PERGUNTAS COM RESPOSTAS DE COMÉRCIO EXTERIOR
8 pág.

PERGUNTAS COM RESPOSTAS DE COMÉRCIO EXTERIOR


DisciplinaFundamentos de Comércio Exterior3.682 materiais45.440 seguidores
Pré-visualização4 páginas
de amostras e pequenas encomendas através do Regime de Tributação Simplificada (RTS). Nesse sistema, o valor dos bens importados não poderá ultrapassar US$ 3.000,00, tanto para as pessoas físicas como jurídicas. Vale ressaltar que os produtos importados pelo RTS não podem ser comercializados, destinando-se apenas ao consumo próprio do importador. Quanto à tributação, as importações feitas dentro desse regime sofrerão a incidência de um imposto fixo de 60% sobre o valor postal declarado. Importações de valor não superior a US$ 50,00, desde que efetuadas por pessoa física, estão isentas deste imposto.
EXISTEM FINANCIAMENTOS PARA IMPORTAÇÃO?
De uma forma geral, os financiamentos à importação são concedidos pelo próprio fornecedor do produto no exterior (buyer's credit). Não há uma linha de crédito específica para este fim na rede bancária nacional.
A EMPRESA IMPORTADORA PODE PLEITEAR REDUÇÃO OU ISENÇÃO DO IMPOSTO DE IMPORTAÇÃO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS?
Sim, desde que a máquina seja destinada a uso próprio (produção) e não haja similar de fabricação nacional. A solicitação deve ser encaminhada a Secretaria de Comércio Exterior (SECEX) através das agências do Banco do Brasil que prestam serviços de comércio exterior.
O QUE É DRAWBACK?
O drawback é um incentivo fiscal que consiste na importação de matérias-primas e/ou insumos para a fabricação de produtos destinados à exportação, com isenção, suspensão ou restituição da cobrança de tributos e taxas (Imposto de Importação, IPI, ICMS, Adicional sobre o Frete para Renovação da Marinha Mercante - AFRMM e algumas taxas de expediente).
COMO SE PROCESSA A ENTRADA DE UMA MERCADORIA ESTRANGEIRA DESTINADA À EXPOSIÇÃO EM FEIRAS NO BRASIL?
Primeiramente, a feira deve estar autorizada pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC) para que possa funcionar como recinto alfandegado. A mercadoria será importada sem cobertura cambial e com suspensão dos impostos aduaneiros. O responsável pela exposição da mercadoria assinará um termo de responsabilidade na alfândega e, em alguns casos, deverá apresentar fiança bancária relativa às obrigações fiscais suspensas. Esta operação será enquadrada no Regime de Admissão Temporária. 
EXPORTAÇÃO
EXISTEM INCENTIVOS FISCAIS PARA APOIAR AS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS?
Sim. A empresa industrial exportadora se beneficia da não-incidência do ICMS e isenção do IPI, PIS e COFINS nas suas vendas para o exterior.
EXISTE IMPOSTO DE EXPORTAÇÃO?
Sim, mas somente para poucos produtos como peles de animais em bruto e cigarros. 
QUAIS SÃO AS LINHAS DE FINANCIAMENTO DESTINADAS A EXPORTAÇÃO?
FINANCIAMENTO À PRODUÇÃO:
- ACC - Adiantamento sobre Contrato de Câmbio: antecipação dos recursos de uma exportação a ser realizada no futuro, com vistas a financiar produção, acondicionamento e despesas de embarque da mercadoria. Esta antecipação pode se dar até 180 dias antes do efetivo embarque da mercadoria para o exterior. O ACC é oferecido pelos bancos comerciais que operam câmbio;
- BNDES Exim Pré-embarque - programa instituído pelo BNDES com o objetivo de amparar as empresas nacionais produtoras de máquinas e equipamentos, com uma linha de financiamento para a produção destinada à exportação. Para acessar esta linha, o exportador deve obter o credenciamento junto ao sistema FINAME/BNDES através dos seus agentes financeiros. A título de garantia para o financiamento exige-se do produtor a vinculação da operação ao contrato de exportação assinado entre o produtor/exportador e o importador.
