Direito Civil I-Resumo
1 pág.

Direito Civil I-Resumo


DisciplinaDireito Civil I49.927 materiais579.423 seguidores
Pré-visualização1 página
Conceito de personalidade:
Clássico: aptidão genérica para adquirir direitos e obrigações
Moderno: atributo reconhecido a uma pessoa (Pessoa física ou Jurídica) para que possa titularizar direitos e obrigações.

Personalidade Jurídica: é ser sujeito de direito, é a aptidão genérica para adquirir direitos e contrair deveres.
Pessoa natural: é aquele que possui personalidade jurídica, ou seja, capaz de direitos e obrigações na esfera civil.
Personalidade jurídica de pessoas naturais:
Teoria natalista: o nascituro só possui expectativa de direito, recebendo o mesmo a partir do nascimento com vida.
Teoria concepcionista: o nascituro já é considerado pessoa desde a concepção
Teoria da personalidade condicionada: Começa com o nascimento com vida, estando então em uma condição suspensiva de direitos. (Nesse caso o nascituro tem apenas expectativa de direitos passando a ter eles de fato só após o nascimento com vida).
Teoria da Dupla personalidade:
1º Formal- Direitos da personalidade que se tem desde a concepção;
2º Material- Direito a patrimônios que são adquiridos no nascimento com vida.

Capacidade Civil:
De direito: Ter personalidade jurídica
De fato: Exercer pessoalmente os atos da vida civil

Incapacidade de fato.

1º Absoluta: Necessita de representação (Caso dos menores de 16 anos)
2º Relativa: Necessidade de ser assistido ( Pessoas de 16 até 18 anos, ébrios habituais ou viciados em tóxicos, pródigos e quem não pode exprimir vontade permanente ou de maneira transitória).

OBS: Antes do Código Civil de 2002, eram considerados incapazes absolutos também pessoas enfermas ou deficientes mentais e aqueles que não podem exprimir sua vontade.

Vacatio Legis: Lei válida, mas não vigente.

Cessação da incapacidade:

Da menoridade: por emancipação (voluntária, judicial e legal) ou pelo fato da pessoa ter atingido a maioridade.

Demais casos: Pelo fim da interdição.

Individualização da pessoa natural:
Nome;
Estado Civil;
Domicilio.

Dos domicílios:

Necessário ou legal: domicilio dos absolutamente e relativamente incapazes, do servidor público, do militar e do preso.
Voluntário: é o lugar onde a pessoa fixa sua residência com animo definitivo.

Extinção da pessoa natural:

Real- Morte encefálica
Morte presumida sem declaração de ausência- situação de catástrofe, uma morte que era \u201cesperada\u201d.
Morte presumida com declaração de ausência- simplesmente o desaparecimento.

Das sucessões:

Provisória: 1 ano após a declaração do desaparecimento caso não houver tutor, se houver aumenta para 3 anos;
Definitiva: 10 anos após o trânsito em julgado da sucessão provisória. Redutível para 5 anos caso o desaparecido tenha 80 anos ou mais.

Do retorno na fase de arrecadação: Não há prejuízo;
Do retorno na sucessão provisória: perda de rendimentos;
Do retorno após a sucessão definitiva (até 10 anos): a propriedade ou valor no qual foi vendido, caso não retorne permanecerá o bem sendo dos sucessores ou do município.

Direito da personalidade

Teoria pluralista: Só é direito da personalidade o que está explicito em lei;
Teoria monista: Basta uma clausula geral para que se entenda os direitos.

Características:

Inato- Se tem pelo fato de existir;
Absoluto- Oponível Erga Omnes, Direitos que você pode reivindicar a todos.
Relativamente indisponieis- você não pode abrir mão

Consentimento informado- ortotanásia (não se submeter a tratamento medico).
Consentimento afirmativo- Dispor gratuitamente do próprio corpo ( doação de órgãos)

Os direitos da personalidade são:
Intransmissiveis;
Irrenunciaveis;
Vitalícios;
Impenhoraveis;
Imprescritíveis.

Titularidade da personalidade jurídica na pessoa natural: honra subjetiva e objetiva;
Titularidade da personalidade jurídica na pessoa jurídica: honra objetiva;
Titularidade da personalidade jurídica no nascituro: depende da teoria

Proteção dos direitos da personalidade:

Tutela preventiva: Não tem objetivo financeiro, só o cumprimento do pedido;
Tutela Compensatória: Indenização;

Pessoa jurídica de direito público interno: em território nacional e autarquias;
Pessoa jurídica de direito público externo: outros Estados.

OBS: O estado tem sempre a prerrogativa que impõe regras, tem mais benefícios, é a supremacia do Direito Público.

Pessoa jurídica de direito privado: são pessoas equivalentes.
Autonomia da vontade ou liberdade contratual.

Associação - Não tem finalidade financeira, caso haja lucro o mesmo deve ser devolvidos aos sócios ou investidores;
Deve ter estatuto;
Deve ter assembleia geral que é equivalente ao órgão máximo.