PDDT 2000-2020 - Modal Aéreo
9 pág.

PDDT 2000-2020 - Modal Aéreo

Disciplina:Projeto Interdisciplinar 216 materiais186 seguidores
Pré-visualização3 páginas
PDDT 2000/2020
Plano Diretor de Desenvolvimento dos Transportes

MODAL AÉREO

O PDDT cita a implantação da intermodalidade com todos os modais apresentando o máximo de contribuição para obter uma matriz mais equilibrada no futuro.
O potencial do modal aeroviário ocorre na rapidez da transação e confiabilidade de segurança do produto extraviado. É um modal pouco requisitado pelo alto custo de extravio e pelo custo de estoque em viagem, que agrega mercadorias de grande valor comercial ou de extrema prioridade. O intuito é popularizar este meio.
Atualmente apresenta 0,4% de uso no setor modal. O plano do PDDT, até 2020, é dobrar esses números (0,8%), pois somente 0,3% são aproveitados entre as modalidades.
A ação planejada e já executada para o PDDT 2020 é a ampliação do sistema aeroportuário. Serão investidos, em um conjunto integral de ações, 2,3 bilhões de reais para ampliações de aeroportos e melhorias na infraestrutura. Os investimentos, analisados em torno deste capital, serão divididos entre os órgãos administradores do sistema aéreo: a DAESP e a INFRAERO. Baseado no valor investido, 1,7 bilhões de reais serão destinados à infraestrutura de passageiros, enquanto 600 milhões utilizados para finalidade de infraestrutura de cargas.
Dentro do plano, em 2001, 11 aeroportos administrados pela DAESP e três aeroportos da INFRAERO iniciaram as obras na infraestrutura de cargas. No mesmo ano, cinco terminais da DAESP e três da INFRAERO iniciaram suas obras na infraestrutura de passageiros. Em 2002 ocorreu a continuação do projeto acima.
Há planos no arcabouço (estrutura) intermodal de desenvolver uma rede de terminais, os Centros de Logística Integrado (CLI), próximo aos eixos da macrometrópole, para incluir a participação de modais não tão utilizados, como o modal aéreo, nas conexões de transferência e serviços processados. A prioridade física no desenvolvimento das estratégias a testar, nos gargalos, é a insuficiência da infraestrutura dos aeroportos, os horários de funcionamento e a segurança local.
Em contexto geral, para promover e negociar o planejamento, a maior parte do investimento é cedida por iniciativa privada (48%). A fonte estadual (34%) e a fonte federal (16%) contribuem para o fechamento do valor capital. Mas, na modalidade aeroviária, como os órgãos administradores são responsáveis apenas pelas normas, regulamentos e sistema burocrático financeiro dos aeroportos, a iniciativa privada é prioritária e relacionada como forma de investimento, enquanto os fundos estaduais e federais prestam contribuição financeira para a realização de um plano de desenvolvimento no setor aéreo. Somente os aeroportos de Guarulhos e de Viracopos, em Campinas, recebem um percentual qualificado de injeção de capital privado por ter créditos superiores em todos os quesitos dentro do modal, tanto de passageiros, voos regionais e internacionais, capacidades cargueiras e afins.
Grande parte dos projetos apresentados pelo PDDT coincide aos eventos esportivos, em 2014 e 2016, sediados no Brasil, gerando empregos, modernização infraestrutural para maior suporte de cargas e elevação de número de passageiros com a ampliação e reforma dos terminais dos aeroportos.

DAESP

Obras em andamento:

Aeroportos da rede DAESP: Serviços de técnicos especiais de engenharia objetivando a elaboração e fornecimento dos planos específicos de zoneamento de ruído (PEZR).

Aeroportos da rede DAESP: Serviço de medição de atrito e macrotextura das pistas de pouso e decolagem.

Aeroporto de Andradina, Assis e Penápolis: Sinalização Horizontal.

Aeroporto de Araraquara: Construção do novo terminal de passageiros.

Aeroporto de Franca: Reforma e ampliação do terminal de passageiros.

Aeroporto de Itanhaem: Construção da nova seção contra incêndio (SCI), categoria 05 e 06.

Aeroporto de Ribeirão Preto: Prestação de serviços técnicos especializados relativos ao deslocamento da pista e adequação do entorno viário (RAO Internacional).

