Manual de Redação Parlamentar 3ª Ed.  ALMG
50 pág.

Manual de Redação Parlamentar 3ª Ed. ALMG


DisciplinaProcesso Legislativo197 materiais753 seguidores
Pré-visualização50 páginas
... de ..., modificado pelo art.
38 da Lei n° ..., de ... de ... de ..., e pelo art. 4° da Lei n° ..., de ... de ... de ...,
passa a vigorar com a seguinte redação:

novo Manual RP ed 3 NOVEMBRO 12 FINAL.indd 182 27/3/2013 13:10:05

 O
 PRO

CESSO
 LEg

ISLATIvO
183

\u201cArt. 4° \u2013 Fica o Poder Executivo autorizado a conceder às cooperativas
o parcelamento, em até cem parcelas mensais, do crédito tributário
formalizado até 31 de dezembro de ..., inscrito ou não em dívida ativa,
ajuizada ou não sua cobrança.

Parágrafo único \u2013 Ficam anistiados as multas de mora, as multas de
revalidação, as multas isoladas e os juros moratórios referentes ao crédito
tributário de que trata o caput deste artigo aplicados até a data nele fi xada.\u201d.

Art. 2° \u2013 Os benefícios de que trata o art. 4° da Lei n° ..., de ..., com a
redação dada por esta lei, poderão ser requeridos no prazo de sessenta dias
contados da data da publicação desta lei.

Art. 3° \u2013 Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.

Sala das Comissões, ... de ... de ... .

, presidente
, relator

novo Manual RP ed 3 NOVEMBRO 12 FINAL.indd 183 27/3/2013 13:10:05

M
A

N
U

A
L

 D
E

 R
ED

A
Ç

Ã
O

 P
A

RL
A

M
EN

TA
R

184
Relatório de Comissão Parlamentar de

Inquérito e de Comissão Especial

Modelo 43

O relatório de uma comissão parlamentar de inquérito \u2013 CPI \u2013
consiste em uma exposição circunstanciada de fatos determinados e dos
procedimentos relativos a sua investigação. Na conclusão, deve constar a síntese
dos fatos apurados e a recomendação das providências a serem tomadas.

O relatório de comissão especial para proceder a estudo sobre matéria
determinada segue a estrutura do relatório de CPI.

estrutura
a) epígrafe ou título \u2013 contém o nome do documento, com referência a seu

objeto;
b) introdução \u2013 parte em que se enuncia o propósito do relatório, fazen-

do-se a apresentação circunstanciada da matéria objeto do estudo ou
do fato investigado;

c) desenvolvimento \u2013 compreende a apresentação da metodologia de trabalho
utilizada, o relato minucioso dos fatos apurados e a discussão dos resultados;

d) conclusão \u2013 divide-se em duas partes:
\u2013 a primeira apresenta, em síntese, de preferência em tópicos, as

conclusões sobre a investigação realizada;
\u2013 a segunda faz a enumeração das providências a serem tomadas

em função das conclusões apresentadas, entre elas o encaminhamento
de documentos, a apresentação de proposições e a determinação de
procedimentos, comandos que devem ser redigidos de forma precisa,
determinada e concreta. Pode-se prever ainda o encaminhamento do
relatório a determinadas autoridades, nos termos do Regimento Interno;

e) fecho \u2013 contém o local e a data da apresentação do documento e a
assinatura de seus autores.

No caso específi co dos relatórios de CPI e de comissão especial,
a introdução deverá explicitar as circunstâncias que deram
ensejo à constituição da comissão, sua composição e prazo de
funcionamento. Podem-se anexar ao relatório, se for o caso,
os documentos examinados pela comissão e a transcrição dos
depoimentos recolhidos.

novo Manual RP ed 3 NOVEMBRO 12 FINAL.indd 184 27/3/2013 13:10:05

 O
 PRO

CESSO
 LEg

ISLATIvO
185

Modelo 43

RELATÓRIO FINAL DE CPI

ESTRUTURA E PADRONIZAÇÃO

Epígrafe

COMISSÃO PARLAMENTAR DE INQUÉRITO PARA, NO
PRAZO DE 120 DIAS, APURAR AS DENÚNCIAS DE MÁ
UTILIZAÇÃO E DE DESVIO DAS VERBAS DO FUNDO
DE MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO ENSINO
FUNDAMENTAL E DE VALORIZAÇÃO DO MAGISTÉRIO \u2013
FUNDEF \u2013 EM MUNICÍPIOS MINEIROS

Introdução

Criação da CPI:

a) objetivos;

b) composição;

c) prazo de funcionamento.

