A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
160 pág.
TEORIA PORTUGUÊS COM FOCO FCC

Pré-visualização | Página 1 de 6

Prof. Diego Amorim 
GRAMÁTICA: 
 MORFOLOGIA: estudo da palavra, isolada 
 
 SINTAXE: estudo das relações das palavras no contexto 
 
 FONÉTICA: estudo dos sons e suas implicações 
 
 ESTILÍSTICA: estudo do estilo, figuras de linguagem 
 
 SEMÂNTICA: estudo dos sentidos e suas implicações 
SINTAXE – Período Simples 
 Frase: enunciado com SENTIDO 
 Ex.: Fogo! Meu Deus, socorro! 
 A banca foi escolhida pelo órgão. 
 Oração: enunciado com VERBO 
 Ex.: A banca foi escolhida pelo órgão. 
 [sim, esta sentença é frase, por ter sentido e oração, por 
ter verbo.] 
 Período: conjunto de orações. 
 1. Simples – uma só oração; 2. Composto – duas ou + 
Período Simples - SUJEITO 
 1. Simples: apenas um núcleo 
 Ex.: Os meus melhores amigos saíram. 
 Entraram em contradição os tesoureiros. 
 Ninguém fará os deveres? 
 Quem disse isso? 
 
 2. Composto: dois ou /= núcleos 
 Ex.: Estiveram aqui o bispo e o padre. 
 Os soldados e suas famílias se encontraram. 
 
 Obs.: em a) ‘Os meninos do bairro X, do bairro Y e 
do bairro Z não passarão de ano’.. Há apenas um 
núcleo, grifado, mas passa a ideia de mais núcleos. 
Porém, sujeito simples nesta frase. 
 b)‘Ontem viajou José e João, hoje’. 
Perceba que há duas orações na verdade. Portanto, 
‘José’ é sujeito do verbo ‘viajou’ e ‘João’ é sujeito de 
viajou elíptico pela vírgula. 
 
 3. Oculto/Elítico/Desinencial: trazido pelo contexto, 
ou pela desinência verbal 
 Ex.: (Vós) Chegastes cedo. 
 Semana passada, (Nós) estivemos em Londres. 
 (Eles) Foram à praia. 
 DDD.: a parte sublinhada é a desinência do verbo que 
traz o sujeito. Porém, em (Eu/Ele) Amava a todos. não 
é a desinência que traz o sujeito, senão o contexto. Não 
podendo ser chamado, assim, de desinencial. 
 
 DDD.: em Ana e Bia saíram. (Elas) Voltaram cedo. o 
sujeito gramatical é ‘elas’ e o semântico, o do sentido, é 
‘Ana e Bia’. 
 já em Ana e Bia saíram e voltaram cedo. o sujeito de 
‘voltaram’ é Ana e Bia, na frase, pois o período ainda 
não se fechou. 
 
 
 
 
 
 
 4. Indeterminado: não há como identificar a palavra 
sobre a qual se faz a declaração. 
 
 1º caso: 3ª pessoa do plural sem sujeito contextual, 
podendo ser apenas um ente agente. 
 
 Ex: (Eles) Bateram na porta. 
 (Eles) Estão te chamando lá fora. 
 (Eles) Falaram muito mal de você. 
 
 
 
 DDD.: agora analise estas orações: 
 
 Jogaram bola no meu carro. (Eles) 
 
 Jogaram bola o dia todo. (Eles) 
 
 Em qual delas não pode ter sido uma só pessoa 
somente mais de uma pessoa que jogou bola? 
 Na segunda, não? Pois é, para ela o suj. é ELES, oculto. 
 2º caso: 3ª pessoa do singular + SE, índice de 
indeterminação do sujeito (I.I.S.). 
 
 OBS.: o SE será I.I.S. quando acompanhado de a) VI, 
b) VTI, c) VL e d) VTD+OD preposicionado. 
 
 Ex: Devagar se vai ao longe. (VI) 
 Precisa-se de amores. (VTI) 
 Aqui se está feliz.(VL) 
 Ouviu-se a músicas diversas. (VTD+OD prep.) 
 
Transitividade Verbal 
 D.D.D.: Para se entender melhor I.I.S., faz-se 
necessário aprender Transitividade Verbal. 
 
 O estudo da Transitividade verbal se dá pelo 
estudo dos tipos de verbo em uso, dependendo do 
contexto em que está inserido. Portanto, podem 
ser INTRANSITIVOS, TRANSITIVOS DIRETOS, 
TRANSITIVOS INDIRETOS, TRANSITIVOS 
DIRETOS E INDIRETOS OU DE LIGAÇÃO. 
 
Transitividade Verbal 
 1. Verbos Intransitivos: ação completa. 
 
