Direito do Trabalho I
19 pág.

Direito do Trabalho I


DisciplinaDireito do Trabalho I27.169 materiais481.135 seguidores
Pré-visualização9 páginas
PLR: se tiver no acordo, é obrigação. Mas não é salario, é incentivo ao trabalhador.
PIS (programa de integração social) / PAESP: não é salário. É beneficio.
Salário família: não é salário. Decorre de lei. É obrigação.
Salário profissional e normativo: profissional é aquele pago em relação à profissão do individuo. Ex: médico, engenheiro, dentista. Normativo é fixado em sentença normativa, que fixado pelo tribunal através de dissidio coletivo e para toda a categoria.
Sinopse: Piso salarial constitui o mais baixo valor que os trabalhadores de uma determinada categoria profissional (com similitude de condições de trabalho) poderão receber. Na maioria das vezes, o piso salarial (ou salário normativo) é instituído por negociação coletiva (acordos ou convenções coletivas), mas também pode ter previsão legal, ao que chamamos de salário- -profissional (como os médicos e dentistas \u2014 Lei n. 3.999/61; os radiologistas \u2014 Lei n. 7.394/85; e os engenheiros \u2014 Lei n. 4.950/66).
Salário complexivo: é aquele que engloba várias parcelas em uma única. É pago sem discriminação. Exemplo: ao receber o salário, está incluso tudo o que o funcionário recebe: salario, adicional noturno, horas adicionais. É vedado pela legislação.
3.7 Regras de proteção ao salário
Art. 459, CLT
Art. 459 - O pagamento do salário, qualquer que seja a modalidade do trabalho, não deve ser estipulado por período superior a 1 (um) mês, salvo no que concerne a comissões, percentagens e gratificações.
Art. 462, CLT
Art. 462 - Ao empregador é vedado efetuar qualquer desconto nos salários do empregado, salvo quando este resultar de adiantamentos, de dispositivos de lei ou de contrato coletivo.
§ 1º - Em caso de dano causado pelo empregado, o desconto será lícito, desde de que esta possibilidade tenha sido acordada ou na ocorrência de dolo do empregado. 
§ 2º - É vedado à empresa que mantiver armazém para venda de mercadorias aos empregados ou serviços estimados a proporcionar-lhes prestações "in natura" exercer qualquer coação ou induzimento no sentido de que os empregados se utilizem do armazém ou dos serviços. (TRUCK SYSTEM)
§ 3º - Sempre que não for possível o acesso dos empregados a armazéns ou serviços não mantidos pela Empresa, é lícito à autoridade competente determinar a adoção de medidas adequadas, visando a que as mercadorias sejam vendidas e os serviços prestados a preços razoáveis, sem intuito de lucro e sempre em benefício dos empregados. 
 § 4º - Observado o disposto neste Capítulo, é vedado às empresas limitar, por qualquer forma, a liberdade dos empregados de dispor do seu salário.
Hipótese de descontos:
Adiantamento:
Descontos previstos em lei: empréstimo consignado, pensão, INSS, entre outros.
Descontos previstos em contrato coletivo: contribuição social, confederativa. 
Farmácia, mercado, plano de saúde, entre outros são descontos com autorização prévia do empregador. Se não tiver a autorização, o empregador corre o risco de devolver o valor do desconto.
$ 1º dano causado pelo empregado: o empregador pode descontar o dano causado pelo empregado.
$ 2º truck system: sistema de troca (exemplo: individuo trabalha por comida)
Sinopse: De forma expressa, o art. 462, § 2º, da CLT veda à empresa que mantiver armazém para venda de mercadorias ou fornecimento de serviços exercer qualquer coação ou induzimento, no sentido de constranger seus empregados a utilizarem os referidos estabelecimentos comerciais (muitas vezes com preços excessivos), fazendo-os consumir todo o salário e contrair dívidas que possam reduzi-lo à condição análoga à de escravo (chamado truck system), ou seja, trabalhando em troca de pagamento do débito com o empregador.
$ 3º preços razoáveis
Sumula 342, TST
Art. 463, CLT
Art. 463 - A prestação, em espécie, do salário será paga em moeda corrente do País.
Art. 464, CLT
Art. 464 - O pagamento do salário deverá ser efetuado contra recibo, assinado pelo empregado; em se tratando de analfabeto, mediante sua impressão digital, ou, não sendo esta possível, a seu rogo.