FINANCIAMENTO À COMERCIALIZAÇÃO:
- ACE - Adiantamento sobre Cambiais Entregues: antecipação, após o embarque da mercadoria, dos recursos provenientes da exportação efetuada mediante transferência ao banco dos documentos e direitos sobre a venda a prazo. Esta linha é oferecida pelos bancos comerciais que operam câmbio;
- PROEX - linha de financiamento destinada a comercialização de bens duráveis concedida diretamente ao importador estrangeiro, cobrindo até 85% do valor da operação, tendo como exigência básica o pré-pagamento de 15% do valor global da operação por parte do importador, como sinal ou garantia. O PROEX oferece três alternativas básicas ao exportador:
a) financiamento direto ao importador no exterior para os produtos previstos pela SECEX, tendo como agente o Banco do Brasil S.A.;
b) financiamento direto ao importador no exterior para os mesmos produtos, conduzido pelos bancos comerciais para equalização de taxas de juros;
c) financiamento direto ao importador com recursos próprios do exportador.
- BNDES Exim Pós-embarque: linha concedida pelo BNDES à comercialização de máquinas e equipamentos no exterior através de refinanciamento ao exportador, ou através da modalidade buyer's credit. 
QUAIS SÃO OS CUSTOS ADICIONAIS INCIDENTES NA EXPORTAÇÃO DE UM PRODUTO?
Os custos de exportação dependerão muito da condição de venda (Incoterms) a ser contratada. Considerando-se uma exportação conduzida pela condição FOB, os custos adicionais seriam, basicamente: modificação de embalagens, despesas com paletização, serviços de despachante aduaneiro, transporte e seguro até o ponto de embarque para o exterior, emissão de certificado de origem, despesas portuárias/aeroportuárias, despesas com câmbio e vistos consulares.
É PERMITIDO A PESSOA FÍSICA EXPORTAR?
A pessoa física somente pode exportar mercadorias em quantidades que não revelem prática de comércio e desde que não configure habitualidade. O Artesão, artista plástico ou assemelhado pode realizar exportação, desde que esteja registrado como profissional autônomo.
A EMPRESA NECESSITA CERTIFICADO ISO 9000 PARA EXPORTAR?
Não. As certificações série ISO abrem caminho no mercado internacional, dão credibilidade à empresa. Na verdade, são exigências mercadológicas e não imposições legais do país importador. 
EXISTE VALOR/QUANTIDADE MÍNIMA PARA EXPORTAR?
Não existem impedimentos legais. Na verdade, o que determina o mínimo a ser exportado são os custos específicos de exportação, ou seja, pequenas quantidades podem comprometer a operação por aumentar excessivamente do custo por unidade a ser exportada, já que a grande maioria dos custos de exportação são fixos.
PODE-SE ENVIAR UMA MERCADORIA AO EXTERIOR EM CONSIGNAÇÃO?
Sim, desde que seja destinada a exposição em feiras ou como amostra sem valor comercial. 
É COMUM UM PAÍS IMPOR RESTRIÇÕES LEGAIS À IMPORTAÇÃO DE DETERMINADOS PRODUTOS?
Sim, principalmente os países mais desenvolvidos que tenham destacada participação no comércio internacional. Estas restrições são conhecidas como barreiras comerciais, e dividem-se em dois tipos: 
- barreiras tarifárias: são representadas basicamente pelo imposto de importação;
- barreiras não-tarifárias: quotas de importação por período, exigências em matéria de embalagens e etiquetas, regulamentações sanitárias, normas e especificações técnicas, controles cambiais, controle de preços, salvaguardas e medidas antidumping.
COMO A EMPRESA PODE SABER SE EXISTE ALGUMA RESTRIÇÃO OU EXIGÊNCIA PARA A ENTRADA DO SEU PRODUTO NUM DETERMINADO PAÍS?
A melhor alternativa é o contato direto com o próprio importador. Caso a empresa não tenha ainda identificado seu parceiro comercial, uma boa opção seria o contato com o consulado brasileiro instalado naquele país. 
O QUE É UMA EMPRESA COMERCIAL EXPORTADORA (ECE)?
É uma empresas habilitada pela Receita Federal a comprar mercadorias no mercado interno e revendê-las ao exterior (exportação indireta), também conhecida como Trading Company. Numa venda a uma ECE, o produtor nacional estará efetuando uma venda comum de mercado interno, porém a operação será equiparada à exportação no que tange aos benefícios fiscais e financeiros. Para o produtor, a principal vantagem está em utilizar-se da estrutura já montada de uma empresa preparada para operar no mercado internacional, além não ter de ele próprio operar a tramitação burocrática da exportação e nem correr os eventuais riscos envolvidos na operação como um todo. 
QUAIS SÃO