A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
Revisão   1ª Avaliação

Pré-visualização | Página 1 de 3

REVISÃO - CIÊNCIA POLÍTICA
Que instrumentos permitem identificar a função primária do Estado conforme Lipson? Explicite cada instrumento.
Os instrumentos apresentados por Lipson são a história e a linguagem. Quando o autor se utiliza da história, ele apresenta argumentos quando o homem era nômade e depois que ele passou a ser sedentário. 
A primeira linha de proteção consistia na autodefesa, porém confiar em si mesmo não seria suficiente, ou seja, a verdadeira segurança teria de ser coletiva, através da cooperação entre os homens. Por isso, a fase nômade foi marcada por sociedades tribais simples, em que os homens fisicamente mais fortes e aptos exerciam as atividades “governamentais”, eles eram responsáveis pela proteção dos outros. Quando os homens passaram a ter um habitat fixo, surge a necessidade de proteção, também, para as coisas materiais, eles passaram a erguer fronteiras defensivas e foi preciso a proteção dessas fronteiras, e, com a complexidade da sociedade e conflitos de interesses, surge a necessidade de uma instituição que intervisse nos conflitos da sociedade, surgindo o Estado.
Em relação as provas que a linguagem oferece para função primaria do Estado é que um grande número de expressões antigas (gregos e romanas) tem o sentido de área limitada, fortificada para fins de segurança. Exemplo: polis (local fortificado).
A história de Déjoces é utilizada por Lipson para esclarecer sobre qual etapa da origem do Estado? Justifique sua resposta utilizando os argumentos apontados pelo autor. 
A história de Déjoces é utilizada pelo autor para esclarecer a fase sedentária dos homens, em que a sociedade passou a ser mais complexa e a evolução das situações sociais levaram à origem e à organização do Estado, que surge como um mediador/árbitro/juiz para resolver as divergências surgidas. Para Lipson, o Estado aparece para fins de proteção e segurança material em busca de uma sociedade com um mínimo de estabilidade e segurança.
Que função têm os meios de governo segundo Leslie Lipson e como é possível distingui-los entre si?
Os meios do governo (força, poder e autoridade) têm como função garantir que os fins (finalidades) do Estado (proteção, ordem e justiça) sejam alcançados. A proteção sozinha não é suficiente, por isso, para alcançar a proteção, o Governo emprega a força, que consiste na restrição física ou coerção real para fins externos (repelir grupos rivais e defesa) e internos (contra infrações da ordem e da lei), ou seja, a força aparece pela necessidade de proteção, mas ela não consegue, por si só, sustentar a ordem, então o poder se origina da combinação entre força e consentimento dos governados, ele tem como função estabelecer a ordem. Finalmente, a ordem se torna responsável pela justiça para que o poder possa transformar-se em autoridade, que consiste no poder legitimado (reconhecido como válido), e, a autoridade é fundada em um consenso geral, agindo em nome de todos. 
Sobre a força como meio de governo, apresente o argumento geral que explica o seu uso exclusivo pelo Estado, conforme Lipson.
A monopolização da força ocorre para assegurar os fins (proteção, ordem e justiça) do Estado e assegurar o poder. Para Lipson toda associação de seres vivos emprega os meios que se revelarem indispensáveis ou, pelo menos, mais adequados à execução de suas funções específicas, nesse sentido, o Estado, a fim de oferecer proteção, deve dispor de força. A força surge como forma de proteção para ataques vindo do exterior e também do interior, por isso, o Estado deve ser o único detentor da força para que não nasça em seu interior um Estado paralelo, visando sua derrubada, ou não seja derrubado por outros Estados. 
Situe a posição teórica assumida por Leslie Lipson para justificar a origem do Estado, usando como parâmetro as teses de Dalmo Dallari que dão conta da origem quanto à época, esclarecendo sua escolha.
