A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
62 pág.
Técnicas de anestesia maxilar e técnicas de anestesia mandibular

Pré-visualização | Página 4 de 14

quando
depositado o anestésico na região acima do ápice do canino maxilar, visto que a inervação
desta área caminha de posterior para anterior e, principalmente, pela porosidade do osso
maxilar, que permitirá a difusão do anestésico local para todos os ramos terminais deste
nervo.
Nervo anestesiado
O nervo ASA e seus ramos é o nervo anestesiado neste tipo de bloqueio.
Proodonto-cirurgia_4_Tecnicas de anestesia.pmd 21/10/2008, 16:0198
PRO-ODONTO | CIRURGIA | SESCAD 99
Áreas anestesiadas
O bloqueio do nervo ASA anestesia:
ƒ incisivo central;
ƒ incisivo lateral;
ƒ canino maxilar;
ƒ tecidos periodontais;
ƒ osso;
ƒ periósteo;
ƒ mucosa vestibular adjacente à região anestesiada;
ƒ lábio superior.
Técnica
Na técnica do bloqueio do nervo ASA, recomenda-se uso de agulha curta de calibre 25 ou
27. A Figura 2 mostra a anestesia do nervo alveolar superior anterior.
A área de puntura da agulha é a prega mucojugal acima do canino superior.
A técnica consiste nos seguintes passos:
ƒ secar a mucosa e aplicar anestésico tópico;
ƒ voltar o bisel da agulha para a superfície óssea;
ƒ introduzir a agulha até que ela alcance uma posição acima do ápice do canino superior;
ƒ injetar o anestésico lentamente (realizando refluxo ou aspiração) na quantidade de,
aproximadamente, 0,9 a 1,2mL de solução anestésica;
ƒ retirar a agulha cuidadosamente;
ƒ aguardar de 3 a 5 minutos para o efeito anestésico.
Figura 2 – Anestesia do nervo
alveolar superior anterior.
Fonte: Arquivo de imagens das autoras.
Proodonto-cirurgia_4_Tecnicas de anestesia.pmd 21/10/2008, 16:0199
100 TÉCNICAS DE ANESTESIA MAXILAR E TÉCNICAS DE ANESTESIA MANDIBULAR
Sinais e sintomas
A parestesia do lábio superior e a ausência de dor durante a manipulação da região de incisivos
e caninos superiores são os sinais e os sintomas da eficácia do bloqueio do nervo ASA.
12. Quais as áreas anestesiadas pelo bloqueio do nervo ASA?
13. Ordene as etapas da técnica de bloqueio do nervo alveolar superior médio usando nú-
meros de 1 a 4:
( ) Injetar o anestésico lentamente (realizando refluxo ou aspiração) na quantidade de
aproximadamente 0,9 a 1,2mL de solução anestésica.
( ) Aguardar de 3 a 5 minutos para o efeito anestésico.
( ) Secar a mucosa e aplicar anestésico tópico.
( ) Introduzir a agulha até que ela alcance o ápice do segundo pré-molar superior.
Resposta no final do capítulo
14. Como é descrita, algumas vezes, a técnica de bloqueio do nervo ASA?
15. Qual o nervo anestesiado pelo bloqueio do nervo ASA?
Proodonto-cirurgia_4_Tecnicas de anestesia.pmd 21/10/2008, 16:01100
PRO-ODONTO | CIRURGIA | SESCAD 101
16. Marque V ou F sobre a técnica do bloqueio do nervo ASA:
A) ( ) Área de puntura da agulha na prega mucojugal acima do canino superior.
B) ( ) Secar a mucosa e aplicar anestésico tópico.
C) ( ) Bisel da agulha voltado para a superfície óssea.
D) ( ) Introduzir a agulha até que ela alcance uma posição acima do ápice do canino
superior.
Resposta no final do capítulo
BLOQUEIO DO NERVO INFRA-ORBITÁRIO
O nervo infra-orbitário é o ramo terminal do nervo maxilar superior, que avança em
direção à face, depois de percorrer o canal infra-orbitário de onde saem seus ramos
alveolares médio e anterior. O nervo infra-orbitário emerge pelo forame de mesmo
nome e dá ramos palpebral inferior, nasal lateral e labial superior.
O bloqueio do nervo infra-orbitário, apesar de menos utilizado pelos profissionais da área de
Odontologia, devido, provavelmente, à menor experiência com o mesmo, mostra-se uma
técnica extremamente segura e eficaz. Ela produz anestesia pulpar e dos tecidos moles bu-
cais, desde o incisivo central superior até os pré-molares em cerca de 72% dos pacientes.2-4
Para que ocorra o bloqueio de todos os ramos mencionados, é necessário que a
solução anestésica seja depositada na entrada do forame infra-orbitário e caminhe
