A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
54 pág.
FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE: TEORIA E PRÁTICA PARA ATENDIMENTO PEDAGÓGICO AO ESCOLAR EM TRATAMENTO DE SAÚDE

Pré-visualização | Página 4 de 20

já estão familiarizados com 
essa rede social e sabem utilizar as ferramentas 
existentes, de modo que fica mais fácil explorar 
seus recursos. 
Tendo isso em mente, o curso Formação Con-
tinuada On-Line – Teoria e Prática para o Atendi-
mento Pedagógico ao Escolar em Tratamento de 
Saúde irá criar um grupo fechado no Facebook 
para seus participantes, cujas postagens serão 
relacionadas ao assunto de cada uma das disci-
plinas, lembrando que o conteúdo somente será 
visto pelos alunos e professores, não ficando 
nada aberto aos demais “amigos” dos integrantes 
do grupo. 
Por meio da rede social, alunos e professores 
poderão realizar chats – ferramenta muito sim-
ples que possibilita plena interação entre os que 
estão participando do curso, em tempo real –, 
fóruns de discussão e debates, deixando todos 
atualizados e abrindo espaço para a argumen-
tação dos conteúdos abordados. Ademais, os 
professores do curso on-line poderão lembrar os 
alunos das datas e eventos importantes, pois ca-
lendários e eventos podem ser facilmente com-
partilhados na plataforma. Os alunos, por sua vez, 
poderão formar outros grupos para desenvolver 
os projetos das aulas e compartilhar informações, 
contando com o envolvimento de todos.
Por fim, as atividades propostas em cada uma 
A
m
bi
en
ta
çã
o 
Eu
re
ka
 e
 F
ac
eb
oo
k
- Doutoranda em Educação pela PUCPR. 
- Mestre em Educação pela PUCPR (2010). 
- Bacharel em Comunicação Social - Jornalismo pela UP (2005) e 
Bacharel em Artes Cênicas pela FAP (1996). 
- Realizou os cursos de extensão: Telejornalismo Aplicado pela PUCPR e 
RPC - TV, com carga horária de 360h, em 2007 e Oficina de Atores da Rede 
Globo de Televisão, também com 360h, em 1996/1997. 
Atua nas áreas de educação, como autora e editora de materiais didáti-
cos (para impresso, web e vídeo), na formação de professores (oficinas de 
teatro, de contação de histórias e de roteiros para cinema), na área de co-
municação, como docente e repórter, e artístico-cultural, desenvolvendo 
projetos de literatura, teatro e cinema.
Maíra Weber
9
das disciplinas do curso on-line poderão ser apre-
ciadas em conjunto no Facebook, podendo os 
alunos, quando for o caso, fazer enquetes com 
seus “amigos” para reunir informações e realizar 
pesquisas. Entre outros atributos, o espaço será 
muito usado para solucionar dúvidas, trocar ex-
periências, conversar e se atualizar sobre o curso; 
dessa forma, o aluno não ficará limitado apenas 
ao tempo de uma aula e terá a oportunidade de 
ampliar suas pesquisas. 
9
Retrospectivas e Perspectivas no 
Atendimento Pedagógico ao 
Escolar em Tratamento de Saúde
Re
tr
os
pe
ct
iv
as
 e
 P
er
sp
ec
tiv
as
 
