ABRAF13_BR
142 pág.

ABRAF13_BR

Disciplina:Serraria e Beneficiamento da Madeira2 materiais29 seguidores
Pré-visualização142 páginas
Elaboração
Pöyry Silviconsult Engenharia Ltda.
Super visão
ABR AF
Apoio Técnico
Alexandre Valladares Mello
Jo ão Batist a Rezen de
Tiragem 1.000 exemplares
Acompanha esta edição um pendrive contendo arquivos digitais em formato pdf
do Anuário 2013 – Ano base 2012 (versõe s português e inglês)
No link ww w.abraflor.org.br/estatisticas.a sp estão disponíveis para download, além da presente edição
do Anuário 2013 – Ano base 2012, as ediçõ es de 2006 a 2012, todas nas versões em por tuguês e inglês.
Dados Internacionais de Cat alogaç ão na Publicação
A849a ABR AF. Anuário estatístico ABRAF 2013 ano ba se 2012 / ABRAF. – Brasília: 2013.
148 p. : il. color; 21 cm.
Acompanha 1 pendrive
Texto bilíngüe português-inglês
ISSN: 1980-8550
1. Setor Florestal. 2. Florestas Plantadas. 3. Indicadores E statísticos. I. As sociação
Brasileira de Produtores de Florestas Plantadas. II. Título.
CDD – 634.9568105
CDU – 630:31(058)
ABR AF. Todos os direitos reserv ados. Nenhuma parte dessa publicaç ão pode ser reproduzida ou transmitida sob nenhuma forma ou qualquer meio, eletrô-
nico ou mecânico, incluindo fotocópia, gravação, fac- símile ou qualquer sistema de armazenamento de informação e recuperação, sem permissão expressa
por escrito ou menção da fonte de informação. Retransmissão p or fax, e-mail ou outros meios, os quais resultem na criação de uma cópia adicional é ilegal.
Embora a ABR AF tome todas as medidas para garantir a acuracidade das informações apresentadas no Anuário Estatístico, nenhum tipo de responsabilida-
de legal po derá ser atribuída a ela pelas informações e opiniões contidas no mesmo.
ABRAF – A ssociação Bra sileira de Produtores de Florest as Plantadas
Setor de Autarquias Sul, Quadra 1, Bloco N, Lotes 1 e 2, Edifício Terra Brasilis , Salas 503 e 504
CEP 70070-010 – Brasília-DF – Fones: (61) 3224-0108 / 3224-0109 – Fax: (61) 3224-0115
ww w.abraflor.org.br – e-mail: abraf@abrafl or.org .br
A madeira e seu uso b alizaram a qualidade de vida das civiliz ações no decorrer da história da
humanidade. O domíni o do fogo inventou a lenha. A p edra foi lasca da, foi p olida e depois substituída pela
madeira como matéria prima para utensílio em quase tod as as aplicaçõe s. A pressão do aumento populacional
forçou a solução necess ária de plantar árvores para garantir colheita e, em alguns cas os, continuidade do uso em
diversas par tes do mundo. Aqui no Brasil não é diferente. Noss o setor tem um histórico de contribuições com
alcance e abrangência tão significativas quanto antigas. Atual mesmo é a motivação primeira: independente
do produto final, tudo que se quer é garantir qualidade de vida para a s pessoa s.
De lá para c á, evoluímos em tecnol ogia e em gestão florestal. A sustentabilidade começou como
uma moda e hoje é estratégia de negócio. Plantamos, p reser vamos, reflorestamos, transformamos fibras em
milhares produtos que fa zem do Brasil uma referência para o mundo. É certo que nem tudo são flores, mas a
ABR AF, nesta 8ª Edição do Anuário Estatístico traz visibilidade e transparência à mais um capítulo deste setor
cujas raízes estão entrelaçadas com a história do país.
Dentro deste espírito, convido você para a l eitura do Anuário Estatístico da ABR AF onde é possível
encontrar os principais indicadores do setor de florestas plantadas referentes ao ano de 2012. Dentre os
principais destaques estão o aumento da área plantada , do valor bruto da produção e do consumo de
produtos de base fl orestal. Ness a edição, são apresentados t ambém artigos com temas fundamentais ao setor,
como competitividade e rentabilidade, b ioenergia, mudança climática e preços dos produtos florestais.
É impor tante mencionar o modesto crescimento da área plantada , reflexo da lenta recuperação d o
comércio mundial e dos preços internacionais dos produtos de bas e florestal, que juntamente com a limitação
imposta p ela restrição à aquisição de terras por empresas br asileiras com maioria de capital estrangeiro,
resultaram na postergação de p rojetos da indústria de base florestal e de investidores independentes.
Entretanto, embora a s limitações ao crescimento tenham persistido, em 2012 foi possível ampliar o
valor bruto da produção florestal e o consumo, reforçando a relevância das contribuições ao des envolvimento
econômico do país. O s investimentos em programas so ciais realizados pelas empresa s associada s também
consolidaram o pap el do setor como indutor de des envolvimento.
A despeito das limitaçõe s da infraestrutura e logística do país e da instabilidade da economia
internacional, a conjuntura atual proporciona oportunidades para a consolid ação do Brasil como uma das
principais potências da indústria mundial de base fl orestal. Contudo, para que isso ocorra , é import ante
que as empresas articulem a remoção de barreiras para o d esenvolvimento setorial e priorizem a melhoria
dos processos indu striais e silviculturais, bem como, os investimentos em inovação tecnológica . O resultado
desse process o será o aumento da competitividade, a redução dos custos de produç ão e a nova rodada d e
investimentos no setor.
Acreditamos na retomada do crescimento mediante o estabelecimento, dentre outras medidas , de
uma política s etorial direcionada às necessidades atuais e ao potencial produtivo do setor de base florestal,
e temos plena consciência da responsabilid ade em produzir atendendo os preceitos ambientais, sociais e
econômicos, bu scando o equilíbrio necess ário para atender o presente sem comprometer as gerações futuras,
pois só são verdadeiramente competitivos aqueles que são sustentáveis.
Brasília , 18 de junho de 2013.
Antonio Serg io Alipio
Presidente do Conselho Diretor