Manejo de dejetos e controle de endo-ectoparasitas - PARENTE
32 pág.

Manejo de dejetos e controle de endo-ectoparasitas - PARENTE


DisciplinaHigiene Animal e Profilaxia4 materiais51 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Manejo de Dejetos 
Controle de Endo e Ectoparasitas. 
Universidade Federal do Tocantins 
Escola de Medicina Veterinária e Zootecnia 
Departamento de Zootecnia 
Higiene e Profilaxia 
Professor: Francisco Baptista 
Araguaína \u2013 TO 
2013 1 
Ana Carlla, Bruna, Higor, Jonas, Railton, Roger, Syandra, Odimar, 
Ranniere, Raimundo, Jeferson, Rhaiza. 
Introdução 
 
 
 
Dejetos??? 
Definição 
Fezes Urina Resíduos de Ração 
Água 
desperdiçada 
dos 
bebedouros; 
higienização 
2 
\u2022 Concentração de maiores DEJETOS: 
\u2013 Animais de produção \u2013 CONFINAMENTO!!! 
\u2013 Suínos 
\u2013 Aves 
\u2013 Bovinos ... 
 
\uf076Mal manejo e utilização dos Dejetos oferece 
riscos sanitários ao homem e ao animal. 
\uf076Difusão de microrganismos patogênicos; proliferação 
de moscas e parasitas; produção de odores 
desagradáveis... 
Introdução 
Grande nº de 
animais em uma 
mesma área. 
3 
\u2022 Volume de dejetos produzidos diariamente 
pelos animais é extremamente grande. 
 
Introdução 
Tabela 02 - Produção diária de dejetos por animal, em 
diferentes espécies 
Espécie Produção diária (kg) 
Bovino adulto estabulado 25 a 30 
Bovino adulto semi estabulado 10 a 15 
Equinos 10 
Ovinos 2,8 
Suíno adulto, de 70kg 2 
Galinhas 0,12 
Fonte: EMBRAPA 
4 
Introdução 
\u2022 Composição do esterco de algumas 
espécies de animais 
Tabela 02 - Componentes do esterco de alguns animais 
domésticos 
Componentes 
Espécie 
Equinos Bovinos Ovinos Suínos Galinhas 
Matéria Orgânica % 46,0 57,1 65,2 53,1 52,2 
Nitrogênio, % 1,4 1,6 1,4 1,8 2,7 
Fósforo % 0,5 0,8 1,0 0,7 5,9 
Potássio % 1,7 1,3 2,0 0,4 1,7 
Fonte: EMBRAPA-CNPGL, Coronel Pacheco, MG. 
5 
Produção de Gases Nocivos 
\u2022 A produção de gases em excesso pode ser 
prejudicial. 
\u2013 Conjuntivites; 
\u2013 Rinites; 
\u2013 Pneumonia; 
\u2013 Morte dos animais. 
\u2022 Sinais mais frequentes de intoxicações 
são: 
\u2013 Mucosas hiperêmicas ou avermelhadas; 
\u2013 Lacrimejamento; 
\u2013 Espirros; 
\u2013 Tosse; 
\u2013 Secreção nasal... 
 
 
6 
Coleta, Armazenamento e 
Destinos dos Dejetos 
\u2022 Realizado de forma adequada. 
 
\u2022 Intimamente relacionada com o tipo de 
armazenamento e o destino que se 
pretende. 
 
\u2022 Esterqueiras ou estrumeiras são depósitos 
para o armazenamento e fermentação dos 
dejetos e estercos liquefeitos. 
7 
8 
Fluxo de produção e processamento dos dejetos 
Tratamento do Esterco 
\u2022 Aproveitável para a AGRICULTURA. 
 
\u2022 No entanto deve receber tratamento prévio 
\u2013 Depósitos de parasitas e microrganismos 
indesejáveis 
 
\u2022 O processo de fermentação das esterqueiras 
elimina os microrganismos e ovos de helmintos. 
 
\u2022 Depois de amontoado 2 semanas para fermentar \u2013 
ocasionar morte de agentes patogênicos. 
 
Coletor de Estercos... 9 
Alternativas para o Manejo de 
Dejetos 
 
\u2013 Esterqueira para esterco sólido 
 
 
\u2013 Esterqueira para esterco líquido 
 
10 
Esterqueiras para líquidos 
Fonte: www.biomapampa.com.br 
www.terrastock.com.br 
Esterqueiras para sólidos 
11 
Esterqueira para dejetos sólidos 
Fonte: www.banet.com.br 
12 
Fonte: www.banet.com.br 
Esterqueira para dejetos líquidos 
13 
Construção da Esterqueira 
\u2022 Construção em alvenaria; 
 
\u2022 Dimensões de acordo com o tamanho do 
rebanho, período desejado para o enchimento 
e tempo necessário para o tratamento; 
 
\u2022 Deverá ter tampa; 
 
\u2022 Possuir respiradouro na parte superior... 
 
