Manual de Redação Parlamentar 3ª Ed.  ALMG
50 pág.

Manual de Redação Parlamentar 3ª Ed. ALMG


DisciplinaProcesso Legislativo197 materiais752 seguidores
Pré-visualização50 páginas
caracteres maiúsculos, negritados.

Parte
Identificada como PArte gerAl ou PArte esPeCIAl ou
por numeral ordinal. Nome centralizado e grafado em caracteres
maiúsculos, negritados.

Numerais (palavras ou
algarismos)

São usados apenas numerais (palavras), exceto no caso das unidades de
medida, unidades monetárias e valores percentuais, que são expressos
com algarismos, seguidos de numerais (palavras) entre parênteses.

Siglas
A primeira referência aparece entre travessões, em seguida à
explicitação de seu significado. A partir daí, usa-se apenas a sigla. Não
se usa o segundo travessão antes de ponto final e de dois-pontos.

novo Manual RP ed 3 NOVEMBRO 12 FINAL.indd 66 27/3/2013 13:10:01

 O
 PRO

CESSO
 LEg

ISLATIvO
67

A alteração das leis

Tipos de alteração

A alteração expressa de uma lei por outra pode ser feita:
a) dando-se nova redação a artigos, parágrafos ou outro dispositivo da lei
em vigor (Modelo 9):
Exemplo:

Art. 4° \u2013 O art. 104 da Lei n° 5.406, de 16 de dezembro de 1969, passa a vigorar
com a seguinte redação:

\u201cArt. 104 \u2013 As promoções obedecerão a critérios de antiguidade, merecimento,
ato de bravura e tempo de serviço, devendo ocorrer anualmente, nos meses de
junho e dezembro.\u201d. (Projeto de Lei Complementar nº 36/2003)

A alteração expressamente introduzida na lei por meio de
norma posterior se incorpora ao texto da lei original.

b) acrescentando-se dispositivos novos (Modelo 13):
Exemplos:

Art. 1° \u2013 Ficam acrescentados ao art. 62 da Constituição do Estado os seguintes
inciso XXXVIII e § 4°:

\u201cArt. 62 \u2013 (...)

XXXVIII \u2013 autorizar referendo e convocar plebiscito nas questões de competência
do Estado.

(...)
§ 4° \u2013 O exercício da competência a que se refere o inciso XXXVIII dar-se-á

nos termos da lei.\u201d. (Emenda à Constituição nº 46, de 2000)

nnn

Art. 2° \u2013 Ficam acrescentados ao art. 9° da Lei n° 14.694, de 2003, os seguintes §§
2° e 3°, passando seu parágrafo único a vigorar como § 1°: (Lei nº 15.275, de 2004)

c) revogando-se dispositivos em vigor:

Exemplo:

Art. 3° \u2013 Fica revogado o § 2° do art. 30 da Lei Complementar n° 64, de 25 de
março de 2002. (Lei Complementar nº 79, de 2004)

novo Manual RP ed 3 NOVEMBRO 12 FINAL.indd 67 27/3/2013 13:10:01

M
A

N
U

A
L

 D
E

 R
ED

A
Ç

Ã
O

 P
A

RL
A

M
EN

TA
R

68
Revogação integral

Quando a alteração a ser feita em uma lei for muito grande ou complexa,
pode-se optar por uma lei nova que substitua integralmente a anterior.

Exemplo:

CAPÍTULO I
DISPOSIÇÕES GERAIS

Art. 1º \u2013 A fixação, a contagem, a cobrança e o pagamento de emolumentos
relativos aos atos praticados pelos serviços notariais e de registro de que trata o art.
277 da Constituição do Estado, o recolhimento da Taxa de Fiscalização Judiciária
e a forma de compensação prevista no art. 8º da Lei Federal nº 10.169, de 29 de
dezembro de 2000, concernente aos atos sujeitos à gratuidade estabelecida na
legislação federal, obedecerão às disposições desta lei.

(...)
CAPÍTULO V

DISPOSIÇÕES FINAIS
Art. 52 \u2013 Ficam revogadas as Leis nºs 12.727, de 30 de dezembro de 1997;

13.314, de 21 de setembro de 1999; 13.438, de 30 de dezembro de 1999; 14.083,
de 6 de dezembro de 2001; 14.576, de 15 de janeiro de 2003; 14.579, de 17 de janeiro
de 2003; e o § 6º do art. 224 da Lei n.º 6.763, de 26 de dezembro de 1975. (Lei nº
15.424, de 2004)

(Obs.: A Lei nº 12.727, de 1997, que dispõe sobre contagem, cobrança e
pagamento de emolumentos devidos por serviços extrajudiciais, é aqui integralmente
revogada pela lei nova, que traz novo disciplinamento para a matéria.)

