A-privatizacao-das-estatais-no-Brasil-nos-anos-90
5 pág.

A-privatizacao-das-estatais-no-Brasil-nos-anos-90

Disciplina:Economia do Setor Público446 materiais12.192 seguidores
Pré-visualização5 páginas
Colégio Pedro II - Unidade São Cristóvão III
Coordenação de História

DANIEL DE MORAES LOBO
DIOGO GONÇALVES DIAS

GABRIEL MATOS
GABRIELLA ROCHA

TURMA 2302

A PRIVATIZAÇÃO DAS ESTATAIS
NO BRASIL NOS ANOS 90

RIO DE JANEIRO
2010

2

DANIEL DE MORAES LOBO
DIOGO GONÇALVES DIAS

GABRIEL MATOS
GABRIELLA ROCHA

A PRIVATIZAÇÃO DAS ESTATAIS
NO BRASIL NOS ANOS 90

Projeto desenvolvido como exigência
parcial para a conclusão do Ensino
Médio, sob a orientação da professora
Cláudia Afonso.

RIO DE JANEIRO
2010

3

SUMÁRIO

1.INTRODUÇÃO.......................................................................................................................3
2.ASPECTOS GERAIS..............................................................................................................4
3.HISTÓRICO............................................................................................................................5
4.PROPOSTAS DE PRIVATIZAÇÃO NO ANOS 90............................................................10

4.1.GOVERNO FERNANDO COLLOR DE MELLO (1990-1992).....................................10
4.2.GOVERNO ITAMAR FRANCO (1992-1995)................................................................10
4.3.GOVERNO FERNANDO HENRIQUE CARDOSO (1995-2002).................................11

5.PRIVATIZAÇÕES E AS PROPOSTAS NEOLIBERAIS....................................................12
6.PRIVATIZAÇÕES E O POVO.............................................................................................13

6.1.OPNIÃO DA POPULAÇÃO ACERCA DAS PRIVATIZAÇÕES.................................13
6.2 REAÇÕES DA POPULAÇÃO........................................................................................14

7.ENTREVISTA COM A PROFESSORA MARGARIDA.....................................................15
8.CONCLUSÃO.......................................................................................................................20
9.BIBLIOGRAFIA...................................................................................................................21

4

1. INTRODUÇÃO

Abordaremos nesse trabalho uma questão muito importante para a compreensão da
evolução de nossa economia e política através da exploração do tema da privatização de
empresas estatais no Brasil nos anos 90, principalmente. As ferramentas para possibilitar o
estudo desse tema foram entrevista e pesquisas em jornais, revista, internet e etc.

Compreenderemos melhor sobre o que é privatização, como ela se deu e algumas outras
curiosidades interessantes sobre esse tema.

Houve várias políticas de privatização no Brasil durante o período de tempo estudado e
todas elas foram analisadas e estudadas, desde o governo Collor (1990-1992) até o governo
FHC (1995-2002). Essas políticas sofreram grande influência das idéias neoliberais e através
do capítulo 5 poderemos perceber como isto se deu.

As privatizações geraram diversas reações e opiniões do povo, algumas de aspecto positivo
e outras de aspecto negativo e procuramos demonstrar os dois aspectos relacionados com seus
devidos tempos históricos.

A entrevista encontrada no capítulo 7 e realizada com a coordenadora de geografia do
Colégio Pedro II SC III foi muito esclarecedora sobre alguns aspectos das privatizações e
muito produtiva para a construção deste trabalho.

5

2. ASPECTOS GERAIS

Privatização ou desestatização é o processo de venda de uma empresa ou instituição
do setor público - que integra o patrimônio do Estado - para o setor privado (investidores e
corporações privadas, nacionais ou multinacionais), geralmente por meio de leilões públicos e
normalmente elas se processam quando estas empresas não estão mais proporcionando
os lucros exigidos para se enfrentar um mercado competitivo ou quando elas atravessam
crises financeiras sérias. No Brasil, o processo de desestatização consistiu principalmente em
tornar o Estado um sócio minoritário, pois grande parte das empresas já eram de capital aberto
e negociadas em bolsa de valores e o Estado Brasileiro, através do BNDES, continuou como
sócio minoritário. Esse processo ocorreu em vários governos desde o século XIX até hoje.

O processo de privatização no Brasil representou uma mudança radical do papel, até então
preponderante, reservado ao Estado na atividade econômica. O regime militar foi o período
onde a estatização de empresas teve seu ápice, incumbindo, assim, o papel de regulador da
economia ao Estado, porém, com as privatizações, o Estado perdeu essa função.

O fim do regime militar nos anos 80, a crise econômica iniciada naquela década, a falta de
recursos e a falência do modelo estatal na gestão de empresas de serviço público
desencadearam o início das privatizações no Brasil. Ao longo dos anos, o governo deixou de
ser o dono de minerador, siderúrgicas, empresas de telefonia e informática, portos, ferrovias,
montadoras de aviões, distribuidoras e geradoras de energia, abrindo caminho para a
modernização da infraestrutura.

As privatizações se instalaram definitivamente na América Latina nos anos 90, estimuladas
pela ação do Banco Mundial e do FMI \u2013 Fundo Monetário Internacional -, que seguiram a
orientação direta do conhecido Consenso de Washington, com a justificativa de que elas
incrementariam o crescimento econômico destes países.

No Brasil, a privatização tornou-se uma política governamental, porém não foi um

processo pacífico. Nos dois primeiros anos, foram arrecadados US$ 4 bilhões. Depois veio a
CSN (1993) e a Embraer (1994). Com Fernando Henrique, o programa foi ampliado e o
grande marco foi a privatização do Sistema Telebrás (1998).

6

3. HISTÓRICO

\ufffd 1990 / 1992
\ufffd Criação do PND (Lei 8.031/90);
\ufffd Inclusão de 68 empresas no Programa;
\ufffd Empresas Privatizadas: 18 nos setores de siderurgia, fertilizante e petroquímica.
\ufffd Arrecadados: US$ 4 bilhões.
\ufffd Meio de Pagamento: Títulos da dívida pública .
\ufffd Em 1990, com a criação do Programa Nacional de Desestatização - PND, a

privatização tornou-se parte integrante das reformas econômicas iniciadas pelo Governo. A
magnitude e escopo da privatização foram significativamente ampliados.

\ufffd A venda da Usiminas, por exemplo, em outubro de 1991, permitiu a arrecadação de
mais do dobro do obtido na década de 80. O PND concentrou esforços na venda de estatais
produtivas, com a inclusão de empresas siderúrgicas, petroquímicas e de fertilizantes no
Programa.

\ufffd Neste período, a prioridade para o ajuste fiscal traduziu-se na maciça utilização das
chamadas "moedas de privatização" - títulos representativos da dívida pública federal - na
compra das estatais.

\ufffd 1993 / 1994
\ufffd Conclusão da desestatização do setor siderúrgico;
\ufffd Ênfase no uso de moeda corrente;
\ufffd Empresas privatizadas: 15.
\ufffd Arrecadados: US$ 4,5 bilhões.
\ufffd Alienação de participações minoritárias.
\ufffd Intensifica-se o processo de transferência de empresas produtivas ao setor privado

observando-se o término da privatização das empresas do setor siderúrgico. A utilização de
maiores percentuais de recursos em moeda corrente em cada operação de privatização não
diminuiu a importância das chamadas "moedas de privatização" no PND.

\ufffd De fato, no intuito de ampliar e democratizar o Programa foram introduzidas
mudanças na legislação para permitir a ampliação do uso de créditos contra o Tesouro
Nacional como meios de pagamento, a venda de participações minoritárias,