APOSTILA DE TOPOGRAFIA
205 pág.

APOSTILA DE TOPOGRAFIA

Disciplina:Topografia6.246 materiais161.316 seguidores
Pré-visualização43 páginas
..............................................................................................36
Figura 5.5 - Medida de distância em lance único. ....................................................................37
Figura 5.6 - Exemplo de medida direta de distância com trena. ..............................................37
Figura 5.7 - Medida de distância em vários lances. .................................................................38
Figura 5.8 - Falta de verticalidade da baliza.............................................................................39
Figura 5.9 - Exemplo de um teodolito......................................................................................39
Figura 5.10 - Mira estadimétrica. .............................................................................................40
Figura 5.11 - Determinação da distância utilizando estadimetria. ...........................................41
Figura 5.12 - Princípio de medida de um MED. ......................................................................42
Figura 5.13 - Representação da função trigonométrica envolvida em um sistema de
coordenadas polares e retangulares. ........................................................................................43
Figura 5.14 - Dois sinais senoidais com a mesma amplitude e fases diferentes. . ...................44
Figura 5.15 - Modelo de prisma de reflexão total. . .................................................................45
Figura 5.16 - Alvo de reflexão através de superfície espelhada. .............................................45
Figura 5.17 - Alvo de reflexão difusa.......................................................................................46
Figura 5.18 - Ábaco utilizado para a obtenção da correção ambiental.....................................48
Figura 5.19 - Ábaco utilizado para a obtenção da correção ambiental.....................................49
Figura 6.1 - Leitura de direções e cálculo do ângulo................................................................51
Figura 6.2 - Ângulo horizontal. ................................................................................................51
Figura 6.3 - Pontaria para leitura de direções horizontais. ......................................................52
Figura 6.4 - Ângulo vertical. ....................................................................................................52
Figura 6.5 - Ângulo zenital.......................................................................................................53
Figura 6.6 - Ângulos horizontal e zenital. ................................................................................53
Figura 6.7 - Indicação da precisão de um teodolito. ................................................................55
Figura 6.8 - Teodolito...............................................................................................................55
Figura 6.9 - Modelo de limbo incremental. ..............................................................................57

TOPOGRAFIA

 Luis A. K. Veiga/Maria A. Z. Zanetti/Pedro L. Faggion

vi

Figura 6.10 - Sistema de codificação absoluto. ........................................................................57
Figura 6.11 - Esquema do sensor de inclinação. ......................................................................58
Figura 6.12 - Detalhe do sensor de inclinação..........................................................................58
Figura 6.13 - Estação Total. .....................................................................................................59
Figura 6.14 - Ângulo α. ............................................................................................................60
Figura 6.15 - Aparelho não orientado.......................................................................................60
Figura 6.16 - Aparelho orientado na estação ré........................................................................61
Figura 6.17 - Aparelho orientado na estação vante. .................................................................61
Figura 6.18 - Deflexão..............................................................................................................61
Figura 6.19 - Leitura por pares conjugados..............................................................................62
Figura 6.20 - Leituras utilizando o método de reiteração – posição I. .....................................63
Figura 6.21 - Leituras utilizando o método de reiteração – posição II. ....................................63
Figura 6.22 - Leituras utilizando o método de reiteração – posição III....................................64
Figura 6.23 - Medida com repetição.........................................................................................65
Figura 6.24 - Direções medidas com o método de repetição....................................................66
Figura 6.25 - Direções medidas com o método de repetição, segundo exemplo. ....................66
Figura 6.26 - Exemplificando o método de repetição. .............................................................67
Figura 6.27 - Marco de concreto. .............................................................................................68
Figura 6.28 - Chapa metálica com a indicação do ponto topográfico. .....................................69
Figura 6.29 - Disposição dos equipamentos enquanto não utilizados......................................69
Figura 6.30 - Movimento de extensão das pernas do tripé.......................................................69
Figura 6.31 - Cravando o tripé no solo.....................................................................................70
Figura 6.32 - Cuidados a serem seguidos na instalação do tripé..............................................70
Figura 6.33 - Retirando o instrumento da caixa. ......................................................................70
Figura 6.34 - Fixando o equipamento ao tripé..........................................................................71
Figura 6.35 - Eixo principal do equipamento passando pelo ponto. ........................................71
Figura 6.36 - Níveis esférico, tubular e digital. ........................................................................72
Figura 6.37 - Posicionando o prumo sobre o ponto..................................................................72
Figura 6.38 - Ajustando o nível de bolha utilizando os movimentos de extensão do tripé......72
Figura 6.39 - Calagem da bolha do nível esférico....................................................................73
Figura 6.40 - Nível alinhado a dois calantes. ...........................................................................73
Figura 6.41 - Movimentação dos dois calantes ao mesmo tempo, em sentidos opostos..........73
Figura 6.42 - Alinhamento do nível ortogonalmente à linha inicial.........................................74
Figura 6.43 - Calagem da bolha atuando no parafuso ortogonal a linha inicial. ......................74
Figura 6.44 - Retículos focalizados. .........................................................................................75
Figura 7.1 - Campo magnético ao redor da Terra.....................................................................77
Figura 7.2 - Representação do azimute. ...................................................................................78
Figura 7.3 - Representação do rumo.........................................................................................78
Figura 7.4 - Representação do rumo em função do azimute. ...................................................79
Figura 7.5 - Representação da declinação magnética...............................................................83
Figura