Moodle saúde sex e reprodtiva
38 pág.

Moodle saúde sex e reprodtiva


DisciplinaEnfermagem na Saúde Reprodutiva e Perinatal22 materiais205 seguidores
Pré-visualização3 páginas
propondo abordagem global em todas as fases do seu ciclo vital. 
\u2022 Métodos anticoncepcionais começaram a ser distribuídos aos 
estados pelo MS (avanço com o SUS). 
BRASIL: Políticas Públicas 
\uf0d8 1988 
 Constituição Brasileira, Cap VII, art. 26, parágrafo 7: o Estado 
compromete-se a prover recursos educativos e científicos para o 
Planejamento Familiar. 
\uf0d8 1989 
 Programa de Saúde do Adolescente (PROSAD) // área prioritária é a 
saúde reprodutiva. 
\uf0d8 1995 
 Quarta Conferência Mundial da Mulher em Pequim: reafirma a 
saúde reprodutiva como direito da mulher cidadã; reconhece a 
igualdade entre homens e mulheres no controle à sua saúde e sua 
fecundidade. 
 
 
 
BRASIL: Políticas Públicas 
 
\uf0d8 1996 
 LEI 9.263 : regulamenta o parágrafo 7 do art. 226 da Constituição 
Federal = esterilização voluntária. 
No Brasil, a Constituição da República estabelece no Artigo 226, 
Parágrafo 7º, o princípio da paternidade responsável e o direito de livre 
escolha dos indivíduos e/ou casais e a Lei Federal nº 9.263 de 1.996, 
que regulamenta este Artigo, estabelece que as instâncias gestoras de 
Sistema Único de Saúde (SUS), em todos os níveis, estão obrigadas a 
garantir à mulher, ao homem ou ao casal, em toda a rede de serviços, 
assistência à concepção e contracepção como parte integrante das 
demais ações que compõe a assistência integral à saúde. 
 
 
BRASIL: Políticas Públicas 
\uf0d8 2002 
 Manuais Técnicos para Assistência ao Planejamento Familiar 
\uf0d8 2003 
 Portaria nro 1679/GM regulamentação para o emprego de técnicas 
de reprodução asssitida. 
\uf0d8 2005 
 Direitos Sexuais e Reprodutivos: série em 7 cadernos, que 
contempla diversos aspectos da atenção integral à saúde da 
mulher. 
 
*Disponível em: http://www.saúde.gov.br 
 
BRASIL: Políticas Públicas 
\uf0d8 2012: 
A área técnica de Saúde da Mulher 
é responsável pelas ações de assistência ao pré-natal, 
incentivo ao parto natural e redução do número de 
cesáreas desnecessárias, redução da mortalidade 
materna, enfrentamento da violência contra a mulher, 
 planejamento familiar, assistência ao climatério, 
 assistência às mulheres negras, as mulheres privadas 
da liberdade e a população LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, 
Travestis /Transexuais). 
 
BRASIL: Políticas Públicas 
\uf0d8 Atenção à saúde da mulheres em situação de prisão 
 
\uf0d8 Atenção às mulheres e adolescentes vítimas de violências 
sexual e doméstica 
 
\uf0d8 Atenção humanizada às mulheres em situação de abortamento 
 
\uf0d8 Pacto Nacional pela Redução da Mortalidade Materna e 
Neonatal 
 
\uf0d8 MS + Mercosul= desenvolvendo propostas comuns (2004) 
 
Política de Planejamento Familiar 
\uf071 Ministério da Saúde em parceria com estados, 
municípios e sociedade civil organizada. 
 
Atenção Integral à Saúde da Mulher, do 
Homem e dos(as) adolescentes. 
 
\uf071 Enfatiza a importancia de juntar as ações de 
Planejamento Familiar + prevenção HIV/Aids e DSTs. 
Educação em 
Saúde Sexual e Reprodutiva 
Educação em Saúde Sexual e Reprodutiva 
\uf06e Objetivo: oferecer subsídios para a opção do MAC mais adequado, 
questionar e refletir sobre sua sexualidade e prática reprodutiva. 
 
 Atenção em Saúde Reprodutiva METODOLOGIA 
 PARTICIPATIVA 
 
 
 Centrada no sujeito 
 
\u2022 Em grupos, reforçadas/ estimuladas pela ação individual 
\u2022 Compartilhamento de dúvidas/ sentimentos/ conhecimentos 
 
 
Educação em Saúde Sexual e Reprodutiva 
 
\uf06e Importante \u2013 partir do conhecimento da pessoas , permitir 
trocas de idéias, auxiliar na construção de atitude autônoma de 
acordo com interesses individuais. 
 
