DIREITO CONTRATUAL BANCÁRIO
32 pág.

DIREITO CONTRATUAL BANCÁRIO


DisciplinaDireito Civil I64.170 materiais684.922 seguidores
Pré-visualização7 páginas
. 
 
 
Complete a assertiva.Os contratos ------------ são aqueles que existem de 
forma autônoma, não dependendo da execução de qualquer outro 
negócio.Exemplo: depósito ou abertura de conta corrente. 
 
 
 
 
 
 
aleatórios 
 
 
paritários 
 
 
graciosos 
 
 
principais 
 
 
solenes 
 
 Gabarito Comentado 
 
 
 
2. 
 
 
No estudo histórico dos Contratos observamos que a mais importante 
contribuição do Direito Romano foi a extinção da execução pessoal e a 
instituição da execução patrimonial. O que isto representou para o Direito 
das Obrigações? 
 
 
 
 
 
 
A responsabilidade no cumprimento da obrigação, não passa mais a recair no físico 
do devedor, e sim no seu patrimônio. 
 
 
A responsabilidade no cumprimento da obrigação passa a recair nos descendentes 
do devedor. 
 
 
A responsabilidade no cumprimento da obrigação, além de recair no físico do 
devedor, também passa a recair na totalidade de seu patrimônio. 
 
 
A responsabilidade no cumprimento da obrigação passa a recair devedor e seus 
descendentes. 
 
 
A responsabilidade no cumprimento da obrigação, não passa mais a recair no físico 
do devedor, mas somente em sua empresa. 
 
 
 
 
 
3. 
 
 
: No tocante ao Princípio da Obrigatoriedade das Convenções, 
observamos que a força obrigatória no cumprimento dos contratos, 
imbuída pelo clássico preceito do pacta sunt servanda não deixou de ser 
vislumbrada no Código Civil de 2002, pois a própria Constituição de 1988, 
consagra a proteção ao ato jurídico perfeito. Qual a novidade neste 
diploma onde o contratante, com o fim de dar cumprimento ao contrato, 
poderá se oferecer para alterar cláusulas ou até mesmo modificá-las? 
 
 
 
 
 
 
Em razão tão somente de vícios, no sentido de anular o contrato. 
 
 
Poderá alegar a impossibilidade de cumprir determinadas cláusulas, por entender 
que são abusivas, mesmo que tenha condições de cumpri-las, tanto à época da 
elaboração do contrato, como no seu cumprimento, para dar ensejo a uma revisão 
judicial do contrato. 
 
 
Em razão de fatos imprevisíveis, em razão das cláusulas excessivamente onerosas, 
evitando com isso uma revisão judicial do contrato, ou em relação aos vícios 
contratuais em algumas cláusulas, pode o prejudicado requerer a revisão judicial 
para modificar tais cláusulas, para que este contrato tenha validade jurídica e 
eficácia. 
 
 
Em razão da evicção. 
 
 
Em razão de fatos imprevisíveis, morte de ascendentes, avalistas e fiadores, pode o 
prejudicado requerer a revisão judicial do contrato no sentido de alterá-las ou 
modificá-las. 
 
 
 
 
 
4. 
 
 
No que diz respeito ao Princípio da Relatividade dos Efeitos dos Contratos, 
entendemos que: 
 
 
 
 
 
 
O contrato só obriga aqueles que tomaram parte na sua realização. Qualquer 
pessoa distinta dos contratantes, como herdeiros e sucessores, não se vinculam aos 
efeitos dos contratos, com exceção das estipulações em favor de terceiros, 
exemplificando o contrato de locação empresarial e arrendamento mercantil. 
 
 
O contrato só obriga aqueles que tomaram parte na sua realização. Qualquer 
pessoa distinta dos contratantes, como herdeiros e sucessores, não se vinculam aos 
efeitos dos contratos, com exceção das estipulações em favor de terceiros, 
exemplificando o contrato de seguro e os contratos coletivos de trabalho. 
 
 
O contrato só obriga aqueles que tomaram parte na sua realização, mas vincula 
seus herdeiros e sucessores, exemplificando os contratos de depósito e seguro. 
 
 
O contrato só obriga aqueles que tomaram parte na sua realização. Qualquer 
pessoa distinta dos contratantes, como herdeiros e sucessores, não se vinculam aos 
efeitos dos contratos, exemplificando os contratos de antecipação e factoring. 
 
