habilidades social a luz da analise do comportamento
11 pág.

habilidades social a luz da analise do comportamento

Disciplina:Processos Psicológicos Básicos 1100 materiais1.696 seguidores
Pré-visualização7 páginas
b)
apresenta diversos procedimentos de intervenção para
objetivos específicos, especialmente para atendimen-
tos em grupos no estabelecimento de tais habilidades7.

REFERÊNCIAS
Abib, J. A. D. (1997). Teorias do comportamento e subjeti-

vidade na psicologia. São Carlos: Edufscar.
Alberti, R. E. & Emmons, M. L. (1978). Comportamento

assertivo: Um guia de auto-expressão. Belo Horizonte:
Interlivros.

Andery, M. A. P. A.; Micheletto, N. & Sério, T. M. A. P.
(2001). Análise funcional na análise do comportamento.
Em. H. J. Guilhardi; M. B. B. P. Madi; P. P. Queiroz &
M. C. Scoz (Orgs.), Sobre comportamento e cognição.
Expondo a variabilidade (p. 148-157). Santo André:
Arbytes Editora.

Bolsoni-Silva, A. T. (2002). O que os pais falam sobre suas
habilidades sociais e de seus filhos? Argumento (7), ano
4, 71-86.

Caballo, V. E. (1987). Teoría, evaluación e entrenamiento
de las habilidades sociales. Valência: Promolivros.

Caballo, V. E. (1991). El entrenamiento en habilidades
sociales. Em V. E. Caballo (Org.), Terapía y modifica-
ción de conducta (p. 403-443). Madri: Siglo Veintiuno.

Caballo, V. E. (1995). Una aportación española a los as-
pectos moleculares, a la evaluación y al entrenamiento
de las habilidades sociales. Revista Mexicana de Psico-
logia, 12(2), 121-131.

Caballo, V. E. (1996). O treinamento em habilidades sociais.
Em V. E. Caballo (Org.), Manual de técnicas de terapia
e modificação do comportamento (p. 361-398). São
Paulo: Santos Livraria Editora.

Caballo, V. E. (1997). El papel de las habilidades sociales
en el desarrollo de las relaciones interpersonales. Em D.
R. Zamignani (Org.), Sobre comportamento e cognição
(p. 229-233). São Paulo: ARBytes Editora, 3o Vol.

Catania, A. C. (1999). Aprendizagem: Comportamento,
linguagem e cognição (4ª ed.). Porto Alegre: Artmed:
Editora, (originalmente publicado em 1998).

Davis, F. (1979). A comunicação não-verbal. São Paulo:
Summus.

Del Prette, A. (1982). Treinamento comportamental em
grupo junto à população não-clínica de baixa renda:
uma análise descritiva de procedimento. Dissertação de
Mestrado. Pontifícia Universidade Católica de Campi-
nas.

Del Prette, A. (1985). Treinamento comportamental: Uma
alternativa de atendimento à população não clínica. Re-
vista de Psicologia, 3(1), 67-81.

Habilidades sociais e análise do comportamento

Interação em Psicologia, jul./dez. 2002, (6)2, p. 233-242

9

Del Prette, A.; Del Prette, Z. A. P. & Barreto, M. C. M.
(1999). Habilidades sociales en la formación profesional
del psicólogo: Análisis de un program de intervención.
Psicologia Conductual, 7(1), 27-47.

Del Prette, Z. A. P. & Del Prette, A. (1996). Habilidades
sociais: Uma área em desenvolvimento. Psicologia: Re-
flexão e Crítica, 9(2), 287-389.

Del Prette, Z. A. P. & Del Prette, A. (1997). Habilidades
sociais e construção de conhecimento em contexto es-
colar. Em D. R. Zamignati (Org.), Sobre Comporta-
mento e Cognição (p. 234-250). Santo André: ARBytes
Editora, 3o Vol.

Del Prette, Z. A. P. & Del Prette, A. (1999). Psicologia das
Habilidades Sociais: Terapia e educação. Petrópolis:
Vozes.

Del Prette, Z. A. P. & Del Prette, A. (2000). Treinamento
em habilidades sociais: Panorama geral da área. Em V.
G. Haase; R. R. Neves; C. Kapler; M. L. M. Teodoro &
G. M. O. Wood (Orgs.), Psicologia do desenvolvimento:
Contribuições interdisciplinares (p. 249-264). Belo Ho-
rizonte: Editora Health.

Del Prette, A. & Del Prette, Z. A. P. (2001a). Habilidades
sociais: Biologia evolucionária e cultura. Em H. J. Gui-
lhardi; M. B. B. P. Madi; P. P. Queiroz & M. C. Scoz
(Orgs.), Sobre comportamento e cognição (p. 65-75).
Santo André: ESETec.

Del Prette, Z. A. P. & Del Prette, A. (2001b). Psicologia
das relações interpessoais. Vivências para o trabalho
em grupo. Petrópolis: Vozes.

