Economia no Setor Publico Periodo   1 Semestre UNOPAR   Resumo
1 pág.

Economia no Setor Publico Periodo 1 Semestre UNOPAR Resumo


DisciplinaEconomia do Setor Público458 materiais12.222 seguidores
Pré-visualização1 página
A economia surgiu na Grécia antiga

Clássico/Neoclássico - Oferta gera a demanda
Keynesiano - Demanda gera a oferta

Escola clássica - a mais antiga
P/ os clássicos a preocupação central era o crescimento econômico a longo prazo, leis naturais, não existe a necessidade de intervenção do estado nas leis do mercado (laissez-faire) - teoria de crescimento econômico)
* Adam Smith - escola clássica - a causa da riqueza de uma nação é o trabalho humano - teoria da mão invisível, onde o mercado se auto regula - não interferência - liberalismo econômico - Capitalista
* David Ricardo - teoria de valor trabalho e da repartição. O país deve produzir aquilo que sai mais barato - teoria das vantagens comparativas
* Thomas Malthus - problema da superprodução, capitalistas mais investiam do que consumiam e era preciso aumentar a demanda de bens de consumo. Acredita que apenas os latifundiários eram capazes.
*Karl Marx - desvendar o movimento do capital (relação entre capitalista e proletário "trabalhador") - mais valia absoluta (trabalha mais e recebe as horas extras) e relativa (trabalha mais no mesmo período), o trabalho que não é remunerado . Centralização e concentração de capitais - geração de riquezas era através da extração da mais valia

Era NEOCLASSICA 1870 - revolução marginalista, princípio marginal - relações de produção - preocupação com o equilíbrio econômico
Lei de Say - a oferta cria a sua própria demanda - produção capitalista produzir mais com o menor custo possível
Escolas CAMBRIDGE, LAUSANNE, AUSTRÍACA

Escola Keynesiana - momento de economia em recessão, queda na renda nacional. Problemas de desemprego e desigualdade social. Defende o Estado na economia nos pontos que a iniciativa privada não pode atuar. Fazendo investimentos e gerando empregos
Tem que vender para depois produzir - princípio da demanda efetiva - falhas de mercado

Teorias mercantilistas e fisiocratas não apresentam um conceito completo e não constituíram escolas

Fiocratas - Domínio da natureza

Mercantilistas - Política econômica, saldo na balança comercial, metais preciosos e poder do estado (estado deveria restringir importações e estimular exportações)- estimulou guerres - O ESTADO PRESENTE NA ECONOMIA

Ação econômica como instrumento de preservação e sustentabilidade para gerações futuras . Qualidade de vida hoje sem olhar para o futuro

1972 Conferência de Estocolmo - programa das nações unidas para o meio ambiente (relatório do clube de roma)
Desenvolvimento sustentável - atende as necessidades do presente sem comprometer as gerações futuras

Para alcançar a sustentabilidade necessidade todos ESTADO, sociedade e MERCADO

Mudou a imagem da empresa perante os consumidores e até a linha de produção com ganhos na eliminação dos resíduos

Produtos Ecologicamente corretos têm preferência outros perdem mercado
Após a segunda guerra deu-se a criação da indústria de base brasileira. Preparou o terreno para instalação de outras indústrias - automobilística. passando a economia . Investimento do estado para fomentar a economia. Criação de grandes estatais

Década de 70-80 - milagre econômico - crescimento a qualquer custo - aumento da dívida externa
Década de 90, a perdida - teve o confisco da caderneta de poupança
1994 - FHC implantou o plano real para controle da inflação, no governo de Itamar Franco
PROER e PROES - planos de recuperação dos bancos com ajuda do estado 1995
1999 - mudança do sistema cambial brasileiro, deixou de ser bandas cambiais para ser taxas livres (aos moldes da não interferência governamental)

Atualmente existe interferências do estado no sentido de fomento da economia
Mercosul - visa promover a união dos países do sul - bloco econômico - 1995
2006 - houve a entrada da Venezuela, porém ainda não foi votado por nosso parlamento
NAFTA - América do norte
ALCA ainda não foi criada por impasses entre o EUA e o Brasil
Grande instabilidade causada pelas trocas de governos na América do sul
o país não vive isoladamente, é preciso comprar bens e serviços do exterior
Deve existir o equilíbrio da balança comercial, países comprando e vendendo. (O país deficitário gerará renda e empregos ao outro país) União européia - banco europeu - cidadãos europeus
Bloco dos Tigres asiáticos - maior população do mundo
BRICs - paises subdesenvolvidos em grande crescimento

Com a crise caiu significativamente o comercio externo do Brasil - menos produção -emprego - renda - consumo
Política econômica - Federal, Estadual e Municipal
Fatores de produção são para produzirem bens de consumo
Ganho de oportunidade - a empresa dele possui ganho melhor que outras fora
Custo de oportunidade - qlq empresa fora daria melhor retorno
Economia capitalista - economia de mercado

Crise 1929 \u2013 Teoria de Keynes
Fatores estruturais conduzem o crescimento são: Instituições, capital humano - base

Fatores conjunturais - Fatores que ajudam o país no crescimento

IPCA mede a meta de inflação do País
Geradores de inflação : demanda, inflação de custo, inflação inercial
Custos - as pressões dos custos que são repassados (mão de obra, taxa cambial, juros, impostos)
Demanda - excesso de procura em relação a oferta (aumento de renda, expansão dos gastos públicos)
Inercial - formais - possuem regras do governo / informal - agente aumenta porque outro aumentou

Consequências do aumento da inflação:
Dificulta investimentos
Afeta a distribuição de renda
Aumenta a dívida pública
Desestabiliza a taxa de câmbio (compra de outras moedas e minerais)

Falhas do mercado - o governo legisla para tentar amenizar
Função distributiva - projetos sociais, redistribuição de renda, fundo de participação dos municípios e estados
Função estabilizadora - juros, taxa cambial, mercado, reajuste de impostos, leis de incentivo para o crescimento da economia
Função alocativa - o governo oferece bens e serviços públicos

INSTRUMENTOS DE POLÍTICA MACROECONOMICA
Produção de emprego
Controle de inflação
Distribuição de renda
Equilíbrio nas contas externas

Excesso de liquidez - dinheiro circulando - o dinheiro perde valor, se desvaloriza
Para evitar utiliza a política monetária : controle de emissão de moedas, reserva compulsória (depósitos efetuados pelos bancos) , open market (compra e venda de títulos públicos), regulação do crédito

Banco Central
Emissão de papel moeda e moeda metálica
autorizar, normatizar, fiscalizar e intervir nas instituições financeiras
receber recolhimento compulsório dos bancos
realizar operações de redesconto

Conselho Monetário Nacional
Autoriza emissão de papel moeda
Fixar diretrizes e normas de política cambial
Regular as instituições financeiras

Globalização do comércio - as empresas avançam, expandem além das suas fronteiras

FMI - pode emprestar dinheiro quando em desiquilíbrio de seus associados

Banco Mundial - financiamento de projetos visando o crescimento dos países

Organização Mundial do Comércio - reduzir restrições e impostos entre países para facilitar o comércio