ines da silva moreira
167 pág.

ines da silva moreira


DisciplinaServiço Social e Terceiro Setor76 materiais1.326 seguidores
Pré-visualização44 páginas
M.; TRAJBER, R.; MENDONÇA, P. et al. Educação ambiental como 
política pública. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 2, p. 285-289, 
maio/ago., 2005. 
 
SOUZA, M. M. C. A importância de se conhecer melhores as famílias para a 
elaboração de políticas públicas sociais na América Latina. Rio de Janeiro: 
IPEA, 2000. 
 
SPOSATI, A. et al. Políticas sociais brasileiras. São Paulo: Cortez, 1987. 
 
SUAPESQUISA. Rio+20. Disponível em: 
<http://www.suapesquisa.com/ecologiasaude/rio20.htm>. Acesso em: 12 jun. 2013. 
 
TAVARES, M. C.; FIORI, J. L. (Des) ajuste global e modernização conservadora. 
Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1993. 
 
TONSO, S. Cardápio de aprendizagem. In: FERRARO JÚNIOR, L. A. (Org.). 
Encontros e caminhos: formação de educadoras(es) ambientais e coletivos 
educadores. Brasília: MMA, Diretoria de Educação Ambiental, 2005. V. 1. 
 
TRIVINÕS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa 
qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987. 
 
TUROLLA, F. A. Política de saneamento básico: avanços recentes e opções 
futuras de políticas públicas. Brasília, DF: IPEA, 2002. 
 
UNESCO. Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e Cultura. 
Década das Nações Unidas da educação para o desenvolvimento Sustentável, 
2005. Documento final do plano internacional de implementação. Brasília, DF: 
UNESCO : Orealc : Ed. PUC/RS, 2005. 
 
UNESCO Brasil. Desafios e estratégias. Brasília, DF: UNESCO, 1999. Disponível 
em: <http://unesdoc.unesco.org/images/0013/001315/131540porb.pdf>. Acesso em: 
29 maio 2013. 
 
VEIGA, J. E. Desenvolvimento sustentável: o desafio do século XXI. Rio de 
Janeiro: Garamond, 2008. 
 
VIEIRA, E. A. As políticas sociais e os direitos sociais no Brasil: avanços e 
retrocessos. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, ano 18, n. 53, p. 61-69, mar., 
1997. 
150 
 
VIEIRA, E. A. Democracia e política social. São Paulo, Cortez, 1992. 
 
VIEIRA, P.F.; RIBEIRO, M. A.; FRANCO, R. M. et al. Desenvolvimento e meio 
ambiente: a contribuição de Ignacy Sachs. Porto Alegre: Pallotti; Florianópolis: 
APED, 1998. 
 
VIOLA, E. J.; LEIS, H. R.; VIERA, P. F. et al. (Org.). Meio ambiente, 
desenvolvimento e cidadania: desafios para as ciências sociais. São Paulo: 
Cortez: Florianópolis: Ed. UFSC, 1995. 
 
YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2001. 
 
WARDE, M. J. Os condicionantes sociais da oposição entre teoria e prática na 
educação brasileira: a política de profissionalização do ensino de 2º grau. São 
Paulo: Ed. PUC, 1976. 
 
WIKIMAPIA. Área Cura: Sumaré-SP. Disponível em: 
<http://wikimapia.org/16962829/%C3%81rea-Cura>. Acesso em: 27 fev. 2013. 
 
ZAPATA, T. Desenvolvimento territorial endógeno: conceitos, dimensões e 
estratégias. Florianópolis: SEaD : Ed. UFSC, 2007. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
151 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
APÊNDICES 
 
 
152 
 
APÊNDICE A - Formulário de entrevista com os sujeitos no Projeto de Trabalho 
Técnico Social da cidade de Sumaré/SP, executado pela 
Sociedade Humana Despertar Projeto Semear II. 
 
