A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
30 pág.
SLIDE CONACI

Pré-visualização | Página 1 de 2

Universidade Federal de Alagoas – Campus Arapiraca 
Aluno(a): Alison Arthur Silva 
			 Carlos Henrique Pinheiro
			 Henrique Felix Santos
			 Lidian da Silva Santos
			 Raul dos Santos
			 Rayana Claudia da Silva
Docente: Adriana Araújo Peixoto
Disciplina: Seminário Integrador 2
Administração Pública - 2º Período
Arapiraca 2013 
INTRODUÇÃO
Em uma sociedade que a cada dia precisa de atitudes mais ativas em defesa da transparência dos gastos públicos, o CONACI desempenha um papel mobilizador, fundamental ao criar e dirigir sistemas de controle para a construção de gestões públicas mais eficientes e competentes. 
Dentro dos novos conceitos de controle, ele deve cada vez mais reduzir sua preocupação em obter a perfeição documental dos papéis administrativos e estar mais voltado para a qualidade da atuação governamental. Deve perder o caráter estático, afogado em um oceano de papelório, para atuar de maneira dinâmica, atento ao melhor e mais adequado funcionamento dos órgãos fiscalizados (SILVA NETO, 1999, p.8).
CONACI	
	O Conselho Nacional de Controle Interno dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios das capitais tem como objetivo atuar de forma mais eficaz no controle da gestão pública através da participação na formulação, implementação e avaliação das políticas nacionais de gestão pública. 
	O CONACI é o órgão de Controle Interno Nacional, o qual congrega as funções de controladoria, ouvidoria, corregedoria, transparência e ética. 
Controle Interno: aspectos históricos
	Desde 1922 existia no Brasil a inquietação com o controle no setor público. Naquela época o controle interno atuava analisando e autenticando as informações sob os aspectos da legalidade e da formalidade. A história do controle interno na Administração Pública Federal tem seu marco inicial na Lei n. 4.320, de 17 de março de 1964. 
ESTATUTO
ESTATUTO
 Um conjunto de normas Jurídicas acordadas pelos membros ou fundadores, que regulamentam o funcionamento de uma pessoa Jurídica. 
Estatuto
	Art 1º. O Conselho Nacional dos Órgãos de Controle Interno dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios das Capitais – CONACI, criado no VII Encontro do Fórum Nacional dos Órgãos de Controle Interno dos Estados Brasileiros e do Distrito Federal em 2007. Em 2011 passa a denominar-se Conselho Nacional de Controle Interno no VII Encontro Nacional, é uma associação de direito privado, sem fins lucrativos, devendo reger-se por este Estatuto e por suas próprias deliberações.
O CONACI é uma associação de direito privado, sem fins lucrativos, devendo reger-se por um Estatuto e por suas próprias deliberações.
O CONACI é uma associação de direito privado, sem fins lucrativos, devendo reger-se por um Estatuto e por suas próprias deliberações.
Associação de Direito Privado sem fins lucrativos.
O CONACI é uma associação de direito privado, sem fins lucrativos, devendo reger-se por um Estatuto e por suas próprias deliberações.
Associação de Direito Privado sem fins lucrativos.
 * Pessoas Jurídicas
O CONACI é uma associação de direito privado, sem fins lucrativos, devendo reger-se por um Estatuto e por suas próprias deliberações.
Associação de Direito Privado sem fins lucrativos.
 * Pessoas Jurídicas – Que são sujeitos de direito personalizados, constituído de direitos e obrigações jurídicas.
Associação de Direito Privado sem fins lucrativos.
Pessoas Jurídicas
 * De Direito Público
 * De Direito Privado
Associação de Direito Privado sem fins lucrativos.
Pessoas Jurídicas
* De Direito Público
 (União, Estados, Distrito Federal e Municípios)
* De Direito Privado (Associações, Sociedades Civis, Sociedades Comerciais, Fundações, Organizações Religiosas e Partidos Políticos)
	Art. 3º. Compete ao CONACI, com vistas ao desenvolvimento de uma atuação mais eficaz no controle da gestão pública, por meio de:
	I – Participação na formulação, na implementação e na avaliação das políticas nacionais de gestão pública;
	II – Coordenação e articulação das ações de interesse comum dos Órgãos Estaduais e Municipais de Controle Interno;
	III – Promoção de intercâmbio de informações, de experiências nacionais e internacionais sobre gestão pública e de cooperação técnica entre os seus membros;
	IV – Realização de seminários, conferências, cursos e de outros eventos de interesse dos seus membros;
	V – Desenvolvimento de programas e projetos de interesse comum dos seus membros.
Art. 8º. São instâncias do Conselho:
I – Fórum dos Titulares dos Órgãos de Controle Interno;
II – Presidência;
III – Junta Fiscal;
IV – Secretaria-Executiva; e
V - Comissões e Grupos de Trabalho.
	Art.12. O Fórum dos Titulares reunir-se-á, ordinariamente, uma vez por ano, no terceiro dia do Encontro Nacional de Controle Interno, realizado no segundo semestre, com duração de 03 (três) dias e, extraordinariamente, sempre que houver matéria para ser discutida e deliberada.
	
