Aula 02
8 pág.

Aula 02


DisciplinaDireito Tributário I20.535 materiais266.486 seguidores
Pré-visualização3 páginas
industrializados 
IPI- alterar a natureza do bem. 
 
IPI não respeita a anterioridade do exercício, mas respeita 90 dias! 
As alíquotas podem ser alteradas por meio de ato do PE. 
A legislação do IPI estabelece que é possível ao presidente alterar as alíquotas para reduzir até zero ou 
aumentar dentro de certo limite, de 30 unidades percentuais, acima da alíquota originalmente estabelecida 
em lei. 
 
Não cumulatividade \u2013 art. 153, §1, II da CF. Em cada operação desconta-se o imposto incidente na 
operação anterior \u2013 utiliza-se como crédito o IPI pago na operação anterior. 
 
Seletividade \u2013 art. 153, §3, I da CF. Haverá uma seleção dos produtos pelo critério de sua essencialidade; 
quanto mais essencial para a vida do povo, menor será a tributação. O IPI DEVE ser Seletivo 
 
Exemplo: rum, vodka com alíquota elevada e roupas, calcados, medicamento com alíquota zero. 
 
IPI possui Lançamento por homologação. 
 
Imposto de renda \u2013 Auferir Renda 
 
Quanto aos princípios especiais \u2013 art.. 153 §2, I CF.O princípio da universalidade se aplica às rendas \u2013 
todas as rendas devem ser alcançadas pelo IR. Isso acontece hoje embora haja o fato do IR não tributar 
todas as rendas com a mesma proporcionalidade. Há algumas distinções dependendo do tipo de 
rendimento. Os países menos desenvolvidos tendem a tributar mais o trabalho do que o capital porque é 
mais fácil controlar este. 
 
 
 
 
 
 
 
www.cers.com.br 
 
PROJETO UTI \u2013 60 HORAS 
Direito Tributário 
Josiane Minardi 
4 
 
Outro princípio é o da generalidade, que diz respeito aos contribuintes. Todos os contribuintes devem ser 
alcançados na medida de sua capacidade contributiva. Aqueles que não possuem capacidade alguma não 
devem ser alcançados. 
 
O princípio da progressividade. O IR sempre foi progressivo; Hoje possuímos 4 alíquotas, porém, continua 
existindo a alíquota máxima de 27%. 
 
O critério adotado pelo legislador constitucional para estabelecer os tributos, seria o critério do patrimônio. A 
idéia geral da tributação é passar patrimônio para o estado para que ele possa exercer as suas funções. 
 
O IR tem como fato gerador (hipótese de incidência) a aquisição da renda ou de proventos de qualquer 
natureza, entendidos como acréscimos patrimoniais não incluídos no primeiro. O legislador encara tanto 
renda como proventos como acréscimo patrimonial. 
 
O CTN traz que renda é aquilo que resulta do capital, do trabalho ou da combinação dos 2. Se recebo um 
veiculo de presente; é algo que aumenta o capital mas não é renda \u2013 da mesma forma quando se recebe 
uma herança. 
 
O CTN diz que a aquisição da renda ou provento pode ocorrer por uma disponibilidade econômica (algo 
material) ou disponibilidade jurídica (algo imaterial \u2013 quando exercemos direitos). O cheque seria uma 
disponibilidade jurídica, pois, ao adquirir o titulo, se adquire um direito e, somente depois de descontado o 
cheque é que se transformara em alo material (disponibilidade econômica) 
 
Critério espacial Há 2 adotados: territorial e renda universal. Fala-se em tributação da renda na fonte 
quando se considera apenas a renda obtida de fontes. A tributação na renda mundial considera na renda 
adquirida de qualquer lugar do país. Hoje, adota-se o critério da universalidade. Isso faz com que se torne 
importante os acordos nacionais de bitributação; se não há tal acordo, será tributado no país de onde 
provem e no país a qual se destina. 
 
A progressividade estabelecida é genérica, não distingue entre pessoas físicas e jurídicas, porém, para as 
jurídicas somente há uma alíquota. 
 
Art.. 44 do CTN diz que a base de cálculo pode ser o montante real da renda ou o montante presumido ou o 
arbitrado. Renda real é aquela realmente auferida. Renda presumida é a que a legislação presume que se 
de em tais percentuais, por exemplo, sobre a receita das empresas (o resultado final frequentemente é 
menor que o lucro real). A renda arbitrada é uma hipótese extrema na qual a empresa que não optou por 
lucro presumido e não matem contabilidade \u2013 um percentual da receita ou do capital bruto. 
 