Del Prette, Z. A. P.; Del Prette, A.; Garcia, F. A.; Silva, A.
T. B. & Puntel, L. P. (1998). Habilidades sociais do pro-
fessor em sala de aula: Um estudo de caso. Psicologia:
Reflexão e Crítica, 11(3), 591-603.

Del Prette, Z. A. P.; Del Prette, A.; Torres, A. C. & Pontes,
A. C. (1998). Efeitos de um programa de intervenção
sobre aspectos topográficos das habilidades sociais de
professores. Psicologia Escolar e Educacional, 2(1),
11-22.

Delitti & Meyer (1998). O uso dos encobertos na prática da
terapia comportamental. Em Psicoterapia comporta-
mental e cognitiva dos transtornos psiquiátricos (p.
269-274). Campinas: Editorial Psy II.

Falcone, E. M. de O. (1998). Grupos. Em B. Rangé (Org.),
Psicoterapia comportamental e cognitiva: Pesquisa,
prática, aplicações e problemas (p. 159-169). Campi-
nas: Editorial Psy II.

Hidalgo, C. G. C. & Abarca, N. M. (1992). Comunicación
interpersonal: Programa de entrenamiento en habilida-
des sociales. Santiago: Ediciones Universidad Católica.

MacKay, D. (1988). Dificuldades sociais e interpessoais.
Em H. W. Lettner & B. P. Rangé (Orgs.), Manual de
psicoterapia comportamental (p. 137-148). São Paulo:
Editora Manole.

Manual do Conselho Regional de Psicologia de São Paulo
(1999). Conselho Regional de Psicologia – São Paulo.

McFall, R. M. (1982). A review and reformulation of the
concept of social skills. Behavioral Assessment, 4, 1-33.

Meyer, S. B. (1997). O conceito de análise funcional. Em
M. Delitti (Org.), Sobre comportamento e cognição (p.
31-36). Santo André: Arbytes Editora.

Sidman, M. (1995). Coerção e suas implicações. Campinas:
Editorial Psy II.

Silva, A. T. B. (2000). Problemas de comportamento e
comportamentos socialmente adequados: Sua relação
com as habilidades sociais educativas de pais. Disserta-
ção de Mestrado. Universidade Federal de São Carlos.

Silva, A. T. B.; Del Prette, A. & Del Prette, Z. A. P. (2000).
Relacionamento pais-filhos: Um programa de desenvol-
vimento interpessoal em grupo. Psicologia Escolar e
Educacional, 3(3), 203-215.

Skinner, B. F. (1984). Selection by consequences. The
behavioral and brain sciences, 7(4), 477-481.

Skinner, B. F. (1992). Verbal behavior. Cambridge: B. F.
Skinner Foundation (originalmente publicado em 1957).

Skinner, B. F. (1993a). Ciência e comportamento humano
(8ª ed.). São Paulo: Martins Fontes (originalmente pu-
blicado em 1953).

Skinner, B. F. (1993b). Sobre o behaviorismo (9ª ed.). São
Paulo: Cutrix (originalmente publicado em 1974).

Skinner, B. F. (1995). Questões recentes na análise com-
portamental (2a ed.). Campinas: Papirus (originalmente
publicado em 1989).

Sturmey, P. (1996). Functional analysis in clinical
psychology. England: John Wiley & Sons.

Torós, D. (1997). O que é diagnóstico comportamental. Em
Em M. Delitti (Org.), Sobre comportamento e cognição
(p. 98-103). Santo André: Arbytes Editora.

Tourinho, E. Z. (1995). O surgimento do Behaviorismo
Radical de B. F. Skinner. Em O autoconhecimento na
psicologia comportamental de B. F. Skinner (p. 1-23).
Belém: Editora UFPa.

Tourinho, E. Z. (1999). Eventos privados em uma ciência
do comportamento. Em Sobre comportamento e cogni-
ção (p. 174-187). Santo André: Arbytes Editora.

Recebido: 10.11.2002
Revisado: 22.11.2002

Aceito: 10.12.2002

Notas:
1
 Relações sociais são consideradas por Hinde (1981, Em Del Prette & Del Prette, 1999) como um fenômeno amplo que inclui a análise

da qualidade, conteúdo, forma e freqüência das interações interpessoais, bem como afetam e são afetados por variáveis contextuais.
2 Para saber mais sobre eventos privados, vide, por exemplo, Skinner (1995/1989; 1993a/1953; 1993b/1974); Tourinho (1999), Delitti e
Meyer (1998) e Abib (1997).
3 A definição de Skinner (1992/1957) para comportamento verbal e não-verbal difere desta apresentada. Para este autor o comportamento
verbal é um operante cujas conseqüências são mediadas por ouvinte treinado, e o comportamento não-verbal ocorre quando o organismo
atua diretamente no ambiente físico, modificando-o e sendo modificado, sem mediação verbal.