A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
RESUMÃO DE ANTISSEPTICOS

Pré-visualização | Página 2 de 2

do agente antimicrobiano em concentrações orais )
** agente anti-placa : desestrutura matriz da placa 
** agente antimicrobiano : efeito bactericida e /ou bacteriostático (é importante que esse ultimo se mantenha para que a substancia continue retida por muito tempo retardando o desenvolvimento de bactérias , retardando assim seu crescimento, seu metabolismo , o que comprova a SUBSTANTIVIDADE , pela persistência da substancia química na boca , por período de tempo longo) 
Esses testes que envolvem a comprovação de potencia pelos agentes antimicrobianos e anti-placa só servem para amostras de células plactonicas , uma vez que células quando estabelecidas em biofilme , criam mecanismos de resistência e tolerância a penetração do agente antisséptico. 
Reação das células em biofilme : 
- criar mecanismos de resistência 
- criar mecanismos de tolerância
- fazem com que seu crescimento seja retardado, pois em fase de multiplicação elas estão mais susceptíveis 
- o biofilme , em si , por ser arquitetado em microcolonias e ter grande co-agregação e co-adesão entre células faz com que o agente antisséptico tenha permeabilidade/ penetração reduzida , e esse agente antisséptico por sua vez vai se aderir a matriz do biofilme , ou a células da supercie do biofilme que estão mais expostas, sem conseguir penetrar até a base, se estabelecendo ai ele passa a ter menor concentração uma vez que está “consumido” na matriz e nas paredes das bactérias , e uma vez que passa a ser dissolvido pela saliva, o que diminui sua eficiência 
- bactérias passam a expressar um novo fenótipo 
CARACTERISTICAS DE UM ANTISSEPTICO IDEAL :
Efetividade (potencia ) – medida pelo MIC / MCB , quanto menor concentração e maior efeito inibitório , maior a potencia 
Substantividade (persistência- consegue manter concentrações inibitórias(em concentrações sub-letais) na cavidade oral por um período prolongado )
Penetrabilidade – mais penetrável, quanto mais consegue atingir a base 
Seletividade – não para bactérias , mas para células do hospedeiro, ele tem que matar tudo quanto é bactéria , sem agredir as células do hospedeiro 
-Não induzir mutações , tanto no biofilme como nas células do hospedeiro)
-Não favorecer o crescimento de microrganismos oportunistas , se seleciona um tipo de bactéria para matar , pode ser que outras na ausência daquela passem a crescer 
Não produzir efeitos colaterais – é uma aspecto muito pessoal 
PRESENÇA DE ALCOOL 
O uso de álcool pode aumentar a incidência de câncer oral em usuários regulares , mas não foram comprovadas essas evidencias cientificamente. Tentam criar leis pra tirar álcool da formulação mas industrias que manipulam os antissépticos provam , que o álcool mesmo que em altas concentrações (22%) , durante um bochecho de 20mL por 30s , 2 vezes ao dia , não causa nenhum dano, pois a quantidade é mínima por mL do produto.
proibido para : crianças , pessoas com mucosite, alcoolatras, imunocomprometidos e pessoas que estão em tratamento de câncer com radio e quimio.
O álcool é muito usado na formulação pq ajuda a dissolver alguns agentes químicos que também serão colocados na solução do antisséptico e porque ele , comprovadamente, aumenta a permeabilidade em biofilme 
CALCULO DO UFC 
1. Escolher a melhor diluição e contar o número de colônias em cada placa. Calcular a média e o número de ufc do total de viáveis e de EGM/ml de saliva para cada um dos tempos.
no médio de colônias x 40 (grau de diluição)x fator de diluição = no de ufc /ml de saliva
2. Construir uma tabela com os resultados da contagem.
3. Calcular a porcentagem de redução após diferentes tempos do uso dos enxaguatórios bucais em relação ao t0 de cada solução
% de redução = no de ufc/ml saliva t0 - no de ufc/ml saliva tn x 100
no de ufc/ml saliva t0
Interpretação final: se a porcentagem de redução no ultimo tempo , for tipo 99 % significa que o antisséptico é muito efetivo e tem grande susbstantividade, age em concentrações subletais , como é o caso principalmente da clorexidina
UFC: Unidade Formadora de Colônia
Por definição de conceito o calculo do UFC (Unidades Formadoras de Colônia), é feito para quantificar o número de bactérias presentes em uma solução. 
Dependendo da concentração da amostra, será necessário realizar múltiplas diluições e colocar as amostras em placas de Petri. Se há muitas colônias de bactérias será difícil de realizar a contagem, e se há poucas, a amostra pode não ser representativa. Geralmente, é uma boa ideia colocar nas placas amostras da solução original, uma de diluição 1/10 (1 parte de solução e 9 partes de solução escolhida), uma de diluição 1/100 e uma de 1/1000
Calcular o UFC : no médio de colônias x 40( grau de diluição) x fator de diluição = no de ufc /ml de saliva 
Realizar uma contagem preliminar de cada placa após o tempo de incubação das bactérias, 48h e 5 dias .Deve-se contar apenas colônias individuais, que devem ser pontos isolados distintos, não conjuntos de colônias que cresceram juntas. O ideal é escolher a placa que tenha mais de 30 e menos de 300 colônias.
Conte o número de colônias individuais de cada placa . Calcular a média, que por sua vez vai ser a soma das 3 quantias e divisão por 3 , pois fez-se 3 semeaduras.
Determine o tamanho da diluição que utilizou. Idealmente, você deve rotular as placas de Petri no início do experimento, se foi a com diluição de 1:100, usar 100 na multiplicação do fator de diluição . 10¯²= multiplicar por 1001000µL/25 µL= 40 
1000µL/25 µL= 40 
00µL/25 µL= 40 
Multiplique o grau da diluição pela quantidade que você pôs na placa. É a quantidade que semea em partes de 1 mL . Por exemplo se vc semeou 10 µL , você terá 10 partes de 1000 µL = 1mL , se você semeou 25 µL, você terá 40 partes de 1000 µL. 
Para obter a porcentagem de redução após os diferentes tempos do uso dos enxagatórios em relação ao t0 de cada solução, sendo que o resultado do calculo de redução significa quantos organismos morreram. Dividir o resultado da subtração do UFC inicial t0 número- o UFC do tempo a ser comparado, pelo próprio n° dp UFC inicial 
% de redução = no de ufc/ml saliva t0 - no de ufc/ml saliva tn x 100
no de ufc/ml saliva t0