secagemmadeira
119 pág.

secagemmadeira

Disciplina:Secagem da Madeira10 materiais241 seguidores
Pré-visualização22 páginas
tem um risco prolongado de

degradação ou perda (ex. fogo). Além disso, a secagem ao ar pode não ser suficiente

para certos usos ( ex. móveis assoalhos, etc.) por que a umidade que a madeira

finalmente alcança é dependente das condições climáticas da região onde se realiza

a secagem.

A secagem em câmara é muito mais rápida, onde a umidade pode ser reduzida

ou aumentada para qualquer teor de umidade que deseje, independente das

condições climáticas. No entanto, é muito cara a construção de uma câmara, além

de ser perigoso o desenvolvimento de defeitos durante a secagem ou até mesmo

tornando a madeira imprópria para o uso se a condução da secagem for de forma

incorreta.

Prof. Dr. Ricardo Jorge Klitzke

54

5 MÉTODOS DE SECAGEM

5.1 SECAGEM AO AR LIVRE (NATURAL)

A secagem natural ao ar consiste em expor a madeira a ação dos fatores

climáticos de um local. Estes fatores são a temperatura, a umidade relativa do ar que

em permanente movimento servem para estabelecer um equilíbrio higroscópico

entre o meio ambiente e a madeira. Este sistema de secagem tem sido mais

amplamente utilizado. No entanto, por estar sujeito as mudanças climáticas, não é

possível exercer controle sobre seu desenvolvimento. A duração depende das

características das espécies de madeira, das condições climáticas, da forma de

empilhamento, e da disposição e da formação do pátio de secagem, mas em

qualquer caso o processo é relativamente lento.

Contudo não é possível, simplesmente por método natural, alcançar conteúdos

de umidade menores aos correspondentes a umidade de equilíbrio da região.

Portanto, o resultado é pouco conveniente ou apenas servindo como uma pré-

secagem, para muitas industrias.

A madeira, quando adequadamente exposta ao ar livre, é seca mais

rapidamente quando a temperatura é alta, a umidade relativa é baixa e o movimento

do ar é ativo através da pilha de madeira. É possível através da adoção de

procedimentos racionais, obter-se o máximo das condições ambientais.

As praticas racionais desse processo resultam em menores tempos de

secagem, peças de madeira com umidades mais uniformes e madeira de melhor

qualidade, com o mínimo de defeitos.

Normalmente a madeira situada na parte alta e nas partes laterais das pilhas,

por estarem mais expostas ao ar e a radiação solar a secagem é mais rápida. Nas

partes inferiores das pilhas, onde o aré frio e úmido, a secagem é mais lenta.

Prof. Dr. Ricardo Jorge Klitzke

55

5.1.1 FATORES QUE DETERMINAM A VELOCIDADE DE SECAGEM

A velocidade que a madeira perde sua umidade esta em função de sua própria

natureza e de alguns fatores externos como a temperatura a umidade relativa e

circulação do ar. Portanto, quando se organiza um pátio de secagem ao ar livre se

deve levar em conta os fatores relacionados com o, local, pátio de secagem e tipos

de pilhas.

O rendimento de um pátio de secagem é principalmente afetado pelas

condições climáticas do local (temperatura e umidade relativa), pela sua

localização, pelo regime de chuvas e pela velocidade do ar (ventos).

Quando a temperatura e a umidade relativa do ar permanecerem

aproximadamente constantes, é a circulação do ar o fator determinante na

velocidade de secagem. Por isso, é importante levar em conta a formação do pátio

de secagem segundo a orientação dos ventos predominantes.

A velocidade de secagem é afetada, também pelo modo como as peças são

empilhadas, por exemplo: quando são deixados espaços vazios entre as tábuas estas

secam mais rapidamente do que quando colocadas juntas. A localização das pilhas

no pátio também influência a velocidade de secagem por exemplo: pilhas colocadas

as margens do pátio secam mais rapidamente do que as colocadas no meio.

