Aula Nomenclatura e Classificação das Cavidades 2012-2
81 pág.

Aula Nomenclatura e Classificação das Cavidades 2012-2


DisciplinaDentística Operatória Básica9 materiais1.097 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Nomenclatura e Classificação das Cavidades
Prof. Ms. Guilherme Terra
Disciplina de Dentística Operatória Básica
Introdução
A Dentística Restauradora é a especialidade que trata da recuperação de dentes com alteração morfológica, estética e funcional.
Hoje em dia, o preparo cavitário sofreu significativas mudanças graças ao surgimento de novos materiais protetores e restauradores.
Introdução
O amálgama de prata foi introduzido na profissão odontológica por Bell, na Inglaterra e por Taveal, na França, em 1826.
Em 1895, G.V.Black realizou extensas investigações metalúrgicas desenvolvendo uma fórmula que foi a base, por mais de meio século das ligas para amálgama.
Introdução
O amálgama ainda têm sido utilizado devido algumas vantagens como:
Biocompatibilidade;
Longevidade;
Facilidade de manipulação;
Baixo custo.
Preparos cavitários
Em 1908, Black elaborou as primeiras normas para se confeccionar um preparo cavitário, denominando de Princípios Gerais do Preparo Cavitário.
É necessário o conhecimento das nomenclaturas das cavidades para o entendimento e informações entre os profissionais da área.
 \u201cÉ um conjunto de termos peculiares à uma arte ou ciência, pelos quais indivíduos de uma mesma profissão são capazes de entender-se mutuamente.\u201d 
MONDELLI, J, 1997
NOMENCLATURA
 Em Odontologia, é o termo empregado para definir a lesão ou a condição do dente,causada pela destruição de tecido duro. 
CAVIDADE
 \u201cReconhecida como uma doença infecto-contagiosa, causada por ácidos orgânicos provenientes da fermentação microbiana dos carboidratos da dieta. A cárie dental leva a destruição dos tecidos duros.\u201d
CÁRIE DENTAL
THYLSTRUP,A & FEJERKOV.O, 1988
 CAVIDADE
 TIPOS
 DE
 TERAPÊUTICA
CAVIDADE
	 PATOLÓGICA
 É uma cavidade com forma e dimensões irregulares causada pela destruição dos tecidos duros do dente.
CAVIDADE PATOLÓGICA
CAVIDADE PATOLÓGICA
 CAVIDADE TERAPÊUTICA
 É a cavidade com forma geométrica e dimensões definidas, resultante de um processo cirúrgico que visa remover o tecido cariado. 
 PREPARO CAVITÁRIO
CAVIDADE TERAPÊUTICA
CAVIDADE TERAPÊUTICA
Remover tecido cariado;
Obter formas precisas;
Impedir fratura do dente 
 e do material restaurador;
 OBJETIVOS DO PREPARO CAVITÁRIO
Denominações dos Preparos Cavitários
Denominado de acordo com o número de faces envolvidas.
Denominado de acordo com quais faces estão envolvidas.
A forma e a extensão das cavidades.
Denominado de acordo com o número de faces que estão envolvidas
Simples \u2013 uma só face. 
cavidade preparada na face oclusal: cavidade oclusal = O
Composta \u2013 duas faces.
cavidade que se estende da face oclusal à face mesial: cavidade mésio-oclusal = MO
Complexa \u2013 três ou mais faces.
cavidade que se estende às faces mesial, oclusal e distal: cavidade mésio-ocluso-distal = MOD
CAVIDADE SIMPLES
 quando atinge uma só face do dente.
CAVIDADE COMPOSTA
 quando atinge duas faces do dente.
CAVIDADE COMPLEXA
 quando atinge três ou mais faces
do dente.
DE ACORDO COM AS
 FACES ENVOLVIDAS
CAVIDADE OCLUSAL (O)
CAVIDADE
 MÉSIO-OCLUSAL (MO)
Mesial
 Distal
Oclusal
CAVIDADE
 DISTO-OCLUSAL (DO)
DE ACORDO COM AS
 FACES ENVOLVIDAS
Mesial
 Distal
Oclusal
CAVIDADE
MÉSIO-OCLUSO-DISTAL (MOD)
 DE ACORDO COM AS FACES ENVOLVIDAS
Mesial
 Distal
Oclusal
A forma e a extensão das cavidades
Intracoronárias.
cavidades confinadas no interior da estrutura dental.
classe I oclusal, classe V, classe II composta e complexa.
Extracoronárias parciais.
apresentam cobertura de cúspides e/ou outras faces dos dentes.
Preparos do tipo onlay, ¾ e 4/5.
