Introdução à Responsabilidade juridica e noções de Responsabilidade Civil
24 pág.

Introdução à Responsabilidade juridica e noções de Responsabilidade Civil


DisciplinaResponsabilidade Civil5.006 materiais23.510 seguidores
Pré-visualização5 páginas
RESPONSABILIDADE CIVIL
Considerações Preliminares
De quem é a responsabilidade?
Importância do tema e da disciplina
Desafio ao Jurista - Relações abrangidas pelo tema
Afinal, o que é Responsabilidade?
A responsabilidade civil constitui um dos temas mais problemáticos da atualidade jurídica, ante sua surpreendente evolução no direito moderno, seus reflexos nas atividades humanas e no progresso tecnológico e sua repercussão em todos os ramos do direito e na realidade social.
Devido ao seu campo ilimitado, não há entendimento uniforme, doutrinário e jurisprudencial quanto à definição de seu alcance, à enunciação de seus pressupostos e à sua própria textura.
Sobre o tema, o Dicionário Jurídico da Academia Brasileira de Letras Jurídicas apresenta o seguinte verbete:
\u201cRESPONSABILIDADE (Lat. de respondere, na acepção de assegurar, afiançar) Dir.Obr.Obrigação, por parte de alguém, de responder por alguma coisa resultante de negócio jurídico ou de ato ilícito. OBS; A diferença entre responsabilidade civil e criminal está em que essa impõe o cumprimento da pena estabelecida em lei, enquanto aquela acarreta a indenização do dano causado\u201d.
RESPONSABILIDADE CIVIL
Função
RESPONSABILIDADE
Natureza jurídica
RESPONSABILIDADE CIVIL
Evolução
Quanto à sua história
RESPONSABILIDADE
Conceito Jurídico
Toda manifestação de atividade humana traz em si o problema da responsabilidade.
Responsabilidade - origem no verbo latino respondere = obrigação que alguém tem de assumir com as consequências jurídicas de sua atividade.
Responsabilidade está ligada ao surgimento uma obrigação derivada, ou seja, um dever jurídico, em função da ocorrência de um fato jurídico latu sensu.
A noção Jurídica de responsabilidade pressupõe a atividade danosa de alguém que, atuando a priori ilicitamente, viola uma norma jurídica preexistente (legal ou contratual), subordinando-se, dessa forma, às consequências do seu ato (obrigação de reparar).
RESPONSABILIDADE
Tipos
Responsabilidade Jurídica x Responsabilidade Moral
A responsabilidade moral ( resultante da violação de uma norma moral, repousa na seara da consciência individual, de sorte que o ofensor se sentirá moralmente responsável perante Deus ou perante sua consciência, conforme seja ou não um homem de fé. Não há qualquer preocupação em saber se houve ou não um dano. Supõe que o agente tenha livre arbítrio e consciência da obrigação.
A responsabilidade jurídica ( aparece quando houver infração de norma jurídica civil ou penal, causadora de danos que perturbem a paz social, que essa norma visa manter. Abrange a responsabilidade civil e penal.
Responsabilidade Civil x Responsabilidade Criminal
\u201cNa Responsabilidade civil, o agente que cometeu o ilícito tem a obrigação de reparar o dano patrimonial ou moral causado, buscando restaurar o status quo ante, obrigação esta que, se não for mais possível, é convertida no pagamento de uma indenização (na possibilidade de avaliação pecuniária do dano) ou de uma compensação (na hipótese de não se poder estimar patrimonialmente este dano), enquanto, pela responsabilidade penal ou criminal, deve o agente sofrer a aplicação de uma cominação legal, que pode ser privativa de liberdade (ex.prisão), restritiva de direitos (ex.perda da carta de habilitação de motorista), ou mesmo pecuniária (ex.multa).\u201d
A responsabilidade criminal ( enquanto a responsabilidade penal pressupõe lesão aos deveres de cidadãos para com a sociedade, acarretando um dano social determinado pela violação de norma penal, exigindo, para restabelecer o equilíbrio, a aplicação de uma pena ao lesante, a responsabilidade civil requer prejuízo a terceiro, particular ou Estado, de modo que a vítima poderá pedir reparação do dano, traduzida na recomposição do status quo antes ou numa importância em dinheiro. Certos atos ilícitos têm repercussão tanto no cível como no crime, hipótese em que haverá dupla reação da ordem jurídica: a imposição da pena ao criminoso e a reparação do dano causado à vítima. A respeito, não se pode olvidar o disposto no art. 935 do CC, que estabelece o princípio da independência da responsabilidade civil relativamente à criminal.
