A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
RESTRIÇÕES DO DIREITO DE PROPRIEDADE

Pré-visualização | Página 2 de 2

indispensáveis às primeiras necessidades da vida dos possuidores dos imóveis inferiores; as demais, que poluir, deverá recuperar, ressarcindo os danos que estes sofrerem, se não for possível a recuperação ou o desvio do curso artificial das águas.
Enunciado 244 III – JDC
Art. 1.291: O art. 1.291 deve ser interpretado conforme a Constituição, não sendo facultada a poluição das águas, quer sejam essenciais ou não às primeiras necessidades da vida.
Dos direitos de vizinhança
Art. 1.292. O proprietário tem direito de construir barragens, açudes, ou outras obras para represamento de água em seu prédio; se as águas represadas invadirem prédio alheio, será o seu proprietário indenizado pelo dano sofrido, deduzido o valor do benefício obtido.
Construção de barragens, tanques, hidroelétricas, açudes ou outras obras. No entanto, se causarem prejuízos e vantagens, será o proprietário indenizado pelo dano sofrido, deduzido o valor do benefício obtido (art. 1292).
Condução das águas – é permitido construir canais pelos prédios alheios, mediante prévia indenização (art. 1293). Tolera, mas indeniza.
Enunciado 245, III JDC – Art. 1.293: Muito embora omisso acerca da possibilidade de canalização forçada de águas por prédios alheios, para fins da agricultura ou indústria, o art. 1.293 não exclui a possibilidade da canalização forçada pelo vizinho, com prévia indenização aos proprietários prejudicados. 
Dos direitos de vizinhança
Aquedutos - canal ou galeria, subterrâneo ou à superfície, e construído com a finalidade de conduzir a água.
Art. 1.294. Aplica-se ao direito de aqueduto o disposto nos arts. 1.286 e 1.287 (cabos e tubulações) 
Dos direitos de vizinhança
f) Limites entre prédios contiguos:
f.1) Direito de tapagem e limites entre prédios.
O proprietário tem o direito de cercar, murar, valar ou tapar seu prédio e estabelecer limites com os prédios vizinhos, inclusive o constrangendo a proceder com ele à demarcação entre dois prédios, a aviventar rumos e a renovar marcos destruídos ou arruinados, repartindo-se proporcionalmente entre os interessados as respectivas despesas (art. 1297). 
Dos direitos de vizinhança
f.2) Direito de construir – prerrogativa inerente a propriedade, ressalvado o direito dos vizinhos e regulamentos administrativos (art. 1299)
Prazo para ação demolitória – uma ano e dia após o término da obra (art. 1302 e 1312)
Embargo – Nunciação de obra nova (art. 1301)
Dos direitos de vizinhança
g) Uso do prédio vizinho
O proprietário ou ocupante do imóvel é obrigado a tolerar que o vizinho entre no prédio, mediante prévio aviso, para dele temporariamente usar, quando indispensável à reparação, construção, reconstrução ou limpeza de sua casa ou do muro divisório; ou apoderar-se de coisas suas, inclusive de animais que aí se encontre, casualmente.
DANO – direito de ressarcimento (art. 1313)