 Ex.: Joana morreu ontem. 
 Ana e Beth vivem em Porto Alegre. 
 Eles foram para o passeio. 
 Os empresários chegaram de Tóquio. 
 
 DDD.: Toda vez que o verbo pede lugar ou advérbio, ele 
será Intransitivo, pois ‘lugar’ não é Objeto. 
 2. Verbos Transitivos Diretos: ação incompleta, não 
pedem preposição obrigatória. 
 
 Ex.: José construiu a casa. 
 Os meninos ganharão a partida? 
 Eu amo você. 
 Adoramos a praia. 
 3. Verbos Transitivos Indiretos: ação incompleta, 
pedem preposição obrigatória. 
 
 Ex.: Maria gosta de todos. 
 Vocês necessitam de algo para o almoço? 
 Tudo depende do empréstimo. 
 Referia-me à praia. 
 
 4. Verbos Transitivos Diretos e Indiretos: 
(bitransitivos): ação incompleta, pedem o objeto direto 
e o indireto ao mesmo tempo. 
 
 Ex.: Elas ofereceram flores a todos os presentes. 
 Os estudantes informarão seus estudos à 
faculdade. 
 Deram fuga aos fugitivos. 
 5. Verbos de Ligação: indicam apenas uma noção, 
necessitando de uma característica do sujeito. 
 
 Ex.: Júlia ficou tensa com a prova. 
 Os candidatos permaneceram inquietos. 
 Ana chegou a Doutor. 
 Ele caiu de cama. 
 
 Obs.: Ele caiu da cama. (pede lugar, portanto VI) 
SE – Partícula Apassivadora 
 D.D.D.: Para que não se perca o entendimento do 
estudo da palavra SE, é mister que se compreenda a 
vertente da palavra SE como partícula apassivadora, 
PA, por conseguinte, das Vozes do Verbo. 
 
 O SE será PA quando estiver ligado a VTD ou 
VTDI. Ao se estudar PA, estudam-se também as 
vozes do verbo. 
Vozes do Verbo e SE – PA 
 Voz Ativa: o sujeito age na ação verbal. 
 
 Voz Passiva: o sujeito sofre a ação verbal. 
1. sintética: SE 
2. analítica: Locução verbal. 
 
 Voz Reflexiva: o sujeito age e sofre ao mesmo tempo. 
 
 
 Ex.: Marina visitou duas colegas. (V.A.) 
 Os vadios recebem o merecido castigo. (V.A.) 
 Pedro estuda muito. (V.A.) 
 Alguém foi traído por ele. (V.P.) 
 Duas colegas foram visitadas por Marina. (V.P.) 
 Alugam-se casas de praia. (V.P.) 
 Ouviram-se músicas diversas na festa. (V.P.) 
 O artigo do jornal será assinado pelo chefe. (V.P.) 
 João se vestiu rápido. (V.R.) 
 Todos se feriram com a brincadeira. (V.R.) 
 PARTÍCULA APASSIVADORA: o SE será partícula 
apassivadora quando estiver ligado a VTD e VTDI. 
 
 Ex.: Viu-se o erro da prova. (VTD) 
 Vendem-se lotes de chácara. (VTD) 
 Já não se fazem alunos como antes. (VTD) 
 Visitaram-se duas colegas. (VTD) 
 Informou-se o ocorrido aos funcionários do banco. 
(VTDI) 
 OBS.: cuidado com o V.T.D., pois é utilizado nas duas 
formas do SE até aqui estudadas. 
 
 Ex.: Cumpriu-se o dever. (P.A.) 
 Cumpriu-se com o dever. (I.I.S.) 
 Amam-se todos. (P.A.) 
 Ama-se a todos. (I.I.S.) 
 DDD.: Como não há, em português, sujeito 
preposicionado, não pode haver passividade nas 
orações acima em que há preposição. 
ORAÇÃO SEM SUJEITO 
 1. Verbos em Fenômenos Naturais: 
 Ex.: “Chove lá fora e aqui faz tanto frio.” 
 Em Brasília, trovejou bastante. 
 Neva todo ano no Rio Grande do Sul. 
 OBS.: em a) Choveram palavrões na reunião. b) O 
chefe trovejava xingamentos. c) A neve caiu em 
Brasília. Há sujeito nas duas primeiras orações, pois o 
verbo está sendo usado de maneira fora do sentido real. 
E há sujeito na última, porque o verbo não está em 
sentido de fenômeno natural. 
 2. Verbo HAVER no sentido de EXISTIR: 
 
 Ex.: Há pessoas interessadas em sala. 
 (Existem pessoas interessadas em sala.) 
 Houve congressos importantes. 
 (Existiram congressos importantes.) 
 Deve haver situações embaraçosas. 
 (Devem existir situações embaraçosas.)