Responsabilidade Moral - Psicológica
Responsabilidade Jurídica - Coerção
Responsabilidade Civil - Pecuniária / reparação
Responsabilidade Penal - Sanção / Dificilmente há reparação
RESPONSABILIDADE
Espécies
Responsabilidade Civil Subjetiva - É a decorrente de dano em função do ato doloso ou culposo (Art.186, CC/02 \u201cAquele que, por ação ou omissão voluntária, negligência ou imprudência, violar direito e causar dano a outrem, ainda que exclusivamente moral, comete ato ilícito\u201d).
Obrigação de indenizar (reparar o dano) \u2013 consequência jurídica do ato (conforme Arts. 1.518 a 1.532, CC/02 \u201cDas indenizações por atos ilícitos\u201d).
Unusquique sua culpa nocet \u2013 Princípio segundo o qual cada um responde pela própria culpa, caberá ao autor, sempre, o ônus da prova de tal culpa do réu.
Há situações em que o ordenamento jurídico atribui a responsabilidade civil a alguém por dano que não foi causado diretamente por ele, mas sim por um terceiro com quem mantém algum tipo de relação jurídica.
Responsabilidade Civil Objetiva - É a decorrente do risco (nexo de causalidade) / relação entre o fato e o dano.
O dolo ou culpa na conduta do agente causador do dano é irrelevante juridicamente, haja vista que somente será necessária a existência do elo de causalidade entre o dano e a conduta do agente responsável para que surja o dever de indenizar.
Ex: Acidente do Trabalho (Lei 6.367/76, risco profissional e a reparação de danos causados aos trabalhadores passou a se fazer independente de verificação de culpa, e em valores pré-fixados). 
Art.927, CC/02 \u201cHaverá obrigação de reparar o dano, independentemente de culpa, nos casos especificados em lei, ou quando a atividade normalmente desenvolvida pelo autor do dano implicar, por sua natureza, riscos para os direitos de outrem\u201d.
Responsabilidade Civil Contratual - Ato decorrente de uma pessoa ou terceiro por descumprimento de contrato.
Ex. Sujeito bate em um carro.
Arts. 389 e s. e 395 e s. (CC/02).
Responsabilidade Civil Extracontratual (ou Aquiliana) - Descumprimento de lei, norma.
Arts. 186 a 188 e 927 e s. (CC/02).
Responsabilidade Civil Contratual X Extracontratual
Necessária pré-existência de uma relação jurídica entre lesionado e lesionante:
Para caracterizar a responsabilidade civil contratual, faz-se mister que a vítima e o autor do dano já tenham se aproximado anteriormente e se vinculado para o cumprimento de uma ou mais prestações, sendo a culpa contratual a violação de um dever de adimplir, que constitui justamente o objeto do negócio jurídico, ao passo que, na culpa aquiliana, viola-se um dever necessariamente negativo, ou seja, a obrigação de não causar dano a ninguém.
Ônus da prova quanto á culpa: 
Na responsabilidade civil Aquiliana, a culpa deve ser sempre provada pela vítima, enquanto na responsabilidade contratual, ela é, de regra, presumida, invertendo-se o ônus da prova, cabendo à vítima comprovar, apenas, que a obrigação não foi cumprida, restando ao devedor o ônus probandi. 
Por exemplo, de que não agiu com culpa ou que ocorreu alguma causa excludente do elo de causalidade. 
Capacidade:
Vale destacar que, em termos de capacidade, o menor púbere só se vincula contratualmente quando assistido por seu representante legal \u2013 e, excepcionalmente, se com malícia declarou-se maior (Art. 180, CC/02).
Responsabilidade Civil Direta - o responsável pela própria conduta.
Responsabilidade Civil Indireta - nem sempre por conduta própria.
RESPONSABILIDADE
Elementos
Conduta Humana comissiva e omissiva
Culpa (genérica)
Dano - sem dano, não tem como falar em responsabilidade.
Nexo de causalidade
Conduta
Humberto
Humberto fez um comentário
Excelente assunto. Obrigado pelo envio!
0 aprovações
Carregar mais