 
O contrato só obriga aqueles que tomaram parte na sua realização, mas vincula 
seus herdeiros e sucessores, exemplificando os contratos de sociedade. 
 
 
 
 
 
5. 
 
 
- Observe o conceito abaixo do ilustre jurista Washington de Barros 
Monteiro: ¿Acordo de vontades para o fim de adquirir, resguardar, 
modificar ou extinguir direitos.¿ Estamos nos referindo ao conceito de: 
 
 
 
 
 
 
Regulamento 
 
 
Contrato 
 
 
Convenção 
 
 
Lei 
 
 
Estatuto 
 
 Gabarito Comentado 
 
 
 
6. 
 
 
Como exemplos de Contratos Unilaterais temos: 
 
 
 
 
 
 
A antecipação 
 
 
O desconto 
 
 
O leasing 
 
 
A doação 
 
 
A faturização 
 
 Gabarito Comentado 
 
 
 
7. 
 
 
De acordo com o conceito abaixo, estamos nos referindo a qual Princípio 
da Nova Teoria Contratual? ¿Neste princípio vale dizer que o contrato só 
obriga aqueles que tomaram parte na sua realização. Qualquer pessoa 
distinta dos contratantes, como herdeiros e sucessores, não se vinculam 
aos efeitos dos contratos, com exceção das estipulações em favor de 
terceiros, exemplificando o contrato de seguro e os contratos coletivos de 
trabalho, recepcionados no Código Civil de 2002, nos artigos 436 e 438.¿ 
 
 
 
 
 
 
Relatividade dos efeitos do contrato 
 
 
Obrigatoriedade das Convenções 
 
 
Boa fé objetiva 
 
 
Autonomia da Vontade 
 
 
Função Social do Contrato 
 
 
 
 
8. 
 
 
No estudo da evolução histórica do Direito Contratual no Direito 
Brasileiro, observamos a elaboração de um importantíssimo diploma 
legal: O Código de Proteção e Defesa do Consumidor, medida que o 
legislador tomou, para tentar minimizar os conflitos gerados por uma 
verdadeira crise social do contrato, no fim da década 80, Lei 8078/90. 
Com idéias mais socialistas, foram adotados dois novos princípios na 
Teoria Contratual que são da Boa-fé objetiva e o Princípio da: 
 
 
 
 
 
 
Da Simplicidade. 
 
 
Função Social do 
Contrato. 
 
 
Da Autonomia da 
Vontade. 
 
Relatividade das 
Convenções 
 
 
Tutela do 
Hipossuficiente. 
1. 
 
 
Como podemos exemplificar os Contratos Solenes e Não Solenes? 
 
 
 
 
 
 
Solenes são aqueles que dependem de uma forma prescrita em lei para que sejam 
válidos. Não solenes, são aqueles realizados de forma livre, apenas com o consenso 
das partes, podendo ser orais, escritos, por instrumento público ou particular. 
 
 
Solenes são os contratos que dependem de uma forma prescrita em lei para que 
sejam válidos.Não Solenes, ao contrário, embora somente possam ser realizados 
por escrito 
 
 
Solenes são aqueles que dependem de uma forma prescrita em lei para que sejam 
válidos e Não Solenes aqueles que somente se realizam de forma verbal. 
 
 
Solenes são aqueles que dependem de uma forma prescrita em lei para que sejam 
válidos, como por exemplo, a locação. Não solenes, são aqueles realizados de forma 
livre, apenas com o consenso das partes, podendo ser orais, escritos, por 
instrumento público ou particular, como por exemplo, o contrato de seguro. 
 
 
Solenes são os que necessitam de escritura pública e não solenes livres. 
 
 
 
 
 
2. 
 
 
Ana realizou um Contrato de Seguro de Vida com o Banco Itaú e foi 
informada que este se tratava de um Contrato solene. Ana ficou com 
receio, pois entendeu que o mesmo necessitava de muitas formalidades. 
Procurou você, advogado contratualista que respondeu: 
 
 
 
 
 
 
Contratos solenes são aqueles que dependem de uma forma prescrita em lei para 
que sejam válidos. 
 
 
Contratos Solenes são aqueles que se assemelham aos contratos reais. 
 
 
Contratos solenes
rosa
rosa fez um comentário
bom material!
1 aprovações
Carregar mais