Dentística
11 pág.

Dentística


DisciplinaDentística5.225 materiais104.181 seguidores
Pré-visualização4 páginas
Resumo de Dentística 
Avaliação 1 
Lucas Silva
1.0 Dentística Operatória
- Conjunto de procedimentos que tem por 
finalidade devolver ao elemento dental sua 
integridade morfológica, estética e funcional 
alterada por diversos fatores;
1.1 Classificação das Cavidades
\u2028
A) É feita de acordo com o número de 
faces
- Simples \u2014> uma face;
- Composta \u2014> duas faces;
- Complexa \u2014> Três ou mais faces;
B) De acordo com a face envolvida
- Oclusal (O);
- Distal (D);
- Mesial (M);
- Ocluso-distal (OD);
- Mesio-ocluso-distal (MOD)
C) De acordo com a forma e extensão
- Inlay ou intracoronária (cavidade 
confinada no interior da estrutura 
dentária);
- Extracoronária parcial ou onlay 
(cavidade que apresenta cobertura 
parcial da estrutura dentária \u2014> parte 
da coroa);
- Extracoronária ou overlay (cavidade 
que apresenta cobertura de todas as 
faces da estrutura dentária \u2014> toda a 
coroa)
1.2 Nomenclatura dos planos das 
cavidades
- Plano horizontal;
- Plano vestíbulo-lingual ou áxio-lingual;
- Plano mésio-distal ou áxio-meso-distal 
- Paredes \u2014> são os limites internos das 
cavidades:
- Ângulos diedros \u2014> Formados pela 
união de duas paredes de uma 
cavidade:
- De primeiro grupo: junção de 
duas paredes circundantes;
- De segundo grupo: junção de 
uma parede circundante com uma 
de fundo;
- De terceiro grupo: junção de 
duas paredes de fundo
- Ângulos triedros \u2014> Junção de 3 
paredes;
- Ex.: Vestíbulo pulpo-axial
- Ângulos cavo-superficiais \u2014> 
Formado pela junção pela junção das 
paredes da cavidade com a superfície
- ** Paredes circundantes: são as 
paredes laterais da cavidade
1.3 Classificação das cavidades - 
Classificação artificial de Black
1.3.1 Classe I
Página \ufffd de \ufffd1 11
1.3.2 Classe II
1.3.3 Classe III
1.3.4 Classe IV
1.3.5 Classe V
1.3.6 Classe VI de Howard-Simon
1.3.7 Classe VII (Classe I de Sockwell)
1.3.8 Classificações complementares à de 
Black
2.0 Princípios gerais de preparo cavitário
- É o tratamento biomecânica da cárie e de 
outras lesões dos tecidos duros do dente, 
de forma que as estruturas remanescentes 
possam receber uma restauração que as 
proteja, seja resistente e previna a 
reincidência de cárie;
- Finalidade:
- Eliminar o tecido patológico;
- Estender as margens da cavidade a 
locais de relativa imunidade à cárie;
- Conferir à cavidade formas que 
permitam ao dente receber e reter o 
material restaurador;
- Preservar a vitalidade pulpar;
- Regras do preparo cavitário:
- Remover totalmente o tecido cariado 
infectado;
Página \ufffd de \ufffd2 11
- Deixar as paredes da cavidade 
suportadas por dentina sadia ou por 
materiais com igual função;
- Conservar maior quantidade de tecido 
dental sadio;
- Paredes cavitárias planas e lisas;
- Preparo cavitário limpo e seco;
2.1 Ordem de procedimentos
1) Forma de contorno;
2) Remoção da dentina cariada;
3) Forma de resistência;
4) Forma de retenção;
5) Forma de conveniência;
6) Acabamentos das paredes e margens do 
esmalte;
7) Limpeza da cavidade
2.2 Tempo operatório
- A forma do contorno deve englobar todo o 
tecido cariado e a área de superfície do 
dente que será incluida no preparo 
cavitário;
- I) Todo o esmalte sem apoio dentinário 
deverá ser removido;
- II) O ângulo cavosuperfícial do preparo 
deve localizar-se em uma área de 
relativa resistência a cárie e que 
possibilite um correto acabamento das 
bordas da restauração;
- III) Observar as diferenças entre as 
cavidades das cicatrículas e fissuras e 
as cavidades das superfície lisas
2.3 Principios básicos da forma de 
contorno
- Englobar cicatrículas, fissuras, sulcos muito 
profundos próximos a cáries;
- Preservar as estruturas de reforço;
- Quando duas cavidades distintas estiverem 
separadas por estruturas sadias com 
menos de 1mm, elas devem ser unidas em 
uma única cavidade, caso contrário, essa 
estrutura deverá ser mantida, preparando-
se assim 2 cavidades;
- Idade do paciente: pacientes jovens X 
