ines da silva moreira
44 pág.

ines da silva moreira


DisciplinaServiço Social e Terceiro Setor51 materiais1.277 seguidores
Pré-visualização44 páginas
e

a consciência das pessoas não acompanharam o desenvolvimento econômico,

social e urbano.

Ainda, segundo a Constituição Federativa do Brasil de 1988, a educação

ambiental é incumbência do poder público, que deve promover a conscientização

social para defender o meio ambiente.

Sabe-se que o Conselho Federal de Serviço Social (CFESS), ao discutir

a questão urbana e a inserção do assistente social neste debate, manifesta-se de

forma que:

As condições objetivas das cidades brasileiras expressam os efeitos do
modelo de desenvolvimento urbano de caráter neoliberal, perverso e
desigual, adotado pelo país nas últimas décadas, caracterizando-se por
profundas desigualdades econômicas, sociais, políticas, culturais e
ambientais, marcado pelo caráter predatório da industrialização, destruição
dos recursos naturais, despejo de diferentes populações de suas terras e
moradias de origem, desemprego e baixos salários, trabalho informal,
precarização da educação e saúde, pobreza nas áreas urbanas e
criminalização dos movimentos sociais. As raízes desse processo estão
relacionadas à modernização conservadora e excludente do Brasil, marcada
por uma urbanização que combinou um gigantesco processo migratório do
campo para as cidades com a expansão das cidades por periferização, com
a reprodução da força de trabalho pela via da subsistência e espoliação
territorial. (CFESS, 2010).

A questão ambiental e as ações educativas para o Serviço Social

passaram a ser consideradas novas demandas para serem enfrentadas no século

XXI. Para Santos (2007 p. 57), \u201c[...] o interesse pela questão ambiental vem

60

ganhando espaço junto à categoria e traz à tona discussões, relatos de

experiências ligadas à questão ambiental.\u201d

O surgimento da profissão de Serviço Social deu-se em função da

necessidade em responder às questões sociais da época, que eram a pobreza,

miséria, exclusão e discriminação, em virtude do sistema politico e econômico que

não mais respondia às questões.

Com o passar do tempo o Serviço Social assume compromissos de forma

democrática e de enfrentamento da pobreza, em lutar pela emancipação do sujeito

desprovido de direitos sociais. Diferencia-se enquanto profissional, na busca dos

interesses da classe trabalhadora e aos anseios da transformação social. É uma

profissão que dispõe atribuições e competências únicas e sua intervenção está no

âmbito dos projetos sociais inclusive no Programa de Aceleração do Crescimento -

PAC de forma multidisciplinar, na busca por condições sociais justas nos entornos

onde acontece o projeto.

O grande desafio para o Serviço Social hoje é em tentar propor ações

educativas e encontrar soluções para o problema ambiental. Contribuir para a

instalação de nova consciência na população, mudar o pensamento das pessoas

de modo a que se tornem defensores da sustentabilidade a partir da educação.

Uma educação preocupada em buscar saídas através da mudança de mentalidade

da sociedade, de valores, de sentimento e de sustentabilidade, para as novas

gerações.

Segundo Dias (apud RODRIGUES; SANTANA; BERNABÉ, 2007, p. 34):

O assistente social constituiu-se num profissional importante nesse
processo, pois é apto a desenvolver o papel de educador popular, bem
como desenvolver um trabalho de sensibilização juntos a seus usuários,
com objetivo de \u2018empoderá-los\u2019 quanto às praticas sustentáveis de Meio
Ambiente em sua comunidade, para que exerçam uma análise critica que
resulte numa pratica que vise ao desenvolvimento humano, pautada no
projeto ético- político da profissão.

O Assistente Social tem como responsabilidade dentre outros, executar

ações no sentido de ampliar a responsabilidade ambiental e ecológica da

sociedade através de uma educação sustentável, ou seja, da educação ambiental

junto à comunidade local.

Por ser uma profissão comprometida com a construção de uma

sociedade justa, democrática, que luta pela garantia dos direitos humanos e

61

universais, fundamentada na Lei n. 8.662/1993 que regulamenta a profissão, o seu

compromisso é com a justiça social. O Serviço Social procura atender as demandas

das camadas excluídas e marginalizadas da sociedade, estabelecendo vínculos de

cidadania, levando-os a pensar a sustentabilidade com justiça social.

A profissão limita-se quando o foco de sustentabilidade apenas permeia

as questões ambientais e não estão vinculadas às questões econômicas e sociais.

De acordo com Iamamoto e Carvalho (1983), o Serviço Social é produto

e \u201creflexo\u201d da realidade social mais abrangente, e, portanto as relações sociais são

um forte instrumento de intervenção teórico-política.

Assim, compreende-se que os problemas sociais são permeados por

questões estruturais e conjunturais decorrentes da miséria, da desigualdade social

produzidas por regimes políticos e econômicos.

É uma das poucas profissões que trabalha com projetos profissionais

coletivos e com compromissos em várias práticas sociais, como: Saúde, Educação,

Previdência, Habitação, Lazer, Assistência Social, Justiça, meio ambiente, que

podem ser sintetizadas na palavra sustentabilidade.

O Serviço Social e suas Ações Educativas concentram-se na

responsabilidade que todo profissional tem para com os problemas do nosso

tempo, seja de exclusão social ou de natureza ecológica, ou em outras instâncias.

Passa a exigir novas intervenções, que considerem uma sociedade sustentável, ou

seja:

[...] aquela que em todos os aspectos da vida cívica e pessoal sejam
compatíveis com o desenvolvimento sustentável e todas as instituições
públicas, em todos os níveis de governos, trabalhem para avançar esse tipo
de sociedade. (UNESCO, 2005, p. 49).

Dessa forma, destaca-se a importância do seu papel inserido nas mais

diversas áreas, executando projetos e programas socioambientais, prestando

serviços sociais de forma efetiva.

Por meio de sua intervenção, o profissional de Serviço Social constrói

relações entre homens no cotidiano da vida social por meio de ações globais e de

cunho socioeducativo, dialogando com outras categorias para construir e

desenvolver saberes.

Sabe-se que o assistente social tem facilidade para transitar neste

espaço plural, transdisciplinar, complexo e contraditório, podendo dialogar com

62

todas as áreas que trabalham com a educação ambiental de forma crítica e

reflexiva. É um profissional que acumula experiência para trabalhar com todas as

camadas, inclusive com as menos favorecidas ou excluídas da sociedade.

A intenção maior é a de compreender, através do contato com a

comunidade, o que dificulta uma ação mais ágil de recuperação e preservação da

área degradada.

Também é de extrema importância desempenhar o papel de educador

ambiental, pois a necessidade de integrar o social com o ecológico é relevante para

garantir um planeta mais saudável.

O Assistente Social, ao desenvolver o papel de educador ambiental,

também é capaz de provocar a mediação, proporcionando o diálogo e a reflexão

enquanto ação educativa, tanto no campo social como no ambiental.

Suas intervenções são sempre voltadas para o trabalho de

conscientização, de educação e de cidadania na sociedade. A cidadania é um

interesse comum na consciência e no exercício dos direitos e deveres descritos na

legislação do Serviço Social.

São ações que buscam, afinal:

Uma educação para promover um pensamento sistêmico, global, de que as
coisas não ocorrem de forma isolada, nem se devem a uma só causa. Uma
educação que ajude a tomar consciência da complexidade da questão
ambiental não apenas em sua origem, mas em sua resolução. Uma
educação que leve nosso pensamento e ação a pensar globalmente e agir