Introdução à comunicação entre computadores e tecnologias de rede
41 pág.

Introdução à comunicação entre computadores e tecnologias de rede


DisciplinaRedes de Computadores18.518 materiais246.754 seguidores
Pré-visualização13 páginas
precisam estar apontados um para o outro. Não pode haver
interferência entre um e outro. Até mesmo umidade muito alta pode comprometer o sinal. Elas são transmitidas a até
45 Km de distância. Graças à curvatura da terra, quanto maior a torre, mais longe ela transmite.
Dispositivos que possuem Freqüência Muito Alta, tipicamente entre 902 e 828 MHz são aqueles que normalmente
utilizam uma técnica de segurança chamada Espectro Espelhado. Essa técnica consiste em enviar o sinal sempre
variando a freqüência formando um ruído proposital. Desta forma, é possível enviar uma maior quantidade de dados
graças á largura de banda maior e ainda torna extremamente difícil interceptar o sinal. Esta técnica foi desenvolvida
durante a Segunda Guerra Mundial com o objetivo de camuflar sinais secretos.
Ondas de rádio em redes de computadores normalmente são usadas para melhorar redes já existentes que funcionam
por cabos, e não para substituí-las. A desvantagem delas é que nas freqüências que podem ser usadas por redes de
computadores, elas não conseguem atravessar paredes ou estruturas muito densas, a menos que a freqüência seja
ampliada. Entretanto, isso reduz o alcance do sinal.
Transmissão por Infravermelho
A transmissão por infravermelho é uma transmissão por ondas eletromagneticas que tem uma freqüência mais alta
que as Freqüências Extremamente Altas da comunicação por rádio, mas não altas o bastante para tornarem-se luz.
Este tipo de onda é utilizado por vários equipamentos diferentes e até mesmo o calor do corpo humano emite ondas
infravermelhas. Os controles remotos de vários aparelhos também usam infravermelho.
Uma característica interessante do infravermelho é que ele pode ser transmitido de forma direta (em linha reta como
um laser) ou difusa (como a luz de uma lâmpada).
A comunicação sem fio 27
Transmissão por Luz
A imagem acima é um exemplo de transmissão por meio da luz
vermelha visível. Um alcance de até 1,4 Km pode ser obtido.
Também é possível utilizar a própria luz para transmitir
mensagens. Aliás, se pararmos para pensar, esta é a
forma mais antiga de comunicação à distância, pois as
mensagens transmitidas por sinais de fumaça usavam
na verdade a luz que enviava informação sobre os
padrões da fumaça.
Mas falando sobre transmissões modernas por meio da
luz, esta forma de comunicação é bastante usada entre
satélites, por exemplo. No vácuo do espaço, a eficiência
deste tipo de comunicação é idêntica à da fibra óptica.
Redes de computador aqui na terra também podem usar
este tipo de transmissão, embora com menor
desempenho.
A desvantagem deste tipo de comunicação é que muitos
fatores como a luz do sol, neblina, chuva e neve podem atrapalhar a transmissão. A vantagem é que a velocidade é
maior que a de microondas, a taxa de erros de transmissão é baixa e a dispersão também é relativamente baixa.
Assim como a transmissão por infravermelho, ela também pode ocorrer de forma difusa ou direta.
Comunicação via satélite
A comunicação via satélite são aquelas que utilizam como forma de transmitir dados ondas de rádio (normalmente
microondas) enviadas por satélites artificiais em órbita da Terra.
Este tipo de comunicação tem a vantagem de poder estabelecer contato com navios e aviões, algo impossível de ser
feito por meio de cabos. Outra vantagem é que mensagens enviadas por meio de satélites podem chegar até as
regiões mais isoladas do planeta, mesmo que o local não tenha infra-estrutura de cabos.
A grande desvantagem da comunicação via satélite são os seus custos elevadíssimos. Colocar em órbita um satélite
artificial é algo bastante caro e além disso, o equipamento precisará de manutenções constantes. Existem empresas e
organizações que alugam satélites que já estão em órbita, mas os custos são bastante altos.