Retrospectivas e Perspectivas no 
Atendimento Pedagógico ao 
Escolar em Tratamento de Saúde
11
Você já pensou quantos escolares estão nes-
te momento hospitalizados, em casas de apoio 
ou em atendimento domiciliar? Pense nesses 
momentos em que uma criança ou adolescen-
te em idade de escolarização necessita ser tira-
do de seu contexto social e interagir com outra 
realidade, neste caso, o hospital, o atendimento 
domiciliar ou a casa de apoio. Assim, é que nesta 
proposta busca-se apresentar, numa retrospecti-
va, perspectivas para o atendimento pedagógico 
e lúdico a docentes que atuam com escolares em 
tratamento de saúde. Destaca-se, a necessidade 
emergente de atuarmos com diferentes olhares 
nas diferentes realidades e sabermos criar estra-
tégias na organização do trabalho pedagógico, 
oferecendo momentos que possam favorecer o 
processo de aprendizagem e ludicidade, mesmo 
em contextos com realidades diferenciadas da 
sala de aula na escola. 
O preparo de profissionais que atuam nesses 
ambientes pode ser ampliado pelo compartilha-
mento em redes sociais hoje tão usuais, de modo 
a estabelecer trocas e colaborações numa ciran-
da na busca de novos saberes para dar conta dos 
diferentes desafios pedagógicos deste milênio. 
Diante disso, esperamos que as palavras a seguir 
possam aguçar sua curiosidade e seu ato criativo, 
bem como preencher algumas lacunas a partir 
de contribuições dos anos que temos nos envol-
vido junto à teoria, prática, pesquisa, reflexão e 
produção científica com diferentes partícipes e 
realidades. Deixamos nossa mensagem por meio 
de diferentes autores e atores experientes que 
se propuseram a compartilhar saberes e práti-
cas realizadas em contextos diferenciados, cujo 
espectro pretende ir além da reflexão e da sensi-
bilização, oferecendo propostas vivenciadas, ex-
ploradas e associadas à prática nesses cenários. 
Trata-se de interconectar educação e saúde, 
com o objetivo de oferecer atitudes de humani-
zação como aporte principal na concepção de 
novas práticas educativas, integrando a escola 
de origem desses escolares e os momentos em 
que estão sendo atendidos em realidades dife-
renciadas. Todos aqueles que compõem as en-
trelinhas e as imagens, nesse sentido, buscam 
apontar trilhas que possam ampliar a visão no 
momento da atuação e intervenção docente. 
Acreditamos numa grande corrente humana em 
prol de escolares em tratamento de saúde, a fim 
de que, por meio da educação cocriativa e com-
prometida, possamos ampliar cada vez mais esse 
espaço profissional e humano, integrando dife-
rentes profissionais que transitam as realidades 
de saúde, num enfoque específico a partir de sua 
área de atuação, porém de maneira inter/multi/
transdisciplinar. 
A presente abordagem está inserida no grupo 
de pesquisa Paradigmas Educacionais e Forma-
ção de Professores (PEFOP), do Programa de Pós-
Graduação, Mestrado e Doutorado em Educação 
da Pontifícia Universidade Católica do Paraná 
(PUCPR), no projeto Diferentes Níveis e Contex-
tos, coordenado pela professora doutora Elize-
te Lúcia Moreira Matos, o qual foi aprovado no 
projeto Produtividade em Pesquisa do Conselho 
Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecno-
lógico (PQ/CNPq), que tem como meta preparar 
profissionais que atuam com atendimento de es-
colarização a escolares em tratamento de saúde, 
estejam eles hospitalizados, em casas de apoio, 
tratamento ambulatorial ou domiciliar. 
Observa-se que o Conselho Nacional de Edu-
cação (CNE), na Resolução CNE/CEB nº 2/01 (BRA-
SIL, 2001a), determina a implantação de classes 
hospitalares, proporcionando o atendimento pe-
dagógico a escolares hospitalizados, permitindo 
ao professor um novo desafio: realizar ações pe-
dagógicas e educacionais fora do seu espaço de 
atuação, que é a escola; diante disso, passa a ser o 
hospital um novo ambiente de trabalho docente. 
Além disso, as práticas pedagógicas educacio-
nais ocorrem em diferentes níveis e contextos, 
visto que acontecem em espaços diferenciados 
na educação, podendo transformar e ampliar as 
relações de interação entre a escola e o aluno. 
Portanto, a possibilidade de a educação atingir 
públicos cada vez mais diversificados é presente, 
principalmente, nas situações diversas que, por 
motivos diferenciados, impossibilitam o acesso 
Matos, E. L.
Retrospectivas e Perspectivas no 
Atendimento Pedagógico ao 
Escolar em Tratamento de Saúde
Re
tr
os
pe
ct
iv
as
 e
 P
er
sp
ec
tiv
as
 
12
ao processo educacional formal. 
Nesse sentido, Ceccim (1999, p. 42) destaca 
a importância do processo educativo no espaço 
hospitalar e argumenta que 
o acompanhamento pedagógico e escolar da 
criança hospitalizada favorece a construção sub-
jetiva de uma estabilidade de vida não apenas 
como elaboração psíquica da enfermidade e da 
hospitalização, mas, principalmente, como conti-
nuidade e segurança diante dos laços sociais da 
aprendizagem (relação com colegas e relações 
de aprendizagens mediadas por professor), o que 
nos permitiria falar de uma ‘escola no hospital’ ou 
de uma