Possui lançamento por homologação. 
O IR respeita a anterioridade do exercício e não respeita 90 dias!! 
 
ITR: Imposto territorial rural 
 
Competência da União. Deverá ser instituído por lei ordinária. Segue o princípio da anterioridade. 
 
Não incide sobre pequenas glebas rurais. 
 
Lançamento por homologação e pode ser fiscalizado e arrecadado pelos Municípios, desde que haja 
convênio com a União, sendo que neste caso 100% da arrecadação ficará com o Município. Se não houver 
convênio 50% da arrecadação é destinada para o Município e os outros 50% para a União. Alíquotas 
variando conforme a função social da terra. 
 
 
 
 
 
 
 
 
www.cers.com.br 
 
PROJETO UTI \u2013 60 HORAS 
Direito Tributário 
Josiane Minardi 
5 
 
Imposto sobre Grandes Fortunas 
 
Competência da União podendo ser criado somente por lei Complementar. 
 
Imposto Extraordinário (Guerra) Art. 154, II 
 
Competência da União podendo ser criado por lei ordinária, não segue o princípio da anterioridade. 
 
Imposto Residual Art. 154, I 
Competência da União somente criado por lei Complementar. Não pode ter base de cálculo ou fato gerador 
de impostos já existentes. 
 
 
PRINCÍPIOS DE DIREITO TRIBUTÁRIO 
 
Princípio da Legalidade 
 
No Brasil ninguém pode ser obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa a não ser em decorrência de 
lei. 
Nos termos do art. 150, I da CF nenhum tributo será instituído ou aumentado, a não ser por intermédio de 
LEI! 
Art. 97. Somente a lei pode estabelecer: 
I - a instituição de tributos, ou a sua extinção; 
II - a majoração de tributos, ou sua redução, ressalvado o disposto nos artigos 21, 26, 39, 57 e 65; 
 
De acordo com o art. 97, § 1º do CTN considera-se majoração de tributo a modificação da base de cálculo 
de forma a torná-lo mais oneroso. 
A mera atualização do valor monetário da respectiva base de cálculo NÃO constitui majoração de tributo, 
nos termos do art. 97, § 2º do CTN, podendo ser realizada por meio de simples Decreto. 
No entanto, se \u201catualização monetária\u201d ocorrer com índices superiores ao oficial, não teremos uma mera 
atualização de valores, e sim, uma majoração de base de cálculo disfarçada, e por isso, nesse caso o 
instrumento normativo necessário será a Lei. 
 
Nesse sentido, temos a Súmula 160 do STJ: 
 
É defeso, ao Município, atualizar o IPTU, mediante, Decreto, em percentual superior ao índice oficial de 
correção monetária. 
 
 
a Constituição Federal, em seu artigo 153, § 1º prevê alguns impostos que podem ter as alíquotas 
alteradas, desde que observados os limites e condições estabelecidos em lei, por meio de ato do Poder 
Executivo, o que se dá comumente por decreto presidencial ou por portaria do Ministro da Fazenda. São 
eles: 
 
Imposto sobre a Importação (II) 
Imposto sobre a Exportação (IE) 
Imposto sobre produtos Industrializados (IPI) 
Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguros (IOF) 
 
O art. 153, § 1º da CF ao estabelecer que o Poder Executivo poderá alterar as alíquotas do II, IE, IPI e IOF, 
possibilitou, inclusive, que esses tributos tenham suas alíquotas majoradas, por decreto, por exemplo, desde 
que observados os limites e condições estabelecidos em lei, é claro. 
 
 
 
 
 
 
 
www.cers.com.br 
 
PROJETO UTI \u2013 60 HORAS 
Direito Tributário 
Josiane Minardi 
6 
O art. 177, § 4º, I, \u201cb\u201d da CF também possibilita ao Poder Executivo reduzir e restabelecer as alíquotas 
da Contribuição de intervenção no domínio econômico Combustível \u2013 CIDE COMBUSTÍVEL, por meio de 
ato próprio, no caso, o decreto presidencial. 
O art. 155, § 4º, IV, \u201cc\u201d da CF possibilita ao Poder Executivo reduzir e restabelecer as alíquotas do ICMS 
incidência monofásica, nas operações com combustíveis e lubrificantes previstos em lei complementar 
federal.