Antecedentes:

a) o que é o Fundef;

b) fontes de recursos do Fundef;

c) fiscalização, acompanhamento e controle social do Fundef.

Desenvolvimento

Investigação das denúncias:

a) coleta de depoimentos;

b) exame da correspondência recebida;

c) exame da documentação recolhida;

d) análise dos resultados.

Conclusão
Síntese dos fatos apurados.

Recomendação de providências.

Anexos
Relação da legislação do Fundef.

Documentos juntados aos autos.

Fecho
Sala das Comissões, ... de ... de ... .

Deputados ...

Nota: em vista da extensão desse tipo de documento, apresentamos aqui
apenas os elementos de sua estrutura como modelo para elaboração
de relatório final de CPI.

novo Manual RP ed 3 NOVEMBRO 12 FINAL.indd 185 27/3/2013 13:10:05

M
A

N
U

A
L

 D
E

 R
ED

A
Ç

Ã
O

 P
A

RL
A

M
EN

TA
R

186
Relatório de visita de comissão

Modelos 44 e 45

O relatório de visita de comissão consiste na exposição circunstanciada
dos fatos ocorridos durante visita realizada por comissão a determinado
local ou pessoa, a requerimento de deputado, e conclui pela recomendação
de providências a serem tomadas relativamente ao que foi observado.

estrutura
A estrutura do relatório compreende (Modelo 44):

a) epígrafe ou título \u2013 contém o nome do documento, a identifi cação da
comissão que realizou a visita e do local ou pessoa visitada;

b) apresentação \u2013 inicia-se com a identifi cação do deputado autor do requerimen-
to que motivou a visita, da comissão que a realizou, do local ou pessoa
visitada e da data e da fi nalidade da visita; a seguir, relacionam-se os depu-
tados que participaram da visita \u2013 destacando-se o presidente da comissão,
se for o caso \u2013 e as autoridades que a acompanharam;

c) relato \u2013 contém o registro objetivo (sem comentários ou juízos de valor)
e, preferencialmente, em ordem cronológica, dos fatos ocorridos duran-
te a visita, as informações fornecidas pelas pessoas que recepcionaram
os visitantes e os depoimentos dos entrevistados. Documentos escla-
recedores ou comprobatórios dos fatos descritos deverão ser anexados
ao relatório e mencionados ao longo do relato, indicando-se, entre pa-
rênteses, o número correspondente a cada um deles;

d) conclusão \u2013 divide-se em duas partes:
\u2013 a primeira apresenta a opinião da comissão a respeito dos fatos
descritos no relato, tendo em vista a fi nalidade estabelecida para a
visita; a comissão pode ainda avaliar fatos relevantes ocorridos como
desdobramento da visita e não previstos na sua fi nalidade inicial;

\u2013 a segunda enumera as providências a serem tomadas em razão do que
foi observado, como a solicitação de informações ou de providências a
órgão da administração pública, comandos que devem ser redigidos de
forma precisa, determinada e concreta;

e) fecho: contém o local e a data de apresentação do documento e a
assinatura de seus autores;

f) anexos \u2013 documentos numerados, mencionados ao longo do relato
(Modelo 45).

novo Manual RP ed 3 NOVEMBRO 12 FINAL.indd 186 27/3/2013 13:10:06

 O
 PRO

CESSO
 LEg

ISLATIvO
187

Modelo 44

RELATÓRIO DE VISITA DE COMISSÃO

ESTRUTURA E PADRONIZAÇÃO

Epígrafe
relAtÓrIO de vIsItA

Comissão de ...

Local visitado: ...

Apresentação
Identifi cação do requerimento que deu origem à visita, data,
local e fi nalidade.
Enumeração dos participantes e acompanhantes da visita.

Relato

Descrição da visita, registrando-se sinteticamente:

\u2013 os fatos que motivaram a visita;

\u2013 as principais informações coletadas, as situações
observadas e os depoimentos colhidos;

\u2013 a enumeração dos anexos incorporados ao fi nal do
relatório.

Conclusões

Descrição da visita, registrando-se sinteticamente:

\u2013 análise dos fatos descritos no relato;

\u2013 relação das medidas a serem tomadas pela comissão
em face dos resultados da reunião e especifi cação dos
responsáveis pelas providências a serem recomendadas e
dos destinatários das correspondências.

Fecho

Sala das Comissões, ... de ... de ... .

, relator

Deputados ...

Anexos Documentos juntados ao relatório.