Projeto em Computação Gráfica - Aula 3
17 pág.

Projeto em Computação Gráfica - Aula 3


DisciplinaProjeto e Computação Gráfica I7 materiais52 seguidores
Pré-visualização1 página
AULA 3 \u2013 ESCALAS E COTAS
\u2022 Um objeto pode ser desenhado com suas medidas 
reais, se o tamanho do papel for suficiente.
\u2022 Contudo, muitos objetos não podem ser 
desenhados em suas medidas reais: você já pensou 
desenhar um automóvel em seu tamanho 
verdadeiro? Certamente você teria que colar muitas 
folhas de papel\u2026
ESCALAS - CONCEITO
\u2022 Assim, o automóvel teria que ser desenhado num 
tamanho reduzido.
\u2022 O uso deste artifício é chamado de desenhar em 
ESCALA.
\u2022 ESCALA é a relação entre cada medida do desenho e 
a sua dimensão real no objeto.
\u2022 Assim, uma escala de 1:x significa
\u2022 Cada 1cm do desenho representa x cm da peça 
considerada.
\u2022 Para se desenhar nesta escala divide-se por x a 
verdadeira grandeza das medidas.
\u2022 As escalas de redução recomendadas pela NBR6492 
(Representação de Projetos de Arquitetura) são:
\u2022 1:5 1:50 1:500
\u2022 1:75
\u2022 1:10
\u2022 1:100
\u2022 1:2 1:20 1:200
\u2022 1:25 1:250
ESCALAS DE REDUÇÃO
\u2022 Além das escalas de redução existem as escalas de 
ampliação.
\u2022 As minúsculas peças de um relógio não podem ser 
desenhadas em escala natural, e muito menos, na 
escala de redução. Elas terão que ser aumentadas.
ESCALAS DE AMPLIAÇÃO
\u2022 De acordo com a NBR 8196 as escalas de ampliação 
recomendadas são de :
\u2022 2:1
\u2022 5:1
\u2022 10:1
\u2022 20:1
\u2022 50:1
\u2022 As escalas de redução e de ampliação são chamadas 
de numéricas ou métricas.
\u2022 Em desenhos antigos podemos encontrar, por 
exemplo, a escala de 0,05. Se fizermos as operações 
vamos encontrar:
\u2022 0,05=5/100=1/20 ou seja, 1:20 na anotação atual.
\u2022 Na prática são usados os escalímetros, que são 
fabricados com diversas escalas de redução.
\u2022 Representam sempre dimensões reais do objeto e 
não dependem, portanto, da escala em que o 
desenho está executado.
\u2022 São os números que correspondem às medidas.
COTAS - CONCEITO
\u2022 Para localizar exatamente uma cota e indicar qual a 
parte ou elemento do objeto a que ela se refere é
necessário recorrer a dois tipos de linhas que são:
a) linhas de chamada (ou de extensão ou, ainda linha 
de referência);
b) linhas de cota (ou de medida). 
As setas podem ser substituídas por:
1. Tanto as linhas de chamada como as linhas de cota 
se desenham com traço contínuo fino;
2. As linhas de chamada devem, em princípio, ser 
perpendiculares ao elemento a cotar, mas em 
casos excepcionais, pode haver conveniência em 
que sejam desenhadas obliquamente, preferindo-
se nesses casos inclinações de 60° ou 75º;
PRINCÍPIOS GERAIS
3. As linhas de cota não devem ser escritas muito 
próximo das linhas de contorno;
4. As linhas de cota paralelas devem ser espaçadas 
igualmente;
5. Evitar repetições de cota;
6. Todas as cotas necessárias serão indicadas;
7. As cotas de um desenho devem ser expressas na 
mesma unidade;
8. A altura dos algarismos é uniforme dentro do mesmo 
desenho;
9. As cotas prevalecem sobre as medidas calculadas no 
desenho;
10. Os ângulos serão medidos em graus, exceto em 
coberturas e rampas que se indicam em %.
\u2022 Dados dois blocos de madeira, pede-se fazer as 3 
vistas principais e cotar suas dimensões, em papel 
milimetrado, nas escalas 1:2 e 1:5. Atentar para os 
detalhes das lâminas e dos entalhes dentados.
EXERCÍCIO