para o seu inteiro, anestesiando, dessa forma, os ramos alveolares superior, anterior
e médio.
Quando a solução não penetra dentro do canal infra-orbitário, ocorre o bloqueio dos ramos
nervosos terminais do nervo infra-orbitário (palpebral inferior, nasal lateral e labial superior),
dando a sensação de anestesia dos tecidos moles locais, porém sem o bloqueio pulpar dos
incisivos e pré-molares.
Para a injeção infra-orbitária, há duas formas de abordagem: pela técnica intrabucal e pela
técnica extrabucal, sendo a última pouco utilizada em odontologia pelas desvantagens da
realização de penetração cutânea e por ser uma técnica mais dolorida e traumática para o
paciente. A técnica intrabucal é mais simples para os propósitos odontológicos e será descrita
a seguir.
Proodonto-cirurgia_4_Tecnicas de anestesia.pmd 21/10/2008, 16:01101
102 TÉCNICAS DE ANESTESIA MAXILAR E TÉCNICAS DE ANESTESIA MANDIBULAR
A técnica intrabucal está indicada para os casos de procedimentos odontológicos que envol-
vam os dentes e os tecidos locais, nos casos de infecções localizadas na região maxilar como
forma de um bloqueio mais distante e quando as injeções supraperiósticas locais forem ine-
ficazes devido a um osso cortical extremamente denso.
Deve-se sempre levar em consideração a possibilidade de superposição da inervação
ou dela cruzar a linha média, sendo necessário bloqueio complementar contralateral.
Nervos anestesiados
Os nervos anestesiados pelo bloqueio do nervo infra-orbitário são os nervos alveolar superior
anterior, nervo alveolar superior médio e nervo infra-orbitário (ramos palpebral superior, na-
sal lateral e labial superior).
Áreas anestesiadas
O bloqueio do nervo infra-orbitário anestesia:
ƒ incisivo central;
ƒ incisivo lateral;
ƒ 1º e 2º pré-molares;
ƒ raiz mésio-vestibular do 1º molar superior;
ƒ tecido periodontal vestibular;
ƒ periósteo;
ƒ osso alveolar da região;
ƒ pálpebra inferior;
ƒ asa do nariz;
ƒ lábio superior.
Técnica
Na técnica de bloqueio do nervo infra-orbitário, o paciente deve estar colocado na cadei-
ra de forma que seu plano oclusal forme 45º com o plano horizontal (solo). A Figura 3 A–
B mostra a anestesia do nervo infra-orbitário.
Proodonto-cirurgia_4_Tecnicas de anestesia.pmd 21/10/2008, 16:01102
PRO-ODONTO | CIRURGIA | SESCAD 103
Localização do forame infra-orbitário
Para a localização do forame infra-orbitário, existem algumas técnicas conhecidas. O pa-
ciente deve estar olhando para frente enquanto palpa-se a região do rebordo infra-orbitário.
Uma linha reta imaginária é traçada verticalmente, passando pelo centro pupilar, forame
infra-orbitário, pré-molares e forame mentoniano.
Quando o rebordo infra-orbitário é palpado, pode-se observar uma saliência que
corresponde à sutura maxilozigomática, deslizando o indicador, aproximadamente, 1,0cm
para baixo, comprimindo suavemente os tecidos, será observada uma depressão rasa
onde está localizado o forame infra-orbitário.
Para certificar-se da localização adequada, deve-se aplicar uma pressão local e
sentir os contornos do forame infra-orbitário. Nesse momento, o paciente terá
uma pequena sensibilidade quando o forame for palpado. Recomenda-se a
utilização de agulha longa calibre 25.
Local de penetração da agulha
Para realizar o bloqueio do nervo infra-orbitário, a agulha poderá ser introduzida na altu-
ra da prega mucojugal, acima de qualquer dente, desde o segundo pré-molar superior
até o incisivo central superior, para alcançar o forame infra-orbitário. O trajeto da intro-
dução da agulha deve ser orientado sempre em direção ao forame infra-orbitário, que
foi identificado clinicamente através da palpação.
Figura 3 – Anestesia do nervo infra-orbital.
Fonte: Arquivo de imagens das autoras.
A B
Proodonto-cirurgia_4_Tecnicas de anestesia.pmd 21/10/2008, 16:01103
104 TÉCNICAS DE ANESTESIA MAXILAR E TÉCNICAS DE ANESTESIA MANDIBULAR
As vias de penetração mais utilizadas são o

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.