Fazer uma pesquisa na internet sobre a legislação pertinente ao assunto, apontando os avanços no planejamento após a CF/88. Mínimo de 1 lauda e máximo de 3 laudas (folha A4). Prazo estabelecido: 23:55 horas do dia  12/02/2017.
3 pág.

Fazer uma pesquisa na internet sobre a legislação pertinente ao assunto, apontando os avanços no planejamento após a CF/88. Mínimo de 1 lauda e máximo de 3 laudas (folha A4). Prazo estabelecido: 23:55 horas do dia 12/02/2017.


DisciplinaContabilidade Pública6.454 materiais51.106 seguidores
Pré-visualização1 página
CRISTIANO NASCIMENTO CAMPOS
MATRICULA: 14113110366
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
POLO ITAOCARA
CONTABILIDADE PÚBLICA
Avaliação à Distância 1
Avanços no planejamento após a CF/88.
A Cf/88 possibilitou ao Brasil criar uma imensa rede de proteção social, com um grande impacto na redução da pobreza e na distribuição de renda.
A preocupação com os direitos do cidadão é claramente uma resposta ao período histórico diretamente anterior ao da promulgação da constituição, a chamada \u201cditadura militar\u201d. Durante vinte anos o povo foi repetidamente privado de várias garantias.
A Constituição Federal de 1988 inovou ao tratar do orçamento público e implementou uma nova diretiva orçamentária que permite um melhor o planejamento econômico, melhoria nas ações governamentais em bases mais consistentes e o mais importante, possibilitou o estabelecimento de um vínculo entre as propostas eleitorais com o planejamento das ações de governo para o período do mandato e deste com as propostas anuais e suas consequentes ações efetivas, estabelecendo assim, mediante um vínculo instrumental, a necessária ligação entre as formas de prestação de contas relativas ao processo eleitoral e ao controle econômico durante o mandato.
A Constituição de 1988 trouxe importantes avanços em relação ao planejamento da Administração Pública, onde foram criados instrumentos legais que permitem um planejamento estrutural de ações governamentais, que são elas:
O PPA \u2013 O Plano Plurianual
A LDO \u2013 Lei de Diretrizes Orçamentárias
A LOA \u2013 Lei Orçamentária Anual.
Art.165. Leis de iniciativa do Poder Executivo estabelecerão;
I- o plano plurianual
II- a diretrizes orçamentárias
III- os orçamentos anuais
O PPA é um instrumento de planejamento que ordena as ações da administração pública que buscam alcançar metas definidas para um período de quatro anos. É elaborado pelo poder executivo sendo organizado em programas que agregam conjunto de ações políticas públicas.
A LDO surgiu para estabelecer as metas e prioridades para o exercício financeiro e também orienta a elaboração do orçamento e faz alterações na legislação tributária. Esta é elaborada por iniciativa do Poder Executivo e seu encaminhamento ao Legislativo, antecede à remessa da Lei de Orçamento Anual (LOA).
LOA é um instrumento que estima as receitas e fixa despesas para um ano, de acordo com as prioridades contidas no PPA e LDO detalhando quanto será gasto em cada ação. É o orçamento propriamente dito.
Leis Gerais:
O PPA obedece aos artigos 165 e 167 da Constituição Federal, ao artigo 22 Lei Federal 4320/64 aos artigos 5,16 e 17 da Lei da Responsabilidade Fiscal.
A LDO obedece ao artigo 165 da Constituição Federal, ao artigo 4º da Lei Complementar.
A LOA obedece aos artigos 165, 166, 167, e 168 da Constituição Federal, aos artigos 5,12,32,48 e 62 da Lei Complementar 101/00, aos artigos 2,3,4,5,6,7,15,22,33, e 34 da Lei 4320/64.
A lei de Responsabilidade Fiscal a LRF (Lei 101/00), foi criada para reforçar os vínculos entre PPA, LDO e a LOA, no qual equilibra as receitas e despesas e estabelece limitação de empenho e movimentação financeira de acordo com os critérios definidos na LDO.
A LRF que também pode ser chamada de Lei Complementar estabelece limites de orçamentos e das despesas de um modo geral nos estados e municípios, para que não haja gastos excessivos e todos os planejamentos tenham total transparência.
Art. 1º Esta Lei Complementar estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal, com amparo no Capítulo II do Título VI da Constituição.
§ 1º A responsabilidade na gestão fiscal pressupõe a ação planejada e transparente, em que se previnem riscos e corrigem desvios capazes de afetar o equilíbrio das contas públicas, mediante o cumprimento de metas de resultados entre receitas e despesas e a obediência a limites e condições no que tange a renúncia de receita, geração de despesas com pessoal, da seguridade social e outras, dívidas consolidada e mobiliária, operações de crédito, inclusive por antecipação de receita, concessão de garantia e inscrição em restos a pagar.
Sem dúvida alguma as inovações trazidas com os planos PPA, LDO e LOA contribuíram para um melhor planejamento em termos de administração e finanças públicas. Os instrumentos para uma Administração Pública existem, restando apenas sempre serem prioritários às políticas públicas (saúde, educação, desenvolvimento urbano e outros), que traduzem as necessidades da sociedade.
Referências Bibliográficas:
JÚNIOR, Aluísio Gomes da Silva. Constituição da República Federativa do Brasil: Roteiro Básico - 3ª Edição. Rio de Janeiro: Anluirenan, 2012.
Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm>. Acesso em: 20 fev. 2016.