Apostila de Cultura e Sociedade
206 pág.

Apostila de Cultura e Sociedade


DisciplinaCultura e Sociedade118 materiais2.079 seguidores
Pré-visualização50 páginas
Mídia
Do inglês midia, que vem do latim media, plural de medium, que significa meio ou forma. No Brasil, usa-se mais comumente a palavra mídia, derivada da pronúncia inglesa - ainda que alguns gramáticos brasileiros prefiram a forma latina, media, a qual também é usada preferencialmente em Portugal. Ao usar-se a forma latina deve ter-se em conta que é uma palavra estrangeira, o que implica a sua grafia em itálico ou entre aspas e sem acento, e que esta palavra se encontra já no plural, devendo escrever-se os media e pronunciar-se os média. 
Definição: O termo meio de comunicação, refere-se ao instrumento ou à forma de conteúdo utilizados para a realização do processo comunicacional. Quando referido a comunicação de massa, pode ser considerado sinônimo de mídia. 
Meios de comunicação de massa, também chamados de MMC, ou simplesmente mídias são os meios ou canais de comunicação usados na transmissão de mensagens emitidas por uma fonte determinada visando atingir a um grande número de receptores. Nas relações sociais de comunicação diária, os meios de comunicação de massa mais comuns são os jornais, as revistas, o rádio, a televisão e, o mais recente, a internet. As obras de Cinema, de Teatro e de outros tipos de Artes (shows, performances, bestsellers) também se tornaram meios de comunicação de massas, mas artísticos. Entretanto, outros meios de comunicação, como o telefone, não são massivos e sim individuais (ou interpessoais).
A utilização dos meios de comunicação de massa implica organizações geralmente amplas, complexas, com grande número de profissionais e extensa divisão do trabalho. A empresa jornalística, por exemplo, envolve o trabalho de diretores, jornalistas, redatores, fotógrafos, diagramadores, ilustradores, câmeras, gráficos etc. O fato de a manutenção de um órgão de comunicação de massa ser bastante onerosa faz com que essas empresas dependam dos imperativos de consumo (máxima circulação, no caso de livros e filmes; garantia de audiência e venda de publicidade, no caso dos jornais, revistas, rádio e televisão) para sobreviver ou se expandir.
Uma segunda característica básica dos meios de comunicação de massa é o fato de que eles necessariamente empregam máquinas na mediação da comunicação: aparelhos e dispositivos mecânicos, elétricos e eletrônicos possibilitam o registro permanente e a multiplicação das mensagens impressas (jornal, revistas, livro) ou gravadas (disco, rádio) em milhares ou milhões de cópias. A produção, transmissão e recepção das mensagens audiovisuais (rádio, TV) precisa de milhares ou milhões de aparelhos receptores.
Outra característica típica dos meios de comunicação de massa é a possibilidade que apresentam de atingir simultaneamente uma vasta audiência, ou, dentro de breve período de tempo, centenas de milhares de ouvintes, de telespectadores, de leitores. Essa audiência, além de hetereogênea e geograficamente dispersa, é, por definição, constituída por membros anônimos para a fonte, ainda que a mensagem esteja dirigida especificamente para uma parcela determinada de público (um só sexo, uma determinada geração).
Os meios de comunicação de massa/mídias podem ser classificados em:
Sonoros: rádio, podcast, telefone viva-voz.
Escritos: jornais, diários e revistas.
Audiovisuais: televisão, cinema.
Multimídia: diversos meios simultaneamente.
Hipermídia: NTICs, CD-ROM, TV digital e internet, que aplica a multimédia (diversos meios simultaneamente, como escrita e audiovisual) em conjunto com a hipertextualidade (caminhos não-lineares de leitura do texto, como abas, caixas, links etc.). 