\uf06e Fundamental : 
\uf0fc assistência centrada na interação cliente + profissional de saúde; 
\uf0fc aprender a ouvir sem emitir juízo de valor; 
\uf0fc reconhecer a subjetividade + características pessoais/ 
emocionais/ culturais; 
\uf0fc uso da linguagem acessível, simples e objetiva. 
Ação Educativa: orientação/ aconselhamento 
\uf06e Individual / casal 
 
\uf06e Objetivo principal escolha do MAC mais adequado para 
as condições e estilo de vida. 
 
o Estabelecer diálogo para estabelecer relação de confiança = 
trocas entre indivíduo / casal e prof. da saúde. 
 
o Toda ação é única, adapta-se à cada indivíduo / casal. 
 
o Depende: idade, paridade, número de companheiros, riscos 
(DST...) 
Profissional de Saúde 
\uf0d8 Acolher a pessoa / casal com respeito, gentileza. 
\uf0d8 Desenvolver capacidade de comunicação (acessível,simples 
e objetiva). 
\uf0d8 Demonstrar tolerância aos princípios, crenças e valores. 
\uf0d8 Ter atitudes imparciais. 
\uf0d8 Naturalidade para falar de sexualidade. 
\uf0d8 Orientar com imparcialidade sobre MAC. 
 
 
 
Profissional de Saúde 
\uf0d8 Ter conhecimentos técnicos. 
\uf0d8 Assegurar privacidade, confidencialidade e 
sigilo. 
\uf0d8 Prestar apoio emocional. 
\uf0d8 Facilitar expressão de sentimentos 
\uf0d8 Apresentar os MAC (manuseio, funcionamento, uso, 
benefícios e limitações). 
\uf0d8 Respeitar a escolha. 
\uf0d8 Avaliar adaptação do MAC. 
 
Escolha do MAC 
 
\uf06e Escolha \u201cinformada\u201d tomada de decisão após 
informações úteis e precisas conforme cada caso. 
 
\uf06e Levar em conta: escolha do casal 
 características dos métodos 
 fatores individuais e situacionais relativos 
a pessoa / casal ( condições de vida, fase da vida, padrão de 
escolaridade/ comportamento, aspirações reprodutivas, medos, dúvidas 
e tabus / religião). 
Características dos MAC 
\uf06e Eficácia: maneira típica de uso + experiência individual 
\uf06e Vantagens e desvantagens: são individuais 
\uf06e Efeitos colaterais: alertados previamente facilitam a aceitação 
/ podem ser somente incômodos. 
\uf06e Modo de uso: instruções claras e precisas 
\uf06e Aceitabilidade: grau de confiança + motivação = correta 
orientação. 
\uf06e Disponibilidade: gratuidade ??? // levar em conta condições 
financeiras 
\uf06e Facilidade de uso: complexo ou fácil assimilação. 
\uf06e Reversibilidade 
\uf06e Prevenção DSTs // AIDS 
 
Os Métodos Anticoncepcionais - MAC 
 Contraceptivos 
\uf06e COMPORTAMENTAIS 
 
\uf06e De BARREIRA 
 
\uf06e HORMONAIS 
 
\uf06e DEFINITIVOS 
 
 
 
 
Planejamento Familiar 
Entendendo como direito do cidadão, 
deve incluir acessoà informação, 
à todos os métodos e técnicas para 
concepção e anticoncepção, cientificamente 
aceitos, e que não coloquem em risco a vida e 
a saúde das pessoas em toda as etapas do 
ciclo vital. 
Aos profissionais de saúde cabe desenvolver 
o cuidado humanizado e integral. 
\u201cNada na vida deve ser temido, somente 
compreendido. É sempre hora de 
compreender mais, para temer menos.\u201d 
 Marie Curie 
(física francesa) 
Referências 
\u2022 Berquó,E.org. Sexo e Vida. Ed. Unicamp: Campinas, 
2003. 
\u2022 BRASIL. Secretaria de Atenção à Saúde. Dept. de 
Atenção Básica. Caderno de Atenção Básica no 26, 
Saúde Sexual e Saúde Reprodutiva. Brasília: Ministério 
da Saúde, 2009. 
\u2022 ___________________________________ Dept. Ações 
Estratégicas. Política Nacional de Atenção Integral à 
Saúde da Mulher - Princípios e Diretrizes. Brasília: 
Ed.MS, 2011. 
\u2022 Carvalho,G.M de.Anticoncepção: um guia prático. São 
Paulo: EPU,2010. 
Referências 
\u2022 Fernandes,R.A.Q. e Narchi,N.Z. (orgs.). Enfermagem 
e saúde da mulher. Barueri, SP: Manole, 2007. 
\u2022 Freitas, F. et al. Rotinas em Ginecologia.