Extracoronárias totais.
Todas as faces estão envolvidas.
Preparos do tipo overlay e coroas totais.
A forma e a extensão das cavidades
Intracoronárias.
Extracoronárias parciais.
Extracoronárias totais.
PARTES 
CONSTITUINTES
DAS CAVIDADES
Partes que Constituem as Cavidades
Paredes.
São os limites internos da cavidade.
Paredes circundantes.
Paredes de fundo.
Ângulos.
Obtidos pela união das paredes de uma cavidade.
Ângulos diedros, triedos e cavo-superficial.
Partes que Constituem as Cavidades
Paredes Circundantes
São as paredes laterais da cavidade e recebem o nome da face do dente a que correspondem ou ao qual estão mais próximas.
Paredes circundantes vestibular (A), lingual (B), cervical (C).
Partes que Constituem as Cavidades
Paredes de fundo
Correspondem ao soalho da cavidade, sendo chamada: axial (A), quando paralela ao eixo longitudinal do dente; e pulpar (B), quando perpendicular ao longo eixo do dente.
Nomenclatura dos Ângulos
São obtidos pela união das paredes de uma cavidade e denominados combinando-se os respectivos nomes e são classificados em ângulos diedros, triedros e cavo-superficial.
Nomenclatura dos Ângulos
Ângulos diedros.
Do primeiro grupo, são formados pela união de duas paredes circundantes. 
Ex: gengivo-lingual (B); vestíbulogengival (A).
Nomenclatura dos Ângulos
Ângulos diedros.
Do segundo grupo, formado pela união de uma parede circundante com uma parede de fundo da cavidade. 
Ex: línguo-pulpar (B); gengivo-axial (A);
Nomenclatura dos Ângulos
Ângulos diedros.
Do terceiro grupo, formado pela união das paredes de fundo da cavidade. 
Ex: áxio-pulpar (A).
Nomenclatura dos Ângulos
Ângulos triedros.
São formados pelo encontro de três paredes e denominados segundo as combinações respectivas. 
Ex: vestíbulo-áxio-gengival (A); línguo-áxio-gengival (B).
Nomenclatura dos Ângulos
Ângulo cavo-superficial.
É o ângulo formado pela junção das paredes das cavidades com a superfície externa do dente.
Classificação etiológica de Black
Baseada nas áreas dos dentes suscetíveis à cárie.
subdivididas conforme a localização anatômica:
Cavidades de cicatrículas e fissuras;
Cavidades de superfície lisa.
Cavidades de cicatrículas e fissuras
CICATRÍCULAS E FISSURAS
Sucetibilidade à cárie
Cavidades de superfície lisa
Imunidade Relativa à cárie
SUPERFÍCIE LISA
Classificação ARTIFICIAL de Black
Baseada nas técnicas de instrumentação do dente
subdivididas conforme as faces envolvidas:
Classe I;
Classe II;
Classe III;
Classe IV;
Classe V.
Classificação de Black
Classe I
Cavidades preparadas em regiões de cicatrículas, fóssulas e fissuras.
Face oclusal de molares e pré-molares.
Terço oclusal da face vestibular dos molares.
Terço oclusal da face palatina dos molares superiores.
Face lingual dos incisivos e caninos.
Classificação de Black
Classe I simples.
Classe I simples
Classificação de Black
Classe I Composta.
Cavidades preparadas em regiões de cicatrículas, fóssulas e fissuras.
Face oclusal de molares e pré-molares com envolvimento das faces vestibulares e/ ou linguais/palatinas.
Classificação de Black
Classe II.
Cavidades que envolvam as faces proximais dos pré-molares e molares.
Classe II
Classificação de Black
Classe III.
Cavidades preparadas nas faces proximais dos dentes anteriores, sem envolvimento da incisal.
Cavidade Classe III
Classificação de Black
Classe IV.
Cavidades preparadas nas faces proximais dos dentes anteriores, com envolvimento da incisal.
Classe IV
Classificação de Black
Classe V.
Cavidades preparadas no terço gengival, nas faces vestibular e lingual / palatina de todos os dentes.
Cavidades ATÍPICAS
Nessa classe incluem-se as cavidades preparadas nas bordas incisais, nas pontas de cúspide e na face vestibular dos dentes anteriores.
NOMENCLATURA
Black primeiro autor a se preocupar com a classificação dos preparos cavitários.
Preparo cavitário para materiais adesivos
Segue os parâmetros minimamente invasivos.
Constitui, basicamente em:
Remoção do tecido cariado;
Remoção do esmalte sem suporte.
Preparo cavitário para materiais adesivos
Regras Gerais do