Meio e Canal
Meio de Comunicação não se confunde com canal, que se refere ao aparato tecnológico utilizado para realizar o processo da comunicação, incluindo a transmissão de informação (geralmente, idéias humanas). Dependendo das características do meio utilizado, pode-se transmitir ou armazenar informação, ou ambos os processos, conforme está exemplificado a seguir: 
Fala, discurso, gestos, telefone
Stone scores, gravações de áudio e vídeo, discos rígidos
Papel, cartas
Meios de Comunicação de Massa: pronunciamentos, jornais, revistas, cinema, televisão, rádio, websites, CDs, DVDs, videocassetes
Mídia interativa: jogos de computador, jogos online, videogame, edutainment, televisão interativa
A Internet é um híbrido entre Comunicação de Massa e Comunicação Interpessoal
Em Arte, um meio significa o material e o suporte usados pelo artista: pintura, madeira, mármore, aço etc.
Por metonímia, a indústria e as empresas que produzem conteúdo de notícias e de entretenimento são geralmente denominadas os media ou a mídia (da mesma forma como a indústria de notícias é denominada a imprensa). No final do século XX, tornou-se lugar-comum este uso no singular ("A mídia é...") em lugar do tradicional plural; em Portugal, não obstante, é preferido o termo no plural, os media (concordando em número com o termo latino que é plural).
Tipos de Comunicação
A comunicação é um processo por meio do qual a informação é codificada e transmitida por um emissor a um receptor, instantaneamente ou a médio prazo, através de um canal. A comunicação é, portanto, um processo pelo qual se atribui significado a algo ou a alguma coisa para , em seguida, fazer a transmissão deesse contéudo numa tentativa de criar um entendimento compartilhado. 
Na organização do processo comunicacional existe um vasto emaranhado de redes de comunicação que vão se entrelaçando. Estas, sob diversas formas e em diferentes direções, percorrem a estrutura no seu conjunto: Comunicação pessoal/impessoal; Comunicação descendente/ascendente; Comunicação lateral/diagonal; Comunicação escrita/comunicação oral.
A Comunicação não pode ser dissociada da sua relação custo/eficácia, uma vez que as ferramentas, mecanismos e procedimentos usados pelos meios de comunicação de massa para chegar até as massas são muito onerosos, reclamam investimentos vultuosos e envolvem uma complexa teia de recusros tecnológicos e humanos. Daí a premente necessidade que os MCM têm de alcançar e influenciar o maior número possível de pessoas, em diferentes espaço e num espaço de tempo exíguo, a fim de obter resultados rápidos que são convertidos em cifras ou valores correlatos, como status, fama, projeção social etc. Aplica-se aqui a equação matemática do mercado de capital: Quando maior for a produção em menor tempo, com uma demanda elevada, menor será o valor final do produto, pois seu custo é diluído na produção em larga escala. 
Vivemos formas diferentes de comunicação, que expressam múltiplas situações pessoais, interpessoais, grupais e sociais de se conhecer, sentir e viver, que são dinâmicas, que vão evoluindo, modificando-se, modificando-nos e modificando os outros. Vejamos a seguir as formas mais comuns.
A Comunicação Aparente: É um processo de "comunicação" em que as pessoas falam e respondem, sem prestarem verdadeiramente atenção ao outro e ao que ele está dizendo. Cada um precisa "desabafar", ter alguém com quem conversar. Se a necessidade é forte e de ambas as partes, a "comunicação" se transforma num diálogo animado, mas "de surdos", porque cada um fala de si, extravasam suas ideias, sentimentos, necessidades sem prestar atenção ou procurar entender o que o outro está dizendo.
A Comunicação Superficial: É uma interação limitada, com trocas previsíveis sobre temas socialmente definidos e com limites preestabelecidos \u2013 culturalmente ou pelos grupos e indivíduos. São trocas de mensagens sobre assuntos específicos e que não expõem muito a intimidade de cada um, por exemplo sobre futebol ou fofocas de pessoas ou artistas, em reuniões sociais, festas, bate-papos. Fala-se animadamente, mas sem interação pessoal, sem revelar o eu profundo a não ser neste campo específico; isto é, emite-se uma opinião \u201caparentemente pessoal\u201d, mas sobre o outro e nunca sobre si mesmo. São processos úteis de manutenção dos vínculos dentro de um grupo ou comunidade, mas que pouco revelam dos