Esta forma de comunicação é bastante usada para enviar sinais de televisão e rádio.
Com relação à sua órbita, os satélites utilizados em telecomunicações podem ser classificados do seguinte modo:
Comunicação via satélite 28
Satélites Estacionários
A órbita de um satélite estacionário.
Este tipo de satélite fica sempre localizado acima da linha do Equador,
à uma altitude de aproximadamente 36.000 Km e move-se ao redor da
terra em uma velocidade idêntica à da rotação do planeta. Com isso, do
ponto de vista de um observador terrestre, o satélite sempre parece
estar parado no céu.
A grande vantagem deste tipo de satélite é que para que o seu sinal seja
captado, basta apontar a antena para o ponto certo do céu. Depois
disso, não é mais necessário mudar a posição da antena e nem usar
equipamentos caros para prever o movimento do satélite.
A desvantagem é que como todos os satélites estacionários devem estar
sobre a liha do equador à uma mesma altitude, existe um espaço
limitado para colocá-los no espaço. Além disso, países que ficam
localizados à uma mesma longitude podem entrar em conflito para
decidir quem irá colocar um satélite para atender à sua população. Tais conflitos normalmente são julgados pela
União Internacional de Telecomunicações, uma organização internacional.
Satélites em Órbita Terrestre Baixa
Estes são os satélites que ficam à uma altura entre 350 e 1400 km. Qualquer satélite que fique à uma altura inferior à
esta seriam instáveis, pois sua velocidade sofreria interferência da atmosfera.
Como satélites nesta altitude precisam de menos energia para serem enviados e para enviar dados devido à uma
distância menor da Terra, manter um satélite nesta altitude é mais barato. A desvantagem é que como eles não
possuem órbitas estacionárias, para manter a comuicação com um ponto da Terra, é preciso usar uma rede de
satélites.
Satélites Molniya
Satélites deste tipo fazem uma órbita elíptica ao redor da Terra. Isso faz com que eles se movam, mas passem a
maior parte do tempo em uma determinada latitude. Este tipo de satélite é usado principalmente na Rússia. Em 1967,
uma rede nacional de televisão soviética foi criada e funcionava graças à satélites deste tipo.
Como satélites estacionários não funcionam bem para transmitir dados para pontos muito distantes da linha do
Equador, os satélites molniya são a forma mais eficiente de transmitir dados para regiões llocalizadas em latitudes
altas.
Satélites de Molniya são tipicamente usados para a telefonia e televisão na Rússia. Além disso, podem ser usados
para sistemas de rádio móveis mesmo em latitudes menores, pois carros viajando através de áreas urbanas precisam
de satélites em grandes altitudes para manterem uma boa conectividade mesmo quando próximos de construções
altas.
Sistema de cabeamento estruturado 29
Sistema de cabeamento estruturado
Até o final dos anos 80, não existia uma padronização para como deveria ser feito o cabeamento em empresas,
edifícios e campi. Naquela época, cada tipo de aplicação usava um cabo diferente. Haviam cabos específicos para
transportar voz, outros transportavam dados, eletricidade, sistemas de controle e segurança. Cada aplicação também
usava um tipo de cabo diferente. Uns eram coaxiais, outros eram par-trançado blindados e outros eram par trançado
não blindado.
Entretanto, era bastante difícil manter redes assim. Cada vez que uma tecnologia mudava e era preciso substituir uma
aplicação, todos os cabos usados por ela não poderiam ser aproveitados pois novas aplicações usavam novos tipos de
cabo.
Para resolver este problema, em 1991, a associação EIA/TIA (Associação de Indústrias Eletrônicas / Associação de
Indústrias de Telecomunicações) criou uma padronização de cabos e fios em prédios comerciais. Seu nome era
EIA/TIA-568.
Os padrões criados por ela são independentes de especificações de fabricantes específicos, mas mesmo assim
proporcionam informações suficientes para acomodar diversos tipos de transmissões de diversos produtos e
fabricantes. Chamamos qualquer sistema de cabeamento que obedece aos padrões EIA/TIA-568 de Sistema de
Cabeamento estruturado. Ele é composto