Se a alteração tiver como objetivo transformar ou extinguir instituição
com existência concreta criada por lei, é recomendável que a lei nova estabe-
leça, no seu artigo inicial, também de forma concreta, a nova situação da insti-
tuição, para, no final, revogar a lei velha.

Exemplos:

Art. 1º \u2013 A Região Metropolitana do Vale do Aço \u2013 RMVA \u2013, instituída pela Lei
Complementar nº 51, de 30 de dezembro de 1998, passa a reger-se pelas normas
estabelecidas nesta lei complementar.

(...)
Art. 10 \u2013 Fica revogada a Lei Complementar nº 51, de 30 de dezembro de 1998.

(Lei Complementar nº 90, de 2006)
nnn

Art. 1º \u2013 O Fundo de Desenvolvimento Regional do Jaíba \u2013 Fundo Jaíba \u2013,
criado pela Lei nº 11.394, de 6 de janeiro de 1994, passa a reger-se por esta lei,
observado o disposto na Lei Complementar nº 27, de 18 de janeiro de 1993.

novo Manual RP ed 3 NOVEMBRO 12 FINAL.indd 68 27/3/2013 13:10:01

 O
 PRO

CESSO
 LEg

ISLATIvO
69

(...)
Art. 16 \u2013 Ficam revogadas a Lei nº 11.394, de 6 de janeiro de 1994, e a Lei nº

12.366, de 26 de novembro de 1996. (Lei nº 15.019, de 2004)

Lei que promove alterações múltiplas

Quando uma lei alterar outra em vários pontos, deve-se atentar para o seguinte:
a) os comandos modificativos devem ser agrupados em função do tipo

de alteração (nova redação, acréscimo ou revogação de dispositivo),
respeitando-se, na medida do possível, a ordem dos dispositivos na lei
modificada. Cada comando deve discriminar, sempre que for viável,
todos os dispositivos que são objeto de alteração naquele bloco:

Exemplo:

Art. 1° \u2013 O caput do art. 1°, os §§ 3° e 4° do art. 9° e o art. 14 da Lei n° 12.228,
de 4 de julho de 1996, passam a vigorar com a seguinte redação: (Lei nº 13.431, de
1999)

b) no caso de mais de um tipo de alteração incidir sobre um mesmo
artigo, é conveniente fazer as alterações por meio de um artigo único:

Exemplo:

Art. 7° \u2013 O art. 17 da Lei n° 14.309, de 19 de junho de 2002, fica acrescido dos
seguintes inciso VII e § 4°, passando seu § 2° a vigorar com a redação que se segue: (Lei
nº 15.027, de 2004)

c) quando houver interdependência entre alterações, mesmo que sejam
de tipos diferentes, é conveniente que elas sejam feitas por um mesmo
comando (Modelo 15):

Exemplo:

Art. 3° \u2013 Fica acrescentado ao art. 288 da Resolução n° 5.176, de 6 de novembro
de 1997, o seguinte § 3°, passando o art. 289 a vigorar com a redação que se segue:

\u201cArt. 288 \u2013 (...)
§ 3°\u2013 Nas comissões e em Plenário, poderá usar da palavra para discutir o

projeto de lei de iniciativa popular, pelo prazo total de sessenta minutos, o primeiro
signatário ou aqueles que este houver indicado.

Art. 289 \u2013 É facultada a entidade associativa da sociedade civil, com exceção de
partido político com representação na Casa, a apresentação à Assembleia Legislativa
de proposta de ação legislativa.

§ 1° \u2013 A proposta a que se refere este artigo será encaminhada à apreciação da
Comissão de Participação Popular, que poderá realizar audiência pública para discuti-la.

novo Manual RP ed 3 NOVEMBRO 12 FINAL.indd 69 27/3/2013 13:10:01

M
A

N
U

A
L

 D
E

 R
ED

A
Ç

Ã
O

 P
A

RL
A

M
EN

TA
R

70
§ 2° \u2013 Aprovada a proposta, esta será transformada em proposição de autoria

da Comissão de Participação Popular ou ensejará, quando for o caso, a medida
cabível.

§ 3° \u2013 Será anexada à proposição de autoria da Comissão de Participação Popular
a proposição em tramitação que com ela guarde identidade ou semelhança, desde
que a proposta de ação legislativa que originou a proposição da comissão tenha sido
protocolada antes da proposição de autoria parlamentar.

§ 4° \u2013 Aplica-se à proposição de que trata este artigo o disposto no § 3° do art.
288.\u201d. (Resolução nº 5.212, de 2003)

Alteração de dispositivos datados (de efeito concreto)

Normas que visam a alterar dispositivos datados \u2013 aqueles que, carecendo
de abstração, inscrevem um comando concreto no tempo \u2013 devem também ser
concretas e referir-se diretamente ao fato instituído pela norma original. Os textos
dessas normas não devem, pois, ser incorporados \u2013 sob a fórmula de \u201cnova
redação\u201d \u2013 ao texto da lei modificada; os comandos