ORQUIECTOMIA
4 pág.

ORQUIECTOMIA


DisciplinaTécnica Cirúrgica Veterinária529 materiais22.053 seguidores
Pré-visualização2 páginas
uma vez que não preconiza a remoção da 
túnica vaginal no trans-operatório. Sua ocorrência é percebida semanas ou meses 
após a castração, visto que o fluido acumula gradualmente. A drenagem por 
aspiração (fluido limpo de coloração âmbar) alivia temporariamente a condição, 
mas o tratamento definitivo baseia-se na remoção cirúrgica do excesso de túnica 
vaginal da bolsa escrotal. 
e. lesões penianas iatrogênicas \u2013 a lesão peniana é uma complicação incomum, 
geralmente decorrente do desconhecimento da anatomia genital e da técnica 
cirúrgica. As lesões iatrogênicas normalmente resultam da incisão da fáscia e 
corpo cavernoso do pênis, acarretando em parafimose, e pela incisão da uretra 
peniana, ocasionando estenose e fistulas uretrais. O uso de tranqüilizantes 
fenotiazínicos tem sido associado ao prolapso e priapismo no eqüino. Acredita-
se que a inervação motora dos músculos retratores do pênis no eqüino seja 
controlada exclusivamente por fibras a \u2013 adrenérgicas, e na presença de 
antagonistas a \u2013 adrenérgicos como os tranqüilizantes fenotiazínicos, a paralisia 
dos músculos retratores do pênis pode resultar no prolapso peniano. O prolapso 
peniano está ainda relacionado secundariamente ao edema excessivo pós-
cirúrgico. 
f. eventração e evisceração \u2013 consiste em grave complicação decorrente da 
castração. Embora as causas da eventração permaneçam especulativas, acredita-
se que alguns fatores como presença de hérnia inguinal e aumento da pressão 
abdominal após a cirurgia estejam envolvidos. A eventração e a evisceração 
podem ocorrer até seis dias após a cirurgia, e os objetivos essenciais no 
tratamento dessas afecções baseiam-se na limpeza, proteção e retorno das 
FACULDADE DE ZOOTECNIA, VETERINÁRIA E AGRONOMIA \u2013 PUCRS 
CAMPUS URUGUAIANA 
CIRURGIA VETERINÁRIA \u2013 I 
 
 
 
73 
 Prof. Daniel Roulim Stainki 
 
vísceras para a cavidade abdominal e sutura do anel inguinal antes da excessiva 
contaminação e traumatismo local. 
g. comportamento persistente de garanhão \u2013 a castração nem sempre elimina 
completamente o comportamento de garanhão. As causas propostas para a 
permanência desse comportamento incluem: remoção incompleta do epidídimo, 
presença de tecido testicular heterotópico, produção de altas concentrações de 
andrógenos pela cortical adrenal e causas psíquicas. De todas as causas citadas 
anteriormente, a literatura especializada considera que a causa mais provável 
para a manutenção do comportamento de garanhão deve-se a causa psíquica, 
pois é uma parte normal da interação social entre dos eqüinos. 
 
LEITURA OBRIGATÓRIA: 
CATTELAN, J.W., BARNABÉ, P.A., TONIOLLO, G.H., CADIOLI, F.A. 
Criptorquidismo em eqüinos. Revista do CFMV, n.32, p.44-54, 2004. 
 
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: 
HUNT, R.J. Management of complications associated with equine castration. The 
Compendium North American Edition, n.12, p.1835-1842, 1991. 
 
KERJES, A.W., NÉMETH, F., RUTGERS, L.J.E. Atlas de cirurgia dos grandes 
animais. São Paulo: Manole, 1986. 143p. 
 
SCHUMACHER, J. Complications of castration. Equine Vet. Educ., v.8, n.5, p.254-
259, 1996. 
 
TURNER, A.S., McILWRAITH, C.W. Techniques in large animal surgery. 2.ed., 
Philadelphia: Lea & Febiger, 1989. 381p.
Beatriz
Beatriz fez um comentário
...
0 aprovações
Edeilson
Edeilson fez um comentário
To conseguindo baixar não
2 aprovações
Carregar mais