Caderno_Didtico_de_Farmacologia_Geral.pdf
121 pág.

Caderno_Didtico_de_Farmacologia_Geral.pdf


DisciplinaFarmacologia Veterinária I803 materiais4.872 seguidores
Pré-visualização39 páginas
Universidade Federal de Santa Maria 
 Centro de Ciências da Saúde 
Departamento de Fisiologia e Farmacologia 
 
 
 
 
 
 
Farmacologia Geral Veterinária 
 
 
 
 
 
 
Autores 
Profª Adjunta Eliane Maria Zanchet 
Profº Adjunto João Regis Miolo 
 
Colaboradores 
Méd. Vet. Bruna Carolina Garmatz 
 Méd. Vet. Guilherme Coradini Fontoura da Silva 
Méd. Vet. Luciana Conterato Bulsing 
Méd. Vet. Renan M. Kruger 
 
Reeditado e Impresso em Março de 2011 
 
 
Farmacologia Geral Veterinária 
 
 
 
FICHA CATALOGRÁFICA 
 
 
 
 2 
 
Farmacologia Geral Veterinária 
 
 
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA 
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA 
CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE 
 
 
 
 
Prof. Felipe Martins Muller 
Reitor da UFSM 
 
 
 
 
Prof. Dalvan José Reinert 
Vice-Reitor da UFSM 
 
 
 
 
Prof. Paulo Afonso Burmann 
Diretor do CCS/UFSM 
 
 
 
 
Prof. Renato Borges Fagundes 
Vice-Diretor do CCS/UFSM 
 
 3
Farmacologia Geral Veterinária 
 
Farmacologia Geral Veterinária 
 
 
 
 
Autores 
Eliane Maria Zanchet1 
João Regis Miolo2 
 
 
 
 
Colaboradores 
Bruna Carolina Garmatz3 
Guilherme Coradini Fontoura da Silva3 
Luciana Conterato Bulsing3 
Renan M. Kruger3 
 
 
1 Médica Veterinária, Doutora, Professora do Departamento de Fisiologia e 
Farmacologia/CCS/UFSM. Santa Maria \u2013 RS. 
2 Médico Veterinário, Mestre, Professor do Departamento de Fisiologia e 
Farmacologia/CCS/UFSM. Santa Maria \u2013 RS. 
3 Médico Veterinário, graduado pela UFSM. 
 
 4 
Farmacologia Geral Veterinária 
 
APRESENTAÇÃO 
 
 
 
 Este Caderno Didático foi elaborado para que os alunos do Curso de 
Medicina Veterinária da UFSM, tenham acesso fácil a informações relativas ao conteúdo 
programático, desenvolvido na disciplina de Farmacologia Geral Veterinária \u2013 FSL 1003, 
facilitando assim a compreensão dos temas abordados em aulas expositivas teóricas e 
práticas. 
 Este trabalho que contou com a colaboração de alunos monitores da 
disciplina, não tem a pretensão de esgotar o assunto e nem substituir a literatura 
especializada em farmacologia veterinária, apenas auxiliar de forma didática no 
acompanhamento das aulas, pelos alunos regularmente matriculados. 
 Obviamente, que os assuntos aqui abordados restringem-se aos propostos 
pelo plano de ensino em sintonia com a ementa da disciplina FSL 1003 do currículo do 
Curso de Medicina Veterinária da UFSM, sendo necessário a busca de mais informações 
por parte dos acadêmicos ou quem fizer uso deste manual para aprofundamento dos 
temas aqui explanados. 
 Agradecemos a todos que colaboraram, especialmente aos alunos que se 
utilizam deste instrumento para atingirem os seus objetivos como futuros profissionais 
médicos-veterinários. 
Também não podemos deixar de lembrar os Professores aposentados 
Amauri Rodrigues da Silva, Hilton Machado Magalhães e Rubem Boelter, mestres 
inspiradores e pioneiros na elaboração de polígrafos ou cadernos didáticos para a 
disciplina de Farmacologia Veterinária no Departamento de Fisiologia e Farmacologia, 
além da autoria de livros sobre o tema. 
 
 
 Os Autores 
 
 
 
 
 
 
 
 
 5
Farmacologia Geral Veterinária 
 
 
 
SUMÁRIO 
 
 UNIDADE I \u2013 INTRODUÇÃO A FARMACOLOGIA________________________ 7 
 
1. INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA FARMACOLOGIA___________________________7 
2. FORMAS FARMACÊUTICAS E FÓRMULAS _______________________________13 
3. ADMINISTRAÇÃO DE FÁRMACOS_______________________________________17 
4. VIAS DE ADMINISTRAÇÃO ____________________________________________ 19 
5. FARMACOCINÉTICA __________________________________________________29 
6. MECANISMO DE AÇÃO DOS FÁRMACOS- Considerações Gerais e Receptores ______ 43 
7. MECANISMO DE AÇÃO DOS FÁRMACOS \u2013 Relação dos Fármacos com o Organismo __49 
8. EFEITOS ADVERSOS DOS FÁRMACOS __________________________________52 
9. FATORES QUE MODIFICAM A AÇÃO FARMACOLÓGICA DOS FÁRMACOS____ 53 
 
