Manual de Redação Parlamentar 3ª Ed.  ALMG
50 pág.

Manual de Redação Parlamentar 3ª Ed. ALMG


DisciplinaProcesso Legislativo197 materiais752 seguidores
Pré-visualização50 páginas
70, de 30 de julho de 2003.

(...)

Art. 7º \u2013 O Poder Executivo republicará o texto da Lei Complementar
nº 64, de 2002, consolidado com suas alterações, no prazo de noventa dias
contados da publicação desta lei.

(...)

Art. 9º \u2013 Fica revogado o art. 2º da Lei Complementar nº 70, de 30 de julho
de 2003.

novo Manual RP ed 3 NOVEMBRO 12 FINAL.indd 73 27/3/2013 13:10:01

M
A

N
U

A
L

 D
E

 R
ED

A
Ç

Ã
O

 P
A

RL
A

M
EN

TA
R

74
Acréscimo de artigos

Não se pode modificar a numeração original dos artigos da lei alterada
nem de agrupamentos de artigos, como seções ou capítulos. O objetivo da
proibição é manter a estabilidade do sistema de remissões da lei, evitando
problemas de identificação de dispositivos e de referência.

Quando é necessário fazer algum acréscimo de artigo à lei, conforme se
pode verificar no Modelo no 13, o número do artigo novo deve ser o mesmo
do artigo anterior, seguido de letra maiúscula, observada a sequência das
letras na série relativa a cada artigo.

Exemplo:

Art. 4 ° \u2013 A Lei n° 14.694, de 2003, fica acrescida do seguinte art. 32-A:

\u201cArt. 32-A \u2013 Os recursos orçamentários provenientes da ampliação real da
arrecadação de receitas da administração pública estadual poderão ser aplicados no
pagamento de prêmio por produtividade.\u201d. (Lei nº 15.275, de 2004)

A renumeração de parágrafos, incisos e outras unidades, apesar de aceitável,
deve ser evitada.

É vedado o aproveitamento de número de dispositivo revogado ou
vetado, devendo a lei alterada manter sua indicação, seguida da expressão
\u201crevogado\u201d ou \u201cvetado\u201d, conforme o caso.

Também no caso de dispositivo declarado inconstitucional em decorrência
de Ação Direta de Inconstitucionalidade \u2013 ADI \u2013 essa informação será
registrada no texto da lei, fazendo-se acompanhar do número da ADI e da
referência à situação de medida liminar ou de decisão transitada em julgado.

novo Manual RP ed 3 NOVEMBRO 12 FINAL.indd 74 27/3/2013 13:10:01

 O
 PRO

CESSO
 LEg

ISLATIvO
75

O sentido de um enunciado muda não apenas quando ele é
modifi cado, mas também quando se modifi cam dispositivos
com ele relacionados. Por isso, é preciso ter bastante atenção
quando se faz uma lei modifi cativa. Um bom exemplo desse
tipo de situação é o da alteração feita no § 5° do art. 14 da
Constituição da República pela Emenda n° 16, de 1997. Era
assim a redação primitiva:
\u201cArt. 14 \u2013 (...)
§ 5° \u2013 São inelegíveis para os mesmos cargos, no período, o
presidente da República, os governadores de Estado e do
Distrito Federal, os prefeitos e quem os houver sucedido, ou
substituído, nos seis meses anteriores ao pleito.
§ 6° \u2013 Para concorrerem a outros cargos, o presidente da
República, os governadores de Estado e do Distrito Federal e
os prefeitos devem renunciar aos respectivos mandatos até seis
meses antes do pleito\u201d (grifos nossos).
O texto proibia a reeleição do presidente e dos governadores
para os mesmos cargos e exigia a renúncia ao mandato no
caso de candidatura a outros cargos. Parece que a razão de
a Constituição estabelecer a inelegibilidade para a primeira
situação é a mesma que a fez exigir a renúncia para a segunda
situação. Os dois preceitos têm, portanto, um princípio comum
que os orienta: a ideia de renúncia para outros cargos (§ 6°) só
faz sentido quando confrontada com a ideia da inelegibilidade
para os mesmos cargos (§ 5°).
Veja-se o texto alterado:
\u201cArt. 14 \u2013 (...)
§ 5° \u2013 O presidente da República, os governadores de Estado e
do Distrito Federal, os prefeitos e quem os houver sucedido ou
substituído no curso dos mandatos poderão ser reeleitos para
um único período subsequente.
§ 6° \u2013 Para concorrerem a outros cargos, o presidente da
República, os governadores de Estado e do Distrito Federal e
os prefeitos devem renunciar aos respectivos mandatos até seis
meses antes do pleito.\u201d.
A nova redação do § 5° passou a permitir a reeleição para os
mesmos cargos, e o § 6°, que não foi alterado, manteve a
renúncia no caso de candidatura a outros cargos. Entretanto,
algo mudou no sentido do § 6°. A lógica que o justifi cava e
que orientava a sua interpretação já não é a mesma, e outro
sentido terá de ser construído pelo intérprete da norma.

