ines da silva moreira
167 pág.

ines da silva moreira


DisciplinaServiço Social e Terceiro Setor75 materiais1.327 seguidores
Pré-visualização44 páginas
1998, p. 34). 
 
Gil (1999) corrobora a escolha da pesquisa exploratória com a principal 
finalidade de desenvolver, esclarecer e modificar conceitos e ideias, tendo em vista 
a formulação de problemas mais precisos ou hipóteses pesquisáveis para estudos 
posteriores. Na abordagem quali-quantitativa, será utilizada a pesquisa documental 
e a de campo nos diferentes polos de pesquisa. 
A pesquisa de campo teve como instrumento a entrevista, por ser uma 
das técnicas mais utilizadas nas Ciências Sociais, não apenas para obtenção de 
dados, mas para responder qualitativamente aos objetivos de pesquisa que, 
segundo Gil (1994, p. 113): 
 
Pode-se definir entrevista como a técnica em que o investigador se 
apresenta frente ao investigado e lhe formula perguntas, com o objetivo de 
obtenção dos dados que interessam à investigação. A entrevista é, portanto, 
uma forma de interação social. [...] é uma forma de diálogo assimétrico, em 
que uma das partes busca coletar dados e a outra se apresenta como fonte 
de informação. 
 
71 
 
Visando atender o objetivo da pesquisa, utilizou-se de técnicas de 
registros das atividades que foram e ainda são desenvolvidas nos projetos sociais. 
Após leitura de inúmeros relatórios e Atas do Trabalho Técnico Social de 
2009 e 2011, foi elaborado um resumo pela pesquisadora que encontra-se no 
apêndice B. Quanto ao relatório de 2010 foi disponibilizado pela administração do 
Projeto do Trabalho Técnico Social do Projeto Semear que segue informado no 
anexo 1. 
Para garantir a máxima confiabilidade na obtenção dos dados, usou-se 
gravador nas entrevistas, com conhecimento e autorização prévia dos 
entrevistados, de modo a facilitar a compreensão e análise das informações, 
procurando manter a discussão focada no assunto. 
Ainda em termos de procedimento metodológico, buscou-se 
oportunidade de a pesquisadora ser observadora participante, junto às entidades 
que trabalham com os projetos do PAC, estando presente, como ouvinte, nas 
eventuais reuniões que ocorreram, acompanhando de perto suas deliberações e 
atividades durante o período da pesquisa. 
Vale ressaltar que se utilizou a pesquisa-ação e que segundo Barbier 
(2002, p. 14), \u201c[...] não existe pesquisa-ação sem participação\u201d. O autor adverte e 
esclarece que: 
 
A pesquisa-ação obriga o pesquisador de implicar-se. Ele percebe como 
está implicado pela estrutura social na qual ele está inserido e pelo jogo de 
desejos e de interesses de outros. Ele também implica os outros por meio 
do seu olhar e de sua ação singular no mundo. Ele compreende, então, que 
as ciências humanas são, essencialmente, ciências de interações entre 
sujeito e objeto de pesquisa. (BARBIER, 2002, p. 14). 
 
A pesquisa-ação participante ocorreu por meio de vivências com os 
sujeitos que participam do projeto e sua implementação por meio de diálogos 
informais, da escuta atenta, dos depoimentos colhidos, discutidos e refletidos ao 
longo do processo. 
Como observadora foi estabelecida relação com os envolvidos nos 
projetos, e a importância reside no fato de se captar uma variedade de situações ou 
fenômenos que não seriam obtidos por meio de perguntas/ respostas. 
72 
 
Na coleta de dados para obtenção das informações, utilizou-se o 
formulário semiestruturado, com roteiro elaborado, com perguntas abertas, 
podendo valorizar os depoimentos dos sujeitos que foram entrevistados. 
 