Aeroporto de Ribeirão Preto: Projeto de cobertura para embarque e desembarque de passageiros.

Sede DAESP: Contratação de serviços técnicos especializados de engenharia para apoio ao gerenciamento e à supervisão das obras de ampliação e melhorias dos Aeroportos administrados pelo DAESP no Estado de São Paulo.

Obras concluídas

Aeroporto de Araçatuba
Ampliação da sala de embarque e desembarque, reforma dos sanitários do TPS e obras complementares. Término em 01/2010.
Recapeamento dos sistemas de pistas e acessos e restauração do pátio de aeronaves. Término em 03/2010.
Projeto de terraplenagem, drenagem incluindo levantamento topográfico e geotécnico para implantação das faixas das pistas de pouso, decolagem e rolamento. Término em 11/2010.
Elaboração de projeto executivo, para sinalização vertical dos sistemas de pistas e pátios. Término em julho/2012.
Elaboração de projeto básico, anteprojeto executivos para ampliação e reforma dos terminais de passageiros e urbanismo. Término em setembro/2012.
Adequação de pistas de rolamento e vias de acesso. Término em fevereiro/2012.

Aeroporto de Araraquara
Elaboração de Planos Diretores. Término em agosto/2012.
Implantação de cerca de alambrado - Lote A. Término em julho/2012.
Construção do sistema viário e estacionamento de veículos do novo TPS e adequação da pista de rolamento. Término em julho/2012.

Aeroporto de Assis
Recapeamento de asfalto dos sistemas de pistas, pátio e acessos. Término em 11/2009.
Recuperação da cobertura e pintura do terminal de passageiros - TPS. Término em 12/2010.

Aeroporto de Avaré
Fechamento da área patrimonial, com cerca de alambrado padrão ICAO. Término em 05/2011.
Recapeamento dos sistemas de pistas, pátios de aeronaves e de veículos, construção parcial das pistas de rolamento – PRB, vias de acessos e execução de grooving. Término em março/2012.

Aeroporto de Barretos
Recuperação da cobertura do terminal de passageiros e pintura do TPS e KF. Término em 06/2009.
Execução de pintura para sinalização horizontal de sistemas de pista, pátio e de informações com orientações visuais. Término em abril/2012.

Aeroporto de Bauru / Arealva
Construção do terminal de passageiros, UROS, instalações e equipamentos de segurança e obras complementares. Término em 02/2007.
Instalação de equipamento de auxílio à navegação aérea. Término em 01/2009.
Obra de construção da cabine de força, anexos operacionais e adequação do terminal de passageiros. Término em 02/2011.
Obras de engenharia para restauração do sistema de drenagem. Término em 07/2011.
Elaboração de projetos básicos e executivos para implantação de anexos do terminal de passageiros. Término em julho/13.
Execução de pintura para sinalização horizontal de sistemas de pista, pátio e de informações com orientações visuais. Término em abril/2012.
Elaboração de Planos Diretores. Término em agosto/2012.
Implantação de cerca de alambrado - Lote A. Término em julho/2012.

Aeroportos Botucatu
Execução de pintura para sinalização horizontal de sistemas de pista, pátio e de informações com orientações visuais. Término em abril/2012.
Aeroporto de Bragança Paulista
Fechamento da área patrimonial com alambrado padrão ICAO. Término em 07/2008.  
Pavimentação das pistas de rolamento (PRC E PR-D) e acessos. Término em 05/2010.
Execução de pintura para sinalização horizontal de sistemas de pista, pátio e de informações com orientações visuais. Término em maio/2012.

Aeroporto de Campinas/Amarais
Pavimentação das pistas de rolamento e acessos e implantação de anexos operacionais. Término em 03/2010.
Construção da USE (Unidade de Serviços e Equipamentos) e guarita. Término em 05/2011.
Execução de pintura para sinalização horizontal de sistemas de pista, pátio e de informações com orientações visuais. Término em maio/2012.
Implantação de cerca de alambrado - Lote A. Término em julho/2012.

Aeroporto Dracena
Implantação de cerca de alambrado - Lote B. Término em julho/2012.

Aeroporto de Franca
Obra de restauração