UNIDADE II \u2013 FARMACOLOGIA DO SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO _____60 
 
10. ADRENÉRGICOS E ANTIADRENÉRGICOS _______________________________ 60 
11. COLINÉRGICOS E ANTICOLINÉRGICOS _________________________________ 69 
 
UNIDADE III \u2013 FARMACOLOGIA DO SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO ____ 74 
 
12. ANESTÉSICOS LOCAIS _______________________________________________ 74 
13. RELAXANTES MUSCULARES DE AÇÃO PERIFÉRICA ______________________79 
 
 
UNIDADE IV \u2013 FARMACOLOGIA DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL ______ 82 
 
14. INTRODUÇÃO E ANESTÉSICOS GERAIS _________________________________82 
15. ANESTÉSICOS GERAIS INALATÓRIOS __________________________________ 87 
16. ANESTÉSICOS GERAIS INJETÁVEIS E DISSOCIATIVOS ___________________ 93 
17. TRANQÜLIZANTES MAIORES __________________________________________99 
18. TRANQÜLIZANTES MENORES ________________________________________ 104 
19. RELAXANTES MUSCULARES DE AÇÃO CENTRAL _______________________110 
20. ESTIMULANTES: CORTICAIS, BULBARES E MEDULARES _________________112 
21. CONTENÇÃO QUÍMICA EM RÉPTEIS________________________________ ___116 
22. IMOBILIZAÇÃO QUÍMICA EM PRIMATAS SELVAGENS__________________ __117 
23. CONTENÇÃO QUÍMICA DE FELINOS SELVAGENS________________________119 
 
 
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS __________________________________121 
 
 
 
 6 
Farmacologia Geral Veterinária 
 
 UNIDADE I \u2013 INTRODUÇÃO À FARMACOLOGIA 
1. INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA FARMACOLOGIA 
1.1 \u2013 Breve Histórico da Farmacologia 
Desde sempre o homem em todas as épocas lutou e ainda luta contra a dor e a 
enfermidade, preocupado com a preservação de sua saúde visando melhor qualidade de 
vida. 
A farmacologia como ciência tem pouco mais de um século, sendo sua 
predecessora a empírica MATERIA MÉDICA. 
 O conhecimento do uso de substâncias medicamentosas bem como de sua 
aplicação se funde na história com os aspectos mitológicos dos diferentes povos da 
Antigüidade. Acreditavam os povos antigos na interferência de forças divinas para auxiliar 
na cura das enfermidades. Normalmente, cabia ao feiticeiro de cada clã a realização de 
rituais com a finalidade de obter a cura. 
Entre o povo grego era Apolo considerado o Deus encarregado da arte de curar. 
Asclépio (Eusculápio na mitologia romana), que era filho de Apolo, estimulava seus 
seguidores a erigirem templos de tratamento para os doentes sendo que nesses locais, 
além de rituais, os enfermos eram tratados com banhos de água mineral e massagens; 
usavam também plantas, animais e seus produtos em sacrifícios para aplacar a ira dos 
deuses, bem como com a finalidade de eliminar o agente causador da enfermidade. 
 A primeira referência escrita do uso de diversas plantas no tratamento das 
enfermidades é encontrada na TÁBUA SÚMERO-ASSÍRIO-BABILÔNICAS (500 A.C.) No 
PAPIRO DE EBERS (1500 A.C.) aparecem prescrições que especificavam as doenças, 
substâncias e processos a serem usados no tratamento. 
 CRATEVAS (126-64 A.C.) foi médico de Mitrídates IV, o Rei do Ponto, e por 
solicitação deste soberano foi o primeiro a estudar os venenos e seus antídotos. 
 CORNÈLIO CELSUS (25-50 A.C.) foi o primeiro a classificar as substâncias 
conforme seus efeitos classificando-as em 6 grupos: purgativos, vomitivos, diuréticos, 
sudoríficos, narcóticos e estimulantes. 
 PEDANO DIOSCORIDES (40-90 D.C.) escreveu o livro De Universa Medicina 
reunindo a matéria médica até então conhecida, realizando a classificação qualitativa de 
ervas medicinais, minerais, e alguns produtos de origem animal. Sua matéria médica foi o 
guia do uso das drogas até o século XVIII. 
 CLAUDIO GALENO (135-201 D.C.) englobava as prescrições que receberam a 
denominação de preparações galênicas, onde se misturavam até 50 substâncias 
(polifarmácia). 
 Na