1) Identificação dos sujeitos 
Nome: 
Cargo: 
Profissão: 
Tempo de vínculo com o Projeto Social: 
Como se filiou ao projeto: 
Primeira categoria: Benefícios para a população: A importância dos projetos 
PTTS \u2013 Projetos de Trabalho Técnico Social dentro do PAC \u2013 em execução para 
atendimento às necessidades econômicas e sociais da população. 
2) A população tem se beneficiado em relação ao que os projetos sociais propõem 
do ponto de vista econômico e social? 
3) Como você percebe a melhoria das condições de vida da população no entorno 
depois do projeto social na qualidade de geração de renda da comunidade? 
4) Em sua opinião, enquanto Assistente Social existe transparência na aplicação dos 
recursos públicos nos projetos sociais? 
Segunda categoria: Efeitos no Meio Ambiente: Os projetos PTTS \u2013 Projetos de 
trabalho Técnico Social dentro do PAC \u2013 em questão contribuem para uma ação 
sócio educativa na recuperação e preservação do meio ambiente. 
5) Na sua opinião as propostas do projeto social estão estimulando a população a 
aderir a práticas de sustentabilidade através da educação socioambiental? 
 
Terceira categoria: Contribuição do Serviço Social: Se o trabalho desenvolvido 
pelos assistentes sociais nos projetos tem contribuído para a importância das 
questões socioambientais em meio aos problemas enfrentados. 
6) O papel do Assistente Social é fundamental na composição dos projetos voltados 
para a visão ambiental e como tem sido sua atuação no Projeto de Trabalho Técnico 
Social de Sumaré? 
153 
 
APÊNDICE B - Resumo do Relatório Anual de acompanhamento do Projeto do 
Trabalho Técnico Social, Semear II, no Programa de Aceleração 
do Crescimento. De janeiro a dezembro de 2009. 
 
As atividades do Projeto Semear Projeto do Trabalho Técnico Social 
Sumaré no Programa de Aceleração do Crescimento \u2013 PAC, este ano contaram com 
diversos avanços e consolidações de atividades dentro dos objetivos do projeto. 
Foram fechadas novas parcerias e projetos, o que viabiliza um maior 
alcance e impacto, além de cursos de capacitação para os bolsistas e equipe. 
Reuniões com órgãos públicos e empresas privadas como a Secretaria 
Municipal de Educação, Secretaria Municipal de Meio Ambiente, DAE, Prefeitura, 
Tecnolight, 3M, garantiram uma maior relevância e projetos tanto socioeducacionais 
como de ação. 
Com as Secretaria Municipais foram realizados ações de educação 
ambiental em escolas e CRAS assim como projetos conjuntos de coleta de materiais 
recicláveis, como o H2Óleo. 
O DAE atuou de forma muito participativa nas reuniões de 
acompanhamento do andamento das obras e de conscientização das comunidades 
que serão afetadas por elas; levando funcionários para garantir a compreensão de 
todos e mostrando medidas que a população deve tomar para garantir a 
manutenção das obras. 
Uma maior aproximação com cooperativas garantiu grupos que ajudam 
na coleta de materiais recicláveis e desenvolvimento deles próprios. Foi 
desenvolvido com a Cooper Sumaré reuniões de acompanhamento para uma 
melhor estruturação e autogestão, visando melhorar a qualidade de vida dos 
colaboradores. Com os catadores da região Área Cura o trabalho foi de criar uma 
coletividade para criar cadastro e resgatar a identidade do grupo para que eles 
cooperem entre si. 
No âmbito de capacitação os bolsistas tiveram extenso treinamento e 
prática. O que foi aprendido pode ser aplicado em projetos nos CRAS, como a Horta 
Educativa; o conhecimento deles foi passado para a comunidade visando uma 
educação ambiental e alimentar para as famílias afetadas. Eles participaram de 
atividades de recuperação de áreas degradadas e como monitores no Horto para os 
154 
 
visitantes. Cursos de viveiristas e jardinagem também auxiliam na entrega de 
resultados do projeto e garantem um aprendizado profissional a eles. 
Os bolsistas aplicaram seus conhecimentos em recuperações de áreas 
verdes, atividades de terrário, reflorestamento e horto, visitas técnicas em locais de 
recuperação ambiental e estações de tratamento de esgoto. 
A prefeitura se mostrou bastante presente fechando projetos como o 
Carbon Control para redução de CO2 liberado pelos prédios público, auxílio aos 
bolsistas para inserção ao mercado de trabalho, vice-prefeito participando de 
reuniões dos projetos e auxiliando nos pontos em que a prefeitura ajuda em questão 
de coleta seletiva e, viabilização dos meios para que eles se concretizem. 
Na apresentação das reuniões socioeducionais foram utilizados métodos 
lúdicos