idosos
2.3.1 Fatores considerados
- Propagação da cárie;
- Margens da cavidade;
- Prismas do esmalte
2.3.2 Extensão para a gengival
- Idade do paciente;
- Material restaurador;
- Extensão para a gengival em relação à 
idade do paciente;
- As margens cavitárias proximais poderão 
situar-se aquém, ao nível ou além da 
gengiva marginal livre
2.3.3 Extensão para a gengival em relação 
ao material restaurador
- Provisórios ou temporários;
- Permanentes
2.3.4 Extensão para vestibular e lingual
- O preparo cavitário deve englobar toda a 
lesão de cárie;
- As paredes cervical, vestibular e lingual da 
caixa proximal devem estar afastadas do 
contato com o dente vizinho com uma 
distância de 0,2mm a 0,5mm
2.4 Remoção da dentina cariada
- É a remoção de toda a dentina que 
encontra-se desmineralizada e infectada 
pela lesão de cárie de modo irreversível;
2.5 Forma de resistência 
- Consiste em dar forma à cavidade para que 
a estrutura dental e o material restaurador 
possa resistir:
- Aos esforços mastigatórios;
- Às alterações volumétricas dos 
materiais restauradores;
- Às diferenças no coeficiente de 
expansão térmica do dente e de 
material restaurador
2.6 Princípios mecânicos de Black
- Todo o esmalte deverá ser suportado por 
dentina sadia;
- Paredes circundantes planas, paralelas 
entre si e perpendiculares a parede pulpar;
- Parede gengival plana e paralela a parede 
pulpar e ambas perpendiculares ao longo 
eixo do dente;
- Ângulos diedros e triedros definidos ou 
arredondados;
- Ângulo axiopulpar;
2.7 Formas de retenção
- Consistem em dar a forma na cavidade com 
a finalidade de se evitar o deslocamento da 
restauração durante a mastigação
2.7.1 Tipos de retenção
- Por atrito do material;
- Mecânicas adicionais;
Página \ufffd de \ufffd3 11
- Micromecânicas (pelo condicionamento 
ácido e do esmalte e da dentina)
2.7.2 Princípio anunciado por Black para 
cavidade para amálgama
- Quando a profundidade de uma cavidade 
for igual ou maior que sua largura vestíbulo-
lingual, por si só, ela será retentiva
2.7.3 Retenções mecânicas adicionais
- Sulcos, canaletas, orifícios e pinos 
metálicos;
- Retenção mecânica em calda de andorinha;
- Retenção sulco ou canaleta;
- Retenção através de pinos em dentina;
- Inclinação das paredes vestibular e lingual 
da caixa proximal convergentes para 
oclusão;
- Retenção através de pino intrarradicular;
2.8 Forma de conveniência
- Consiste em dar ao preparo cavitário 
características que facilitem a conformação 
e a instrumentação da cavidade
- Isolamento absoluto;
- Separação temporária dos dentes;
- Proteção dos dentes vizinhos
2.9 Acabamento das paredes de esmalte
- Consiste em analisar as irregularidades das 
paredes de esmalte e do ângulo 
cavosuperficial do preparo cavitário, tendo 
como objetivo:
- Melhor adaptação do material 
restaurador às paredes cavitárias;
- Melhorar o vedamento marginal;
- Diminuir a infiltração marginal;
- Instrumento:
- Enxada;
- Recortador
2.10 Limpeza da cavidade
- Remoção de detritos deixados durante o 
preparo da cavidade, tais como: raspas de 
dentina e esmalte; bactéria; pequenos 
fragmentos abrasivos dos instrumentos 
rotatórios; óleo proveniente dos 
equipamentos de alta e baixa velocidade;
- Agente de limpeza cavitário:
- Clorexidina 2%;
- Hipoclorito de sódio;
- Água de hidroxido de cálcio;
- Ácido poliacrílico
3.0 Isolamento do campo operatório
3.1 Tipos
- Relativo;
- Absoluto
3.1.1 Isolamento Absoluto
- Vantagens:
- Promove a retração dos tecidos moles 
permitindo o acesso ao dente a ser 
preparado;
- Melhor visibilidade;
- Condições adequadas para a inserção 
e condensação dos materiais 
restauradores;
- Proteção do paciente
- Materiais utilizados:
- Lençol de borracha;
Wayra
Wayra fez um comentário
Alguem que tenha e possa me enviar??? wayralsoto@yahoo.com
0 aprovações
Andrezza
Andrezza fez um comentário
Tem como POR FAVOR vc me enviar esse material por email?? ???????????? andrezzam45@gmail.com agradreço desde ja a atenção
0 aprovações
Camila
Camila fez um comentário
Excelente!!
0 aprovações
Carregar mais