PLANO DE AULA GRAVITAÇÃO
4 pág.

PLANO DE AULA GRAVITAÇÃO

Disciplina:Física I11.371 materiais628.521 seguidores
Pré-visualização1 página
CURSO: 		LICENCIATURA EM FÍSICA
DISCIPLINA: 	PRÁTICA DE ENSINO DE FÍSICA
PROFESSOR: 	JOÃO BOSCO COELHO 	 SEMESTRE: 2016.2
DATA: 		08/09/2016

PLANO DE AULA

IDENTIFICAÇÃO

ALUNO: 				KAIQUE SILVA SANTOS
DISCIPLINA MINISTRADA: 	FÍSICA
TEMA DA AULA: 			GRAVITAÇÃO
TEMPO ESTIMADO: 		45 MINUTOS

CONHECIMENTOS PRÉVIOS

Noções de Matemática: operações elementares (adição, subtração, divisão, multiplicação, potenciação e radiciação), equações e funções (polinomiais), grandezas e medidas e análise gráfica, geometria plana;
Noções de Física: grandezas físicas, energia mecânica, movimento angular uniformemente variado,

CONTEÚDO

GRAVITAÇÃO UNIVERSAL:
Geocentrismo e Heliocentrismo;
Elipse
Leis de Kepler;

OBJETIVO GERAL

Compreender os conceitos, leis e formulações matemáticas relativas as Leis da Gravitação Universal bem como interliga-las com acontecimentos do cotidiano do docente.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Compreender os aspectos conceituais e matemáticos relacionados a Gravitação Universal;
Relacionar os fenômenos rotineiros acerca de gravitação apresentando justificativas cientificas para tais fatos;
Aplicar em atividades de fixação seus conhecimentos adquiridos nas aulas expositivas agregado aos saberes prévios, para pratica e avaliação.
METODOLOGIA

AULA EXPOSITIVA DIALÓGICA E CONTEXTUALIZADA: a fim de expor os conteúdos de forma dialogada, apresentando algumas ligações entre fatos comuns do cotidiano do aluno com o assunto em questão;
DEMONSTRAÇÃO DIDÁTICA: utilização de meios visuais para salientar fatos acontecidos em escalas astronômicas acerca do assunto discutido;

RECURSOS DIDÁTICOS

Quadro branco;
Pinceis;
Apagador;
Projeção estática (slides);
Imagem em movimento (simulações);
Exercícios impressos.
AVALIAÇÃO

Analisando o nível de participação do aluno junto a aula exposta, bem como sua concentração e discursão do conteúdo;
Avaliando a sua evolução em meios matemáticos e físicos no decorrer das resoluções de atividades acerca do assunto;
A partir de aplicações do cotidiano do aluno o mesmo deverá possuir a habilidade necessária para explicar de forma cientificas os fatos;

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

FUKE, Luiz Felipe; KAZUHITO, Yamamoto. Física para o Ensino Médio v. 1. São Paulo: Saraiva, 2010.

HALLIDAY, David; RESNICK, Robert; WALKER, Jearl. Fundamentos de Física v.1: gravitação, ondas e termodinâmica. Rio de Janeiro: LTC, 2006.

KAZUHITO, Yamamoto; FUKE, Luis; CARLOS, Tadashi. OS ALICERCES DA FÍSICA: MECÂNICA v.1. São Paulo, SP: Editora Saraiva, 2007.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

VEIGA, Ilma Passos Alencar Castro. Técnicas de Ensino: Porque não?. São Paulo: Papirus, 2011.

ZABALA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre. Artmed, 1998.

	

EXERCICIOS DE FIXAÇÃO – GRAVITAÇÃO UNIVERSAL

(UERJ) Adotando o Sol como referencial, aponte a alternativa que condiz com a 1ª Lei de Kepler da Gravitação Universal.
As órbitas planetárias são curva quaisquer, desde que fechadas.
As órbitas planetárias são espiraladas.
As órbitas planetárias não podem ser circulares.
As órbitas planetárias são elípticas, com o Sol ocupando o centro da elipse.
 As órbitas planetárias são elípticas, com o Sol ocupando um dos focos da elipse.
(Unisa) A 2ª Lei de Kepler permite concluir que um planeta possui:
maior velocidade, quando se encontra mais longe do Sol.
maior velocidade, quando se encontra mais perto do Sol.
menor velocidade, quando se encontra mais perto do Sol.
velocidade constante em toda sua trajetória.
velocidade areolar variável.
(Mackenzie) Dois satélites de um planeta têm períodos de revolução de 32 dias e 256 dias, respectivamente. Se o raio da órbita do primeiro satélite vale 1 unidade, então o raio da órbita do segundo será:
4 unidades
8 unidades
16 unidades
64 unidades
128 unidades
 Um satélite artificial S descreve uma órbita elíptica em torno da Terra, sendo que a Terra está no foco, conforme a figura adiante. Indique a alternativa correta:
A velocidade do satélite é sempre constante.
A velocidade do satélite cresce à medida que o satélite caminha ao longo da curva ABC.
A velocidade do ponto B é máxima.
A velocidade do ponto D é mínima.
A velocidade tangencial do satélite é sempre nula.