 
14 
Outros Tratamentos 
\u2022 Lagoa de estabilização anaeróbica; 
 
\u2022 Lagoa de fermentação aeróbica; 
 
\u2022 Biodigestores... 
15 
Caixa de 
entrada 
Biogás 
Caixa de 
saída 
Biodigestor contínuo com gasômetro em manta impermeável de baixo custo. 
Estação Experimental de Caraíbas \u2013 EBDA (Jaguarari \u2013 BA). 
16 
Pesquisas em Manejo e 
Tratamento no Dejetos de 
Suínos 
17 
Tabela 3 - Comparativo de algumas tecnologias de manejo ou tratamento, 
avaliados ou desenvolvidas no Brasil, para dejetos de suínos. 
Tecnologia Vantagens Desvantagens 
Esterqueira/ 
bioesterqueira 
Baixo custo, facilidade de operação Odor, baixa estabilização do dejeto, 
necessidade de área para aplicação 
Separador de sólidos 
(peneiras) 
Rapidez, móvel e compacto, fração 
sólida com menos umidade 
Alto consumo de energia elétrica, 
preço relativamente alto, eficiência 
de separação 
Decantador de 
 palhetas 
Facilidade de operação, baixo custo, 
alta eficiência de separação 
Lento, gera grande volume de lodo 
com umidade alta 
Biodigestores Reduz o odor, agrega valor ao 
dejeto pela produção de fertilizante 
e biogás 
Susceptível a mudanças de manejo, 
como uso de antibióticos e 
desinfetantes 
Sistemas de lagoa em 
série UFSC/Embrapa 
Grande eficiência, custo 
relativamente baixo 
Aumenta o tempo de tratamento e a 
área ocupada pelo sistema 
Compostagem Redução de odor e de insetos, 
agrega valor (fertilizante) 
Exige manejo adequado (umidade, 
aeração, temperatura) 
Sistema de cama 
sobreposta 
Idem compostagem, redução de 
consumo de água para higienização, 
conforto animal 
Manejo do sistema para eliminar 
riscos sanitários 
Fonte: Adaptado de Kunz et al. (2005) 
18 
Controle de Endo e 
Ectoparasitas 
19 
\u2022 Parasitas são organismos que habitam o 
interior de um organismo \u2013 
HOSPEDEIRO. 
 
 
\u2022 Apresentam ação variável no hospedeiro e 
podem ocasionar graves prejuízos para os 
animais de interesse zootécnico. 
 
 
20 
\u2022 Causadores da VERMINOSE \u2013 infecções 
produzidas por vermes. 
 
 
\u2022 Efeitos negativos são mais observados em 
animais jovens. Embora perdas variáveis 
são verificadas em todas as idades. 
21 
\u2022 As verminoses se caracterizam por: 
\u2013 Anemia 
\u2013 Apatia 
\u2013 Caquexia 
\u2013 Diarreia 
\u2013 Casos extremos - MORTE 
 
www.vallee.com.br www.terrastock.com.br www.marangatu.com.br 
22 
Controle da Verminose 
\u2022 Adoção de medidas preventivas e/ou curativas 
 
\u2022 Evolução das pesquisas \u2013 tratamento para as 
principais verminoses. 
 
\u2022 Drogas contra nematóides, trematóides e 
cestóides: 
\u2013 Interfere na capacidade neuromuscular \u2013 expulsão do 
verme pelo peristaltismo intestinal 
 
\u2013 Bloqueio de processos energéticos levando o parasita a 
morte por inanição 
23 
Importância da Identificação 
do Parasitismo 
\u2022 As verminoses se apresentam de forma 
SUBCLÍNICA ou CRÔNICA. 
 
 
\u2022 5% se manifestam de maneira clara \u2013 
sintomas evidentes. 
 
 
24 
\u2022 Sinais que identificam a verminose: 
\u2013 Pêlos arrepiados e sem brilho 
\u2013 Emagrecimento 
\u2013 Diarreia 
\u2013 Abdômen volumoso 
\u2013 Falta de apetite 
\u2013 Anemia 
\u2013 Desidratação... 
rehagro.com.br leonardod1.blogspot.coo 
25 
Ectoparasitas 
\u2022 Transmissores de agentes de enfermidades 
para o animal e o homem. 
 
\u2022 Podem funcionar como vetores mecânicos 
\u2013 transmitindo agentes infectantes para o 
hospedeiro susceptível. 
www.ruralpecuaria.com.br www.clinicaveterinariagaia.com 
26 
\u2022 Caracterizam-se por serem: 
\u2013 Artrópodes: carrapatos e ácaros; 
 
\u2013 Insetos: moscas, mosquitos, piolhos, pulgas... 
 
 
 
 
 
www.cpt.com.br vetgrazi.blogspot.com 
27 
\u2022 Prejuízos: 
\u2013 Lesões cutâneas com danos ao couro 
\u2013 Perda de sangue 
\u2013 Irritação dos animais \u2013 queda produção 
\u2013 Transmissão de doenças 
\u2013 Babesiose 
\u2013 Anaplasmose 
 
28 
Controle parasitário estratégico 
29 
Fonte: Malacco (2012) 
Considerações Finais 
\u2022 Promover um correto tratamento dos dejetos 
\u2013 Minimizar impactos ambientais (solo, água, etc) 
\u2013 Agregar receita ao sistema de produção 
 
 
\u2022 Controlar parasitoses 
\u2013 Escolha do