Relatorio de espectrofotometria
2 pág.

Relatorio de espectrofotometria


DisciplinaAnálise Instrumental665 materiais3.624 seguidores
Pré-visualização2 páginas
UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO
CENTRO DE ESTUDOS SUPERIORES DE CAXIAS
DEPARTAMENTO DE QUÍMICA E BIOLOGIA
CURSO: LICENCIATURA EM QUÍMICA
DISCIPLINA: ANÁLISE INSTRUMENTAL
Prof. Dra. QUÉSIA GUEDES DA SILVA CASTILHO

ESPECTROFOTOMETRIA

CAXIAS
2016
FRANCIELLEN COSTA SANTOS Cód 1457118

ESPECTROFOTOMETRIA

CAXIAS
2016
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO ...............................................................................................3
OBJETIVO.......................................................................................................4
MATERIAIS.....................................................................................................4
PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL.........................................................5
RESULTADOS E DISCUSSÕES....................................................................6
CONCLUSÃO...................................................................................................11
REFERÊNCIAS................................................................................................12

INTRODUÇÃO

Um espectrofotómetro é um aparelho que faz passar um feixe de luz monocromática através de uma solução, e mede a quantidade de luz que foi absorvida por essa solução. Usando um prisma o aparelho separa a luz em feixes com diferentes comprimentos de onda (tal como acontece no arco-íris com a separação das cores da luz branca). Pode-se assim fazer passar através da amostra um feixe de luz monocromática (de um único comprimento de onda, ou quase). O espectrofotómetro permite-nos saber que quantidade de luz é absorvida a cada comprimento de onda.
A fotometria é o ramo da óptica que se preocupa em medir a luz, em termos de como seu brilho é percebido pelo olho humano. Aquela se diferencia da radiometria, que é a ciência que mede a luz em termos de sua potência absoluta, por descrever a potência radiante associada a um dado comprimento de onda usando a função de luminosidade modeladora da sensibilidade do olho humano ao brilho. A fotometria também é utilizada na astronomia, na observação de estrelas, pela percepção da diminuição da luz por elas emitida. Através de estudos e cálculos, é possível descobrir novos planetas e saber informações como rotação, translação, distância da estrela e satélites.
Os métodos espectroscópicos baseiam-se na absorção e/ou emissão de radiação eletromagnética por muitas moléculas, quando os seus elétrons se movimentam entre níveis energéticos. A espectrofotometria baseia-se na absorção da radiação nos comprimentos de onda entre o ultravioleta e o infravermelho. A chamada radiação luminosa corresponde a uma gama de comprimentos de onda que vai desde o ultravioleta ao infravermelho no espectro da radiação eletromagnética.
Na análise espectrofotométrica a fonte de radiação emite até a região ultravioleta do espectro. Desta radiação selecionam-se comprimentos de onda definidos que constituem bandas, com largura menor que 1nm. Este procedimento necessita de um instrumento mais complicado, e por isso mais caro. O instrumento é um espectrofotômetro. Quando um feixe de radiação monocromática atravessa uma solução contendo uma espécie absorvente, uma parte dessa energia é absorvida, enquanto a outra é transmitida
	O conjunto das absorbâncias aos vários comprimentos de onda para um composto chama-se espectro de absorção e varia de substância para substância. Se uma substância é verde, por exemplo, então deixa passar ou reflete a cor nesse comprimento de onda, absorvendo mais a luz na região do vermelho. Uma vez que diferentes substâncias têm diferentes padrões de absorção, a espectrofotometria permite-nos, por exemplo, identificar substâncias com base no seu espectro. Permite também quantificá-las, uma vez que a quantidade de luz absorvida está relacionada com a concentração da substância. Às vezes uma substância, quando alterada quimicamente, pode passar a apresentar um espectro de absorção diferente. Quando isto acontece, temos uma maneira de detectar essas mesmas alterações. Por exemplo, o NADH reduzido absorve a 340 nm, enquanto que a forma oxidada não tem absorbância significativa a esse comprimento de onda.
Para que esta diminuição na intensidade da radiação (T) possa ser utilizada para a determinação da concentração de um cromóforo, é necessário relacionar estas duas grandezas, o que é realizado pela lei de Lambert-Beer.

