A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
78 pág.
ESTUDO DE BOMBEAMENTO de particulas grossas

Pré-visualização | Página 12 de 12

transição ou deposição; 
 estudos dos desgastes por corrosão e abrasão nas tubulações não revestidas com 
borracha natural; 
 comparativo criterioso entre os vários tipos de transporte de polpa seja por 
caminhão e ferrovia. 
68 
 
7 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 
ASPEN TECHNOLOGY. (2003). Wear in Slurry Systems. 
AUSENCOPSI. (2006 a). Testes de Laboratórios. 
AUSENCOPSI. (2006 b). Relatório fotográfico de obra. 
AUSENCOPSI. (2007). Treinamento em minerodutos. Belo Horizonte. 
CHAPMAN, J. P., VIDAL, A. M., PINTO, D., & LIMA, R. (2009). Slurry Pipeline 
Technology - An Overview. Rio Pipeline Conference and Exposition 2009. Rio de 
Janeiro. 
CHAVES, A. P. (2002 a). Teoria e Prática do Tratamento de Minérios - Volume 1. São 
Paulo: Signus Editora. 
CHAVES, A. P. (2002 b). Gerenciamento de Projetos de Mineração. São Paulo: 
Departamento de Engenharia de Minas e de Petróleo - Escola Politécnica da 
Universidade de São Paulo. 
GEHO, P. S. (2011). (WEIR Minerals) Acesso em 15 de Junho de 2011, disponível em 
http://www.weirminerals.com: 
http://www.weirminerals.com/products__services/piston_diaphragm_pumps/piston_dia
phragm_pumps/tzpm_pump.aspx 
HANKS, R. W., & DADIA, B. H. (1971). Theoretical Analysis of the Turbulent Flow 
of Non-Newtonian Slurries ins Pipes. AIChE Jounal . 
LAROCK, B. E., JEPPSON, R. W., & WATTERS, G. Z. (2000). Hydraulics of Pipeline 
System. Washington: CRC Press. 
MACINTYRE, A. J. (1987). Bombas e Instalações de Bombeamento. Editora 
Guanabara. 
MME, M. d. (2011). http://www.mme.gov.br. Acesso em 30 de 06 de 2011 
WASP, E. J., KENNY, J. P., & GANDHI, R. L. (1977). Solid-Liquid Flow Slurry 
Pipeline Transportation. São Francisco: Trans Tech Publications.