novo Manual RP ed 3 NOVEMBRO 12 FINAL.indd 75 27/3/2013 13:10:01

M
A

N
U

A
L

 D
E

 R
ED

A
Ç

Ã
O

 P
A

RL
A

M
EN

TA
R

76
Modelo 1

PROJETO DE LEI

ESTRUTURA E PADRONIZAÇÃO

Ca
be

ça
lh

o Epígrafe PrOJetO de leI N° .../...

Ementa Institui o Programa Mineiro de Incentivo ao Cultivo da Mamona.
Fórmula de
promulgação A Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais decreta:

Texto

Art. 1° \u2013 Fica instituído o Programa Mineiro de Incentivo ao Cultivo da
Mamona.

Art. 2° \u2013 São objetivos do programa instituído por esta lei:
I \u2013 estimular a plantação e o desenvolvimento de tecnologia

aplicável ao cultivo da mamona;
II \u2013 contribuir para o aumento da produtividade e da competitividade

do setor.
Art. 3° \u2013 Compete ao Poder Executivo, na administração do Programa

Mineiro de Incentivo ao Cultivo da Mamona:
I \u2013 registrar as áreas de produção;
II \u2013 incentivar a produção, a industrialização e a exportação da mamona,

bem como o desenvolvimento técnico e econômico dos setores envolvidos
nessas atividades;

III \u2013 desenvolver pesquisas e experimentos que visem à melhoria da
qualidade da mamona e ao aperfeiçoamento dos métodos de produção;

IV \u2013 estabelecer, por meio das instituições financeiras do Estado de
Minas Gerais que atuam no setor, linhas de crédito especiais, destinadas ao
investimento, ao custeio e à modernização do cultivo da mamona.

Parágrafo único \u2013 As ações governamentais relativas à implantação do
programa de que trata esta lei contarão com a participação de representantes
dos produtores de mamona.

Art. 4° \u2013 O Poder Executivo regulamentará esta lei no prazo de noventa
dias, a contar da data de sua publicação.

Art. 5° \u2013 Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.

Fecho Sala das Reuniões, ... de ... de ... .
Deputado ...

Justificação

Justificação: O projeto em exame visa implantar um programa de
fomento à cultura mamoneira, com vistas à instalação de um mercado-polo
no Estado e no Brasil, com a exportação do excedente.

É notório o crescimento acentuado da demanda por óleos oriundos da
mamona. O óleo ecológico está presente em mais de quinhentos produtos
consumidos diariamente, desde produtos de beleza e vestuário até fluido
de freio de automóveis e fluido anticongelante presente no tanque de
combustível do avião.

Em razão das vantagens relacionadas com o cultivo e a exploração da
mamona, propomos a criação do Programa Mineiro de Incentivo ao Cultivo
da Mamona, certo de que teremos o esperado apoio desta Casa para a
aprovação deste projeto.

novo Manual RP ed 3 NOVEMBRO 12 FINAL.indd 76 27/3/2013 13:10:01

 O
 PRO

CESSO
 LEg

ISLATIvO
77

Modelo 2

PROJETO DE LEI N° .../...

Dispõe sobre a política estadual de desenvolvimento
sustentado da cadeia produtiva do algodão e dá
outras providências.

A Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais decreta:

Art. 1° \u2013 A política estadual de desenvolvimento sustentado da cadeia
produtiva do algodão atenderá ao disposto nesta lei.

Parágrafo único \u2013 A política de que trata esta lei será implantada pelo
Poder Executivo em articulação com os setores produtivo e agroindustrial
do algodão.

Art. 2° \u2013 São objetivos da política de que trata esta lei:
I \u2013 recuperar e expandir a cultura do algodão no Estado, com vistas a

suprir a demanda da indústria mineira e a gerar excedentes exportáveis;
II \u2013 estimular investimentos públicos e privados para o desenvolvimento

sustentado da atividade;
III \u2013 gerar oportunidades de emprego e aumento de