foram utilizados uma proveta e uma pipeta volumétrica. Qual dos dois possui melhor precisão? Explique sua resposta.

Após a execução desse item, obtivemos alguns resultados, entre os quais:

	PROVETA
	PIPETA

	
	

	Massa do 1º 20 mL: 20,51 g
	Massa do 1º 20 mL: 19,57 g

	Massa do 2º 20 mL: 18,98 g
	Massa do 2º 20 mL: 20,01 g

	Massa do 3º 20 mL: 19,53 g
	Massa do 3º 20 mL: 20,07 g

	Média das medidas: 19,67 g
	Média das medidas: 19,88 g

	
	

	Desvio da 1ª medida: 0,84 g
	Desvio da 1ª medida: 0,31 g

	Desvio da 2ª medida: 0,69 g
	Desvio da 2ª medida: 0,13 g

	Desvio da 3ª medida: 0,14 g
	Desvio da 3ª medida: 0,19 g

	Média dos desvios: 0,56 g
	Média dos desvios: 0,21 g

Comparando a média dos desvios na proveta com a média dos desvios na pipeta, podemos constatar que a pipeta apresenta um desvio médio menor que a proveta, possuindo, portanto, melhor precisão.

3) 20,00 mL de água a 20 ºC possui uma massa de 19,966 g. Comparando os resultados obtidos no item B do procedimento, foi a proveta ou a pipeta que deu o resultado mais próximo do valor (ou qual dos dois é mais exato)? Explique sua resposta.

Após a execução desse item, obtivemos alguns resultados, entre os quais:

	PROVETA
	PIPETA

	
	

	Massa do 1º 20 mL: 20,51 g
	Massa do 1º 20 mL: 19,57 g

	Massa do 2º 20 mL: 18,98 g
	Massa do 2º 20 mL: 20,01 g

	Massa do 3º 20 mL: 19,53 g
	Massa do 3º 20 mL: 20,07 g

	Média das medidas: 19,67 g
	Média das medidas: 19,88 g

Comparando a média das medidas na proveta com a média das medidas na pipeta, observamos que o valor obtido na pipeta está mais próximo do correto do que o valor obtido na proveta, o que significa que a pipeta possui melhor exatidão. Acreditamos que isso ocorre pois o diâmetro da pipeta é menor do que o da proveta, sofrendo assim menos influência da tensão superficial.

4) Explique as observações do item C-2c do procedimento.

Após a execução desse item, obtivemos os seguintes resultados:

Temperatura da água da torneira: 22 ºC

Água com gelo, depois de agitada: 0,5 ºC

Água com gelo, com sal adicionado: -0,5 ºC

Após agitar a mistura de água com gelo, observamos uma queda brusca na temperatura de 22 ºC para 0,5 ºC. Um valor próximo mas não igual a 0,0 ºC é plausível, já que o gelo estava a menos de 0,0 ºC, mas a mistura apresentava duas fases e a fase líquida estava anteriormente a 22 ºC. Porém, quando adicionamos o sal, observamos que a temperatura caiu para 0,5 ºC negativos e a água continuou líquida mesmo assim. Nesse caso, o sal (soluto) fez com que o ponto de congelamento da água (solvente) abaixasse, por isso ela continuou líquida com uma temperatura negativa.

5) Uma das principais fontes para a obtenção de cloreto sódio, sal de cozinha, usado neste experimento, é a água do mar. Baseado nesta informação sugira um método de recuperação do sal usado na mistura no item C – 2, do procedimento.

Os métodos que costumam ser utilizados para separar o cloreto de sódio da água do mar são a evaporação do solvente (água) e a destilação simples. Industrialmente, o processo utilizado é a evaporação, onde, à medida que a água vai evaporando, a solução remanescente vai se tornando cada vez mais concentrada e o NaCl sólido começa a se cristalizar. Com a evaporação total da água, obtêm-se os cristais de NaCl. No caso da mistura utilizada no item C – 2, poderíamos utilizar o método da destilação simples, que é um método usado para separar misturas homogêneas quando um dos componentes é sólido e o outro líquido. Na destilação simples, colocamos a mistura no balão de destilação e aquecemos até entrar em ebulição. O vapor da água sai pela parte superior do balão chegando ao condensador, que é refrigerado com água, entra em contato com as paredes frias, se condensa, voltando ao estado líquido, e em seguida é recolhido em outro recipiente. No final do processo, apenas o sal permanece no balão de destilação.