OBJETIVO
Obter a determinação do espectro de absorção de soluções aquosas de permanganato de potássio (KMnO4) e de cromato de potássio (K2CrO4) e aprender os princípios da espectrofotometria.

MATERIAIS E REAGENTES

Água destilada
K2CrO4 mol/L (250 mL)
KMnO4 mol/L (250 mL)

Vidrarias

01 Proveta de100 mL
01 Béquer de 250 mL
01 Pipeta graduada (5mL)
02 Béqueres 500mL (descarte)
02 Cubetas de vidro (uma somente para água destilada)
Papel macio para limpeza das cubetas

PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL

1º experimento
Deu-se início ao experimento, pipetando 2 mL das soluções de KMnO4 e K2CrO4 de concentrações 2,0 x 10-2 mol/L, e após a medição da soluções, foi feita a transferência para um béquer de 100 mL, em seguida completou-se o volume com água destilada até o menisco para se ter a homogeneização das soluções.
Logo após foi feito a calibração do espectrofotômetro definindo o ponto zero da absorbância, com uma cubeta contendo apenas água, após feito a experiência no espectrofotômetro foi feito um gráfico exibindo a absorbância (Ac) em função do comprimento de onda (nos comprimentos de onda de 320nm a 860nm), mostrando os dois conjuntos de pontos experimentais.

2º experimento

Deu-se início ao experimento 2, pipetando 1mL, 2mL, 4mL, 8mL e 10mL com uma pipeta graduada da solução permanganato de potássio (KMnO4) de concentração 2,0 x 10-2 mol/L para preparar uma solução padrão para uma proveta de 100mL, após a transferência, a proveta foi completada com água destilada até o menisco até ter uma homogeneização completa da solução. Após feito os procedimentos foi escolhido dois comprimentos onda obtidos no experimento anterior, um referente a absorbância máxima e o outro comprimento foi fixado em 500nm.
Logo após a obtenção dos resultados da absorbância máxima e a de 500 nm foi construída um gráfico da absorbância versus 1xc e com uma reta aonde os pontos estão ajustados ao resultado do experimento.

3º experimento

Preparou-se 2mL da solução estoque e em seguida diluiu a solução num béquer de 100mL, após os procedimentos citados, foram efetuadas as medidas de absorbância da solução no espectrofotômetro do comprimento de onda da absorbância da respectiva substância.

RESULTADOS E DISCURSÕES

1º experimento

Observou-se que ao colocar a solução de permanganato de potássio (KMnO4) no espectrômetro foi obtido os comprimentos de ondas da solução, que se encontram na tabela abaixo.
	Comprimento de onda (nm)
	Absorbância da água
	Absorbância da solução de (KMnO4)
	Absorbância da água
	Absorbância da solução de
(K2CrO4)

	320
	0,0
	0,145
	0,0
	0,081

	340
	0,0
	0,184
	0,0
	0,170

	360
	0,0
	0,151
	0,0
	0,268

	380
	0,0
	0,081
	0,0
	0,375

	400
	0,0
	0,056
	0,0
	0,396

	420
	0,0
	0,035
	0,0
	0,164

	440
	0,0
	0,044
	0,0
	0,098

	460
	0,0
	0,073
	0,0
	0,052

	480
	0,0
	0,161
	0,0
	0,036

	500
	0,0
	0,307
	0,0
	0,026

	520
	0,0
	0,437
	0,0
	0,022

	540
	0,0
	0,448
	0,0
	0,020

	560
	0,0
	0,313
	0,0
	0,019

	580
	0,0
	0,168
	0,0
	0,019

	600
	0,0
	0,060
	0,0
	0,018

	620
	0,0
	0,047
	0,0
	0,017

	640
	0,0
	0,041
	0,0
	0,017

	660
	0,0
	0,033
	0,0
	0,016

	680
	0,0
	0,076
	0,0
	0,016

	700
	0,0
	0,019
	0,0
	0,015

	720
	0,0
	0,014
	0,0
	0,016

	740
	0,0
	0,012
	0,0
	0,015

	760
	0,0
	0,010
	0,0
	0,016
Grasiela
Grasiela fez um comentário
me envie este relario em pdf pf?
0 aprovações
Carregar mais