É composto pelos membros do CONACI, da seguinte forma:
I – até 26 assentos para os Estados Brasileiros;
II – um assento para o Distrito Federal;
III – até 26 assentos para os Municípios-Sede das capitais;
IV – um assento para a União.
	Art.17. O Conselho será dirigido por um Presidente e dois Vice-Presidentes eleitos dentre os membros titulares do CONACI, mediante votação a ser realizada na reunião que ocorrerá no terceiro dia do Encontro Nacional.
O Presidente e os Vice-Presidentes exercem mandato de 24 meses.
	Art. 21. A Junta Fiscal será constituída de cinco membros, escolhidos mediante votação a ser realizada no Encontro Nacional de Controle Interno, juntamente com a eleição do Presidente e dos Vice-Presidentes do Conselho.
	Parágrafo único. Compete, ainda, à Junta Fiscal:
	I – Verificar a regularidade dos balanços, dos relatórios financeiros e da prestação de contas do Conselho;
	II – Acompanhar as gestões financeira e patrimonial do Conselho;
	III – Fiscalizar a execução orçamentária do Conselho. 
Art. 28. O patrimônio do Conselho será constituído de:
I – Bens móveis e imóveis;
II – Fundos que vierem a ser constituídos;
III – Doações e legados;
IV – Outros.
Art. 29. As rendas do Conselho serão oriundas de:
I – Contribuição Anual de seus membros;
II – Contribuições, subvenções e auxílios de entidades públicas e privadas;
III – Resultados da administração patrimonial;
IV – Outras fontes.
	Art. 42. Na hipótese de afastamento definitivo do cargo, por qualquer motivo, no curso do mandato, o Presidente do CONACI deverá apresentar à Junta Fiscal, a Prestação de Contas, acompanhada de Relatório circunstanciado das atividades realizadas até o último dia de exercício do cargo de presidente.
	Art. 47. As doações ou contribuições financeiras efetuadas pelo CONACI a pessoas físicas ou jurídicas deverão obedecer aos objetivos do Conselho, após aprovação dos Membros do Conselho.
Principais Ações do CONACI
O CONACI procura, por meio de seus membros, produzir e difundir conceitos, sistemas e práticas que permitam o aumento da eficiência e eficácia da gestão publica. É também o órgão que autoriza as ações de ordem geral voltadas para o avanço e a defesa de mudanças desejadas pela maioria. Entre outras iniciativas, é o responsável pelo Projeto de Emenda Constitucional à PEC 45/2009, que traz a proposta de criação de carreira própria para o exercício do controle interno.
Biênio 2012/2013
 Presidente - Ângela Silvares (Secretária de Estado de Controle e Transparência do Espírito Santo). É presidente CONACI desde janeiro de 2012. 
 
	Vice-Presidente - Rosa Maria Barros Tenório (Controladora Geral do Estado de Alagoas) – Engenheira Civil pela Universidade Federal de Alagoas, Rosa Maria Barros Tenório é a atual vice-presidente do CONACI. 
 
 Vice-Presidente - João Alves de Melo (Secretário de Estado Chefe da Controladoria e Ouvidoria Geral do Estado do Ceará) Economista, administrador, é vice-presidente