Art. 465, CLT
Art. 465. O pagamento dos salários será efetuado em dia útil e no local do trabalho, dentro do horário do serviço ou imediatamente após o encerramento deste, salvo quando efetuado por depósito em conta bancária, observado o disposto no artigo anterior.
Impenhorabilidade
Preferencia dos créditos trabalhistas
3.8 Equiparação salarial
Art. 461, CLT e 7º, XXX, CF.
Art. 461, CLT - Sendo idêntica a função, a todo trabalho de igual valor, prestado ao mesmo empregador, na mesma localidade, corresponderá igual salário, sem distinção de sexo, nacionalidade ou idade.
Art. 7º, XXX, CF - proibição de diferença de salários, de exercício de funções e de critério de admissão por motivo de sexo, idade, cor ou estado civil;
Sinopse: À luz do art. 460 da CLT, na falta de estipulação do salário ou não havendo prova sobre a importância ajustada, o empregado terá direito a perceber salário igual ao daquele que, na mesma empresa, fizer serviço equivalente (paradigma), ou do que for habitualmente pago para serviço semelhante.
OBSERVAÇÕES PESSOAIS
Se os indivíduos não exerce a mesma atividade, não tem tempo de serviço, produção, técnica. Sendo assim, com essa desigualdade, não haverá equiparação.
Ninguém pode deixar de ser contratado e nem receber salario diferenciado por motivo de sexo, cor, religião.
Súmula 6, TST
Sinopse: As maiores controvérsias acerca de equiparação salarial acabaram dirimidas com a nova redação da Súmula 6 do TST, resultado de um criterioso processo de revisão jurisprudencial em 2005: 
I - Somente será válido o quadro de pessoal organizado em carreira quando homologado pelo Ministério do Trabalho.
II - Em caso de trabalho igual, conta-se o tempo de serviço na função e não no emprego. 
II - Apenas é possível a equiparação se o empregado e o paradigma exercerem a mesma função, desempenhando as mesmas tarefas, não importando se os cargos têm, ou não, a mesma denominação.
IV - É desnecessário que, ao tempo da reclamação sobre equiparação salarial, reclamante e paradigma estejam a serviço do estabelecimento, desde que o pedido se relacione com situação pretérita.
PERGUNTAS QUE DEVEM SER FEITAS PARA ANÁLISE SE DEVE HAVER EQUIPARAÇÃO
Mesma função / identidade de funções (é relevante atividades executadas no dia a dia).
Mesmo empregador, incluindo o grupo econômico.
Mesma localidade ou grande metrópole.
Trabalho de igual valor (produtividade, perfeição técnica e tempo de serviço).
Simultaneidade prestação de serviços ou contemporaneidade. Paragonado ou equiparando: quem solicita a equiparação. Paradigma com quem eu me comparo.
Não pode existir na empresa plano de cargo de salário.
2º Bimestre
Dia 26/09/2013
\u2013 Décimo Terceiro Salário
Direito Garantido pelo Constituição Federal, Direito social. Fazendo jus a ele doméstico, avulso, rural, entre outros.
Art. 7º, VIII, CF;
Art. 7º São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social:
VIII - décimo terceiro salário com base na remuneração integral ou no valor da aposentadoria;
Cálculo: (1/12) será utilizado como base o salário de dezembro e calcular a média das parcelas variáveis durante o ano todo, assim terá o valor do 13º salário.
Forma de Pagamento: é pago em duas parcelas, sendo que a 1ª parcela deve ser paga de fevereiro até novembro (fica a critério do empregador) e a 2ª parcela no dia 20 de dezembro.
Rescisão: se o empregado for demitido sem justa causa irá receber o 13º proporcional
A partir do 15º dia trabalhado tem direito a mais 1/12 avos.
3.10 \u2013 Equivalência Salarial
Art. 460, CLT
Art. 460 - Na falta de estipulação do salário ou não havendo prova sobre a importância ajustada, o empregado terá direito a perceber salário igual ao daquela que, na mesma empresa, fizer serviço equivalente ou do que for habitualmente pago para serviço semelhante.
- Na falta de um critério pré estabelecido que o magistrado se utilize o artigo 460, que utilize