Para Lipson, segundo as teses de Dallari, a sociedade existiu durante certo tempo sem o Estado, pois na fase nômade o homem vivia sem o Estado, e, somente a partir do sedentarismo, com uma sociedade mais complexa, surge a necessidade de proteção físico e material bem como uma instituição que regulasse os conflitos internos, assim, o Estado nasce quando um grupo de pessoas institucionaliza sua proteção, e isso vai ao encontro com a Teoria da institucionalização do Estado.
Produza um texto mostrando como o Nomadismo levou à função primária do Estado e da origem do Governo, segundo Lipison, e como tal situação pode ser justificada por uma das teses da origem e formação do Estado, quanto à época, conforme Dallari.
Quando o homem era nômade, a obrigação de proteger o grupo estava nos homens fisicamente mais fortes e aptos, eles também tinham o privilégio e a responsabilidade de exercer as funções de “governo”. Ou seja, por causa da grande mobilidade do grupo, foi-se necessária uma organização quase militar em que esses homens, quando necessário, transformavam-se em corpo de cavalaria. Por isso, a função primária do Estado é a proteção, contra danos físicos. O Governo nasce antes do Estado pelo fato dos homens serem nômades, e, consiste no conjunto de pessoas que detém os cargos oficiais e exercem autoridade em nome do Estado. Por isso, na fase nômade, tais funções estavam destinadas aos homens fisicamente mais fortes. Tal fato vai ao encontro com a tese da Institucionalização do Estado, postulada por Dallari. Segundo esse autor, à medida que as sociedades necessitavam, o Estado surgia para atender a esses grupos sociais, por isso a sociedade conviveu durante certo período sem Estado já que ele nasceu em épocas diferentes, em diferentes lugares de acordo com as condições concretas de cada lugar. 
Produza um texto mostrando como o sedentarismo levou à origem do Estado, segundo Lipson, e como a história de Déjoces pode ilustrar a origem a partir da tese de formação do Estado quanto às causas.
A mudança da fase nômade para a fase sedentária alterou as táticas de proteção, tendo em vista que ao se fixarem em um lugar, os homens sentiram a necessidade de erguer fronteiras defensivas bem como construir fortalezas ou cidadelas em seu interior, em decorrência disso surgiu a necessidade de uma instituição para exercer a função primária do Estado. Segundo a história de Déjoces, ele era um homem muito sábio, que se tornou famoso pela prática da justiça e imparcialidade, porém, em dado momento ele disse que não resolveria os conflitos dos vizinhos e com isso, as transgressões de leis irromperam entre as vilas, fazendo com que os medos se reunissem para discutir a escolha de um rei, para montar um sistema monárquico, então a maioria escolheu Déjoces como o rei e tal ato constitui a tese da formação originária contratualmente, que expõe, o Estado se forma a partir de um ato voluntário de alguns homens. 
Como é possível que a particularidade apresentada pela definição do Estado como sociedade histórica descontrua a definição genérica do Estado, conforme Dallari? 
Porque a definição genérica de Estado afirma que qualquer sociedade política, podendo ser uma pessoa ou uma entidade, a partir de sua autoridade superior, que foi conferida, fixa as regras de convivência de seus membros integrantes, porém a teoria da historicidade do Estado afirma que só pode ser considerado Estado apenas as sociedades políticas com soberania territorial, assim a teoria genérica é descontruída tendo em vista que nem toda sociedade política possui soberania territorial. 
Como é possível unir a definição etimológica à definição do Estado como sociedade histórica, conforme Dallari?
A palavra Estado, do latim Estatus (que significa estar firme, situação de firmeza), com esse conceito, foi utilizado pela primeira vez por Maquiavel em sua obra “O Príncipe”, em 1513. Ele definiu Estado como uma sociedade política que detiveram ou detêm poder sobre os homens, sendo que o nome Estado só pode ser usado para sociedades quem possuem (ou possuírem) autoridade e fixem (ou fixaram) regras de convivência entre