A distância entre o solo e a base das pilhas deve ser de aproximadamente

30cm para permitir o livre movimento do ar embaixo, e criar condições de

renovação do ar sob as mesmas.

A superfície também influência, de certa forma, a velocidade de secagem ao

ar. Um pátio bem plano, drenado sem vegetação, coberto por materiais escuros

secará mais rapidamente. Poças de água ou terreno não drenado aumentam a

umidade do ar, vegetação, detritos e outros obstáculos impedem ou dificultam a

circulação ar entre as pilhas. Materiais escuros na superfície do solo absorvem mais

a radiação solar, tornando-se mais aquecidos do que materiais claros.

Prof. Dr. Ricardo Jorge Klitzke

56

5.1.2 PÁTIO DE SECAGEM

A secagem ao ar livre é geralmente feita em um pátio localizado próximo da

serraria, visando a economia em transporte, deve ser em local alto, plano e bem

drenado e não pode apresentar edificações próximas nem árvores. O pátio é

formado por pilhas que podem ser dispostas de várias formas de acordo com a

topografia, meio de transporte interno e das condições gerais de secagem.

5.1.2.1 Arranjo do pátio das pilhas

O arranjo físico de um pátio de secagem deve levar em consideração o meio

de movimentação, a topografia, a área necessária em função da produção, a área

disponível e o tipo de madeira a ser seca. Quando o transporte no local é feito

através de vagonetes, as pilhas devem acompanhar os trilhos, quando a

movimentação for através de empilhadeira, as vias de acesso devem ser deixadas

livres.

Arranjo das pilhas em fileiras: as pilhas são colocadas paralelas à

passagem principal e o espaçamento lateral entre elas é constante, em torno de

60cm.

Arranjo das pilhas em linha: as pilhas são dispostas em linha,

paralelamente às passagens principais. A velocidade de secagem é alta e o acesso a

cada pilha é muito fácil, mas há necessidade de área muito grande.

Arranjo das pilhas tipo espinha de peixe: possibilita uma secagem bastante

rápida, devendo ser utilizado somente com espécies fáceis de secar e não propensas

a defeitos.

No arranjo de pilhas com espaço variável é um método melhorado do método

em filas. Na Figura 14 pode-se observar os tipos de pilha mais utilizados em

secagem ao ar livre.

Prof. Dr. Ricardo Jorge Klitzke

57

FIGURA 14 – DIFERENTES TIPOS DE EMPILHAMENTO DA SECAGEM AO

 AR

5.1.3 EMPILHAMENTO DA MADEIRA

A maneira de executar o empilhamento é fator básico para secagem tanto ao

ar, como em câmara. Diferentes tipos de empilhamento permitem aumentar a

amplitude do controle sobre a secagem, que é eliminada quando processada ao ar.

Os principais tipos de pilhas ou gradeamento utilizados são: pilhas planas

com separadores, tesouras, pilhas verticais com separadores e empilhamento

horizontal em gaiola.

Prof. Dr. Ricardo Jorge Klitzke

58

O empilhamento plano com separadores é o mais utilizado, também

conhecido por pilha gradeada ou entabicada. Neste tipo de pilha cada camada de

peças de madeira justapostas é separada de outra por separadores ou tabiques.

O treinamento para operários é muito importante, para que as pilhas sejam

feitas de acordo com as recomendações técnicas e em tempo relativamente curto.

Podendo ser utilizado um gabarito para facilitar o gradeamento da madeira.

O empilhamento tipo tesoura a madeira é colocada em posição inclinada,

apoiando uma das extremidades sobre um estrado horizontal cerca de 20cm do solo

e um canto encostado em outro suporte a 2 ou 3 metros de altura. Na figura 15, são

apresentados os tipos de pilhas utilizados em secagem da madeira ao ar livre.

FIGURA 15 – TIPOS DE PILHAS PARA SECAGEM DA MADEIRA AO AR

O empilhamento em gaiola é indicado para madeiras fáceis de secar e de

pequena espessura, e quando não se tem compromisso com a qualidade. As gaiolas

podem ser triangulares
Carregar mais