A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
106 pág.
Direito Administrativo

Pré-visualização | Página 13 de 33

do permissionário e o do 
usuário do bem público. 
A autorização cria para o usuário uma 
faculdade de uso. 
A permissão como é conferida por 
interesse público e coletivo, cria uma 
obrigação, sob pena de caducidade do 
uso concentido. 
 
 
c) Concessão de Uso - é o contrato administrativo através do qual a 
Administração Pública, por prazo determinado, faculta a terceiro interessado o 
uso privativo de determinado bem público, por prazo certo, para exploração 
segundo destinação específica. Esta modalidade é o instituto empregado no 
lugar da permissão nos casos em que a utilização do bem público objetiva o 
exercício de atividades de utilidade pública de maior vulto, mais onerosas para 
o concessionário. Esta assume obrigações perante terceiros e encargos 
financeiros elevados, que somente se justifica se o prazo de concessão for 
prolongado, que assegurem um mínimo de estabilidade no exercício de suas 
atividades. Ex: concessão de empresas de viação, cantinas de escolas e 
universidades, boxes em mercados municipais, concessão do uso de 
sepulturas, exploração de jazias e minas. 
 
 
PREPARATÓRIOS JURÍDICOS 
 
 
 
EDUARDO/FRANKLIN PREPARATÓRIO CFS –DIREITO PENAL 
 
38
 
3) Particularidades sobre bens públicos 
 
Vejamos aqui alguns bens públicos em espécie: 
 
a) terrenos de marinha - são aqueles banhados pelas águas do mar ou dos rios e 
lagoas navegáveis (estes, exclusivamente se sofrerem a influência das marés 
porque senão serão terrenos reservados)., vão da distância de 33 metros para 
a parte da terra, contados da linha do preamar médio medida em 1831. A 
influência das marés é caracterizada pela oscilação periódica de 5 (cinco) 
centímetros pelo menos, do nível das águas e que ocorra qualquer época do 
ano. Estes terrenos pertencem à União e integram seus bens dominicais. Não 
se confundem com praias que são de uso comum do povo. 
 
b) Terrenos reservados - são também chamados de terrenos marginais, os que, 
banhados pelas correntes navegáveis fora do alcance das marés, vão até a 
distância de 15 metros medidos horizontalmente para a parte da terra. Estes 
terrenos constituem faixas de terras particulares, às margens dos rios, lagos, 
canais públicos oneradas com servidão de trânsito pelo Código das Águas. A 
servidão visa impedir construções pelo proprietário que venham a prejudicar o 
uso normal das águas públicas, inclusive o poder de polícia para proteção 
ambiental. 
 
c) Terras ocupadas pelos índios - são terras tradicionalmente ocupadas pelos 
índios as por eles habitadas em caráter permanente, as utilizadas para suas 
atividades produtivas, as imprescindíveis à preservação dos recursos 
ambientais necessários ao seu bem estar e as necessárias a sua reprodução 
física e cultural, segundo seus usos, costumes e tradições. São terras de 
posse permanente, destinadas ao seu usufruto exclusivamente das riquezas 
do solo, rios e lagos nelas existentes. O aproveitamento dos recursos hídricos, 
potenciais energéticos, pesquisa e lavra das riquezas minerais em terras 
indígenas só pode ser efetivado com autorização do Congresso Nacional, 
ouvidas as comunidades afetadas, ficando-lhes assegurados a participação 
nos resultados da lavra na forma da lei. São terras inalienáveis e indisponíveis 
e os direitos sobre elas imprescritíveis. 
 
d) Faixa de fronteira - é uma área de 150 km de largura, paralela à linha divisória 
terrestre do território nacional, considerada indispensável à segurança 
nacional. As propriedades particulares nelas situadas se submetem a uma 
série de restrições fixadas em lei, em benefício da segurança nacional. Estão 
reguladas na lei n. 6.634/79. 
 
e) Ilhas - dos rios e lagos internos pertencem aos estados-membros e aquelas 
situadas nos limites com outro países pertencem à União. As ilhas marítimas e 
as costeiras são integradas ao domínio da União. Se não estiverem afetadas 
 
PREPARATÓRIOS JURÍDICOS 
 
 
 
EDUARDO/FRANKLIN PREPARATÓRIO CFS –DIREITO PENAL 
 
39
figurarão entre os bens dominicais e podem ser objeto de autorização, 
permissão ou concessão de uso. 
 
f) Jazida - é toda massa individualizada de substância mineral ou fóssil, aflorando 
à superfície ou existente no interior da terra, e que tenha valor econômico. 
Quando a jazida está em lavra é chamada de mina. É regulada pela decreto-lei 
n. 227/67 - Código de Mineração). 
 
 
A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA CONSTITUIÇÃO 
 
“CAPÍTULO VII 
DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 
Seção I 
DISPOSIÇÕES GERAIS 
Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos 
Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, 
impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência e, também, ao seguinte: (Redação 
dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998) 
I - os cargos, empregos e funções públicas são acessíveis aos brasileiros que preencham 
os requisitos estabelecidos em lei, assim como aos estrangeiros, na forma da lei; 
(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998) 
II - a investidura em cargo ou emprego público depende de aprovação prévia em concurso 
público de provas ou de provas e títulos, de acordo com a natureza e a complexidade do 
cargo ou emprego, na forma prevista em lei, ressalvadas as nomeações para cargo em 
comissão declarado em lei de livre nomeação e exoneração; (Redação dada pela 
Emenda Constitucional nº 19, de 1998) 
III - o prazo de validade do concurso público será de até dois anos, prorrogável uma vez, 
por igual período; 
IV - durante o prazo improrrogável previsto no edital de convocação, aquele aprovado em 
concurso público de provas ou de provas e títulos será convocado com prioridade sobre 
novos concursados para assumir cargo ou emprego, na carreira; 
V - as funções de confiança, exercidas exclusivamente por servidores ocupantes de cargo 
efetivo, e os cargos em comissão, a serem preenchidos por servidores de carreira nos 
casos, condições e percentuais mínimos previstos em lei, destinam-se apenas às 
 
PREPARATÓRIOS JURÍDICOS 
 
 
 
EDUARDO/FRANKLIN PREPARATÓRIO CFS –DIREITO PENAL 
 
40
atribuições de direção, chefia e assessoramento; (Redação dada pela Emenda 
Constitucional nº 19, de 1998) 
VI - é garantido ao servidor público civil o direito à livre associação sindical; 
VII - o direito de greve será exercido nos termos e nos limites definidos em lei específica; 
(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998) 
VIII - a lei reservará percentual dos cargos e empregos públicos para as pessoas 
portadoras de deficiência e definirá os critérios de sua admissão; 
IX - a lei estabelecerá os casos de contratação por tempo determinado para atender a 
necessidade temporária de excepcional interesse público; 
X - a remuneração dos servidores públicos e o subsídio de que trata o § 4º do art. 39 
somente poderão ser fixados ou alterados por lei específica, observada a iniciativa 
privativa em cada caso, assegurada revisão geral anual, sempre na mesma data e sem 
distinção de índices; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998) 
(Regulamento) 
XI - a remuneração e o subsídio dos ocupantes de cargos, funções e empregos públicos 
da