A entrevista semi-estruturada tem como característica questionamentos 
básicos apoiados em teorias e hipóteses que se relacionam ao tema da 
pesquisa, os questionamentos dariam frutos a novas hipóteses surgidas a 
partir das respostas dos informantes. O foco principal seria colocado pelo 
investigador-entrevistador. A entrevista semi-estruturada favorece não só a 
descrição dos fenômenos sociais, mas também sua explicação e a 
compreensão de sua totalidade [...] além de manter a presença consciente e 
atuante do pesquisador no processo de coleta de informações (TRIVIÑOS, 
1987, p. 152). 
 
A cidade de Sumaré, em São Paulo, segundo o Instituto Brasileiro de 
Geografia e Estatística (IBGE, 2010) possuía uma população com 241.437 
habitantes. Desta, 120.000 habitantes estavam inseridas em áreas de Área de 
Preservação Permanente (APP) e áreas de Área de Proteção de Mananciais 
(APM), estando totalmente inseridas no contexto urbano. Trata-se de áreas 
urbanizadas, e em expansão urbana, dotadas de rede viária integrada. 
Com a expansão da cidade, e os impactos das transformações de uso e 
ocupação do solo modificando seu desenho original, surgiram os chamados 
bolsões de pobreza, apresentando efeitos nocivos da urbanização acelerada e 
desordenada, aumentando a produção de resíduos sólidos e seus acúmulos nas 
calçadas, nas praças, nos entornos dos riachos. 
Com a preocupação de transformar o entorno do local, considerou-se a 
importância do Projeto Social com ações socioeducativas para a população, nas 
áreas de execução da obra em Abastecimento de Água e saneamento básico, com 
ações de sensibilização para a valorização da obra. Contou-se com a presença de 
vários profissionais para a execução do Projeto de Trabalho Técnico Social em 
ação. 
Os sujeitos da pesquisa são profissionais que executam o Projeto Social. 
Tal escolha foi importante, pois a preocupação voltou-se para o significado que 
estes atribuem à realidade que se procurou conhecer. 
Ao todo foram sete sujeitos pesquisados, sendo três Assistentes Sociais, 
dois biólogos, dois psicólogos do PTTS na cidade de Sumaré/SP em áreas do meio 
ambiente e educação socioambiental que acompanham ou acompanharam os 
projetos sociais no período de 2008 a 2011. 
73 
 
Os sujeitos da pesquisa foram escolhidos dentre os vários participantes, 
por serem pessoas diretamente envolvidas nos projetos sociais do Programa de 
Aceleração do Crescimento (PAC), e a relação que o pesquisador estabeleceu com 
os sujeitos participantes de sua investigação sustentou-se no diálogo crítico, 
propiciando conhecimentos novos e elevando o nível de consciência dos sujeitos. 
A identificação dos sujeitos e os instrumentais da pesquisa foram 
avaliados pelo Comitê de Ética, após a Banca de Qualificação, uma vez que é o 
órgão responsável pela avaliação ética e metodológica dos projetos de pesquisa 
que envolve seres humanos. 
Os sujeitos foram convidados a participar da pesquisa verbalmente e 
informados por escrito de forma suficiente, a respeito da pesquisa de campo, seus 
propósitos e procedimentos. Ocasião em que também assinaram o Termo de 
Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE), conforme normas do Comitê de Ética 
em Pesquisa em Seres Humanos da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da 
UNESP Campus de Franca/SP. 
74 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
CAPÍTULO 3 ESTUDO DE CASO: Projeto de Trabalho Técnico Social em 
Sumaré - SP na Área de Abastecimento de Água 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
75 
 
A realização do Trabalho Técnico Social favorece a correta 
apropriação e uso dos sistemas/melhorias implantados, por meio de 
atividades de caráter informativo e educativo, buscando a mobilização 
e a participação social por meio de ações direcionadas à geração de 
renda, bem como atividades que possibilitem a disseminação de 
informações referentes à educação sanitária e ambiental. (CAIXA 
ECONÔMICA FEDERAL, 2004, p. 4). 
 
Este estudo foi realizado na cidade de Sumaré-SP, no Projeto do 
Trabalho Técnico Social (PTTS), que envolve o Programa de Aceleração do 
Crescimento (PAC) em Abastecimento de Água, executado pela sociedade Humana